No último domingo, 3 de setembro, teve Corrida Venus aqui em São Paulo e essa edição foi especial. Afinal, a prova está completando 10 anos! UAU! :O Ao longo dessa década de história, mais de 150 mil atletas já participaram da Venus – que é uma das maiores provas femininas do mundo, sabiam?

Aproveitando que toda essa mulherada linda estaria reunida, a Fundación MAPFRE montou um stand na arena da Venus para promover a campanha Mulheres Pelo Coração e nós também participamos da prova divulgando essa ação superbacana e importante!

A Aline correu os 15k e eu fiz 5k

No sábado, as corredoras que foram retirar seu kit no Jockey recebram o guia Pela Saúde do Coração, preparado especialmente para a campanha, e ainda puderam testar seus batimentos cardíacos em uma divertida volta de montanha russa virtual.

Eu nunca tinha usado um óculos de realidade virtual antes e adorei que você pode girar a cabeça para todos os lados e ter uma visão 360 graus do ambiente. Deu até para tomar um sustinho – as meninas ainda registraram em vídeo esse meu momento “pagando mico”, só para variar, hahahaha… 😛

A prova teve largadas separadas para quem correu os 5k (como eu) e para quem fez 10k ou 15k (como a Aline). A largada dos 5k foi às 7h e das demais distâncias às 7h30. Foi bom porque dividiu bem os grupos e a prova foi bem mais tranquila e organizada do que eu esperava. A única questão é se não teria sido melhor fazer ao contrário: largar primeiro as distâncias maiores e deixar os 5k para as 7h30 da manhã.

Outra vantagem das largadas separadas, além de ter uma corrida menos lotada, é que consegui aproveitar bastante a arena no pós-prova. Foi a primeira vez na vida que consegui fazer massagem, quiropraxia… Também aproveitei o alongamento no stand da Fundación MAPFRE depois de correr. As filas costumam ser tão grandes que eu nunca me animei, mas dessa vez não só fiz como ainda consegui terminar a tempo de torcer pela Li no final da prova dela. 😀

Olha que linda a chegada dela nos 15k (a doida gritando no fundo sou eu, claro! rsrs)

A Li também comenta como foi correr os 15k na Venus deste ano:

Nessa edição da Vênus, corri 15k. Durante o percurso, a hidratação foi boa: tinha isotônico, gel de carboidrato e bala energética – porém, com 1h30 de prova, que foi mais ou menos quando passei pelo ponto das balas, já não tinha mais nada. Até o km 10, a corrida fluiu bem para mim; depois comecei a me sentir cansada e o psicológico afetou muito. O percurso não teve novidades em relação ao ano passado, e a única coisa que achei chata e cansativa foram as idas e vindas em frente ao Parque Villa Lobos. Mas, no geral, a corrida foi boa e é sempre bom encontrar a mulherada por lá!


Para encerrar, queria destacar um pequeno mimo da organização da prova que eu sempre aprovo: medalhas diferentes para quem correu cada uma das distâncias. É um jeito divertido de estimular a corrermos distâncias maiores e também de valorizar cada conquista, né? Vocês gostam?

De modo geral, concordo com a Li: foi uma experiência muito boa. Obrigada, Fundación MAPFRE, pelo convite!

  1. Eu acho que a estratégia de largar 5k antes das distâncias mais longas é a mais acertada pois desta forma, a grande maioria que faz 5k finaliza a prova antes das corredoras mais rápidas de 10 e 15k as alcançarem. Se as de 5k largassem após as de 10 e 15k teríamos o mesmo problema que temos nas provas em geral, o encontro de pessoas de diferentes percursos e paces que acaba por prejudicar quem de fato busca um bom tempo.
    Concordo com a Aline sobre o percurso mais longo, e tirando as balas energéticas que eu também não ganhei, o resto funcionou muito bem.
    Vim ler o texto pois esta foi a minha primeira participação na Vênus, fiz 15k, e simplesmente adorei tudo. Foi a melhor corrida que fiz neste ano, a segunda melhor tbm foi organizada pela Iguana, Corra a Ponte. Valeu

    • Ju Vargas Ju Vargas disse:

      Oi Alana,
      Obrigada pelo seu comentário! Que bom que você teve uma boa prova! 😀
      A dúvida sobre inverter a ordem das largadas veio por duas razões: primeiro porque, como o retorno dos 5k acontecia ali na altura do segundo quilômetro, provavelmente com meia hora de prova todas as corredoras dos 10k e dos 15k já teriam passado daquele ponto, o que já evitaria esse encontro; mas isso é controverso mesmo, porque poderia prejudicar o final da prova das primeiras colocadas nos 10k, é uma conta difícil de fazer. A outra questão é quanto ao calor mesmo: como quem corre 10k e 15k corre por mais tempo, sair meia hora mais cedo e pegar uma temperatura mais amena faz diferença, né? 😉
      De qualquer forma, ter essa separação já ajudou muito e a prova foi bem mais fluida que a do ano passado, na nossa opinião!
      Beijo!!
      Ju

  2. Dani Fátima disse:

    Também fiz os 15k (pela 1ª vez na vida) e tive a mesma experiência. Nada de bala energética pra mim também (que teria feito a diferença pois não consegui comer o gel – me deu muito enjoo, eu nunca tinha experimentado). Quebrei feio ali na avenida do Pq. Vila Lobos e um dos motivos foi que o zigue-zague me desmotivou. Eu também teria invertido a ordem da largada porque enfrentamos muito calor. Mas achei a organização excelente. Levei 2:09 pra concluir, cheguei chorando e com cãimbras mas faria tudo de novo. Recebi muito apoio das colegas corredoras que passavam por mim e perguntavam se eu estava bem. Foi bem legal! 🙂

Deixe o seu comentário!