O fim de semana foi especial para nós: todas tivemos a oportunidade de levar a família para correr em diferentes provas na cidade de São Paulo!  

A Mari e a Aline levaram as crianças para curtir a Corrida Pão de Açúcar Kids no sábado (16.09). No domingo (17), foi a vez da Ju participar da etapa Primavera do Circuito das Estações ao lado da sua mãe. Vem ver como foi!

21ª Corrida Pão de Açúcar Kids

Por Mari Frioli

Dia de sol, tudo perfeito pra garotada se divertir. A retirada de kits como sempre foi super bem organizada e rápida. Retirei no mesmo dia da prova, o que acho sempre super prático.

Para a corrida, estava tudo bem sinalizado e as largadas estavam pontuais. Achei este ano mais organizado do que nos anos anteriores, a única coisa que achei complicado é que ao entregar a criança (Dudu já tem 5 anos e corre sozinho) não explicavam onde deveríamos esperar. Por ter ido em outras edições, eu já sabia que teria que dar toda uma volta, por isso, assim que o deixei, já fui direto pro outro lado pra vê-lo correr e pegá-lo na saída. Se eu não soubesse disso, teria perdido a largada ou ele teria que ficar me esperando na saída, enquanto eu andava até lá.

O kit pré-prova (camiseta, mochila, lanchinho) e o pós-prova (mais lanchinhos e até uma toalha de piquenique – que foi super bem aproveitada pelos pais, o dia estava lindo e a grama era convidativa) estavam ótimos. 🙂

Os pontos negativos deste ano, na minha opinião, foram a medalha (em outras edições já foi bem mais bonita) e o estacionamento no ginásio do Ibirapuera (50 reais e absurdamente cheio). Quem optou por estacionar na rua, viu muitos franelinhas.

Melissa, Alice e Dudu com suas medalhas e lanchinhos! (Arquivo pessoal)

No Ginásio, havia muitas atrações e até uma corrida de obstáculos pra criançada gastar a energia e se divertir enquanto esperavam sua prova começar, o que é bacana para quem tem mais de um filho. Assim, aquele que já correu pode se divertir enquanto espera a largada do outro. 🙂

Obrigada, Pão de Açúcar, pelo convite. A criançada adorou! 😀

Circuito das Estações 2017 – Etapa Primavera

Por Ju Vargas

Eu adoro participar do Circuito das Estações, mas este ano ainda não tinha conseguido participar de nenhuma etapa porque sempre coincidia com outros compromissos… Aí, quando vi que a camiseta da etapa Primavera seria nesse lilás lindoooo, aproveitei para convencer minha mãe a participar da prova de 5 km comigo. 😉 Sim, totalmente usei o kit como uma “arma” para convencê-la! Quem nunca?! rs

Mamãe e eu com nossas medalhas! (Arquivo pessoal)

Essa foi a segunda prova da minha mãe; a primeira foi o Circuito Lótus em 2015, mas infelizmente ela lesionou o pé pouco depois e teve que parar de correr até se recuperar totalmente. Ela só conseguiu retomar os treinos este ano e achei que uma provinha era a motivação que faltava para ela se desafiar novamente na corrida de rua. 😛

Nesta etapa, era possível escolher três distâncias: além dos 5k, também haviam percursos de 10k e 21k. Quem correu as distâncias maiores largou cedinho, às 6h30. Já quem correu os 5k, como eu, só foi largar às 8h00. Achei interessante essa inversão, e com o intervalo grande as duas largadas, não vi nenhum tumulto na chegada com corredores velozes dos 10k tentando ultrapassar os dos 5k. Achei que ficou bem organizado dessa forma. A retirada do kit (no Shopping West Plaza) e do chip (na arena) também foram tranquilas.

A medalha desta etapa. Gostaram? (Divulgação/Ativo)

Foi uma experiência muito boa, como disse, essa é uma das minhas provas favoritas e espero voltar no Verão – dessa vez, para tentar fechar 2017 com o meu melhor tempo nos 5k! 😉

rsmusicrun16-ju

No útlimo sábado, rolou mais uma edição da Rolling Stone Music & Run em São Paulo, prova organizada pela Yescom que combina três coisas que eu amo: corrida noturna, música e… open bar de cerveja! 😛

A largada foi separada em três grupos: primeiro o pessoal dos 5k, pouco depois quem faria a caminhada de 3k e, uma hora depois, os 10k. Como o percurso dos 10k eram duas voltas iguais pelo Minhocão, preferi correr só 5k. E olha, ainda bem que teve essa divisão! Se a prova dos 5k já estava cheia, imagine se todo mundo fosse largar junto! Hehehehe…

Tava tranquilinha a largada dos 5k, né? rs (Divulgação)

Tava tranquilinha a largada dos 5k, né? rs (Divulgação)

Como eu saí mais atrás, tive que ultrapassar bastante gente no primeiro quilômetro. Em provas curtas, não tem jeito: quem quer correr mesmo, precisa largar mais pra frente. Chegando no Minhocão deu uma dispersada, não só porque a pista era maior, mas porque parte dos corredores decidiu seguir pela contramão —  até a organização sinalizar que era hora de voltar para o lado certo da pista porque os primeiros colocados já estavam fazendo o retorno, né! 😉

A arena foi montada no Memorial da América Latina e oferecia vários painéis com capas clássicas da revista para tirar foto, além de uma área com food trucks e tendas de alguns patrocinadores. O palco para os shows estava enorme e conseguimos ter uma visão muito boa sem precisar ficar lá na frente, sabe? Gosto de ver show mais sossegada mesmo, então adorei!

A medalha também estava linda!

A medalha também estava linda!

Confesso que fiquei meio desanimada quando vi que teria esperar terminar a prova dos 10k para começar o show principal da noite (e open bar, rs) porque achei que ficaria entediada, mas a verdade é o que tempo passou rapidinho.

Encontrei amigos, tirei muitas fotos e me diverti com a banda que fez o show de abertura, a Warriors, que tocou vários clássicos do rock nacional e internacional.

Show do Jota Quest (Divulgação)

Show do Jota Quest (Divulgação)

O show do Jota Quest, como eu esperava, foi maravilhoso. Nunca tive um CD da banda na vida, não tenho as músicas deles no celular, então não posso me considerar uma fã, mas não é a primeira vez que vou a um show deles e tenho que tirar o chapéu: os caras são muito bons no palco! E incrivelmente a gente sabe to-das as músicas, hahahaha… Do show deste sábado, eu só não conhecia uma música do novo álbum, o resto cantei de cor e salteado. A presença de palco deles é algo impressionante, sem falar na qualidade do som. Foi incrível!

O open bar também foi outro ponto que me surpreendeu muito. Imaginei que seria aquele desespero para pegar cerveja — e na primeira rodada foi mesmo, porque todo mundo estava na maior expectativa para dar 21h30 e o bar ser liberado, rs. Mas depois foi super tranquilo fazer o “refil” e mesmo quando o show já tinha acabado, com o evento quase encerrando, ainda tinha cerveja para quem quisesse beber — e gelada! Mais um ponto para a organização.

Foi a primeira vez que participei e amei a experiência. Com certeza, quero repetir no próximo ano! 😀

E você, correu essa prova? Conte o que achou nos comentários!