A corrida pode ser uma excelente válvula de escape para fases estressantes ou mesmo para organizar os pensamentos depois de um dia cheio. Inclusive, já fiz até um post aqui falando sobre como ela me ajuda a colocar a cabeça no lugar.

Com certeza, não sou única. Conheço muita gente que também faz da corrida uma forma de acalmar a mente, ou que encontrou uma resposta para algo que estava lhe incomodando depois de um bom treino. Porém, se antes isso era mais uma sensação – e podia até parecer “papo de corredor” para alguns, hahahaha… – agora tem uma explicação científica. E mais: tem um tipo de treino de corrida mais indicado dependendo do efeito que você está buscando!

Estudos com imagens do cérebro mostram que, depois de 30 minutos de exercício aeróbio, há um aumento na atividade do sistema frontal do cérebro, região que está associada justamente com a tomada de decisão, planejamento e… resolução de problemas! Para esse tipo de reflexão, um exercício mais longo e com intensidade moderada é excelente – por isso você deve voltar dos seus longões tão cheia de ideias. 😉

Já se a última coisa que você quer é ficar remoendo pensamentos e seu desejo é simplesmente parar de pensar por alguns minutos, os treinos ao estilo HIIT, como tiros de velocidade e intervalados, parecem ser a melhor pedida. Isso porque os exercícios anaeróbios e de alta intensidade fazem o corpo bombear mais sangue para os seus músculos, gerando uma espécie de déficit de oxigênio no cérebro que torna mais difícil ter pensamentos criativos e abstratos. (Mas fique tranquila que isso é só durante o exercício; a longo prazo, o efeito é benéfico e há estudos que sugerem uma melhora na memória e na atenção de pessoas sedentárias que adotaram programas de treinamento de HIIT.)

“Quando você faz exercícios que exigem um grande esforço físico, não vai ser capaz de resolver problemas ou pensar do mesmo jeito que faria durante um exercício moderado”, explica Karen Postal, professora de psicologia da Harvard Medical School e presidente da Academia Americana de Neuropsicologia Clínica em entrevista para a New York Magazine.

O que pesquisas recentes indicam é que exercícios físicos podem melhorar o foco, a concentração e a sua capacidade de pensar durante a sua execução, desde que sejam realizados com uma intensidade moderada. “Se a intensidade for baixa, não vai melhorar o seu pensamento; se for muito alta, vai tornar mais difícil ter certos tipos de pensamento”, afirma a pesquisadora.

Agora você sabe: quer refletir sobre a vida? Uma corrida longa e em um ritmo confortável (ou qualquer outra atividade aeróbia que você goste) pode ser a melhor maneira de encontrar soluções para os seus problemas. Quer dar um sossego para a sua cabeça e esvaziar a mente? Taca-lhe pau e aposte no HIIT, nos tiros ou nos intervalados para descarregar a adrenalina e o estresse. E aproveite ao máximo os benefícios da corrida! 😀

No meu último post, falei para vocês sobre minha decisão de melhorar meu tempo em provas curtas antes de me aventurar em percursos mais longos, lembram? Imaginei que algumas de vocês poderiam se identificar com esse objetivo, por isso pedi para o Eduardo Barbosa, treinador de corridas de rua da 4any1 Assessoria Esportiva que acompanha meus treinos, falar um pouco mais sobre como é o treino de corrida para atingir essa meta. 😉

correndo-5k-rapido

Quando pensamos em corrida de rua, os 5k são considerados uma distância curta, por isso perfeita para quem quer encarar o desafio de ser cada vez mais veloz. “Velocidade é a capacidade de realizar ações motoras em um mínimo espaço de tempo sem perder a eficiência do gesto motor”, explica Edu. “No caso da corrida de rua, significa se deslocar na maior distância no menor tempo possível, levando sua massa corporal no espaço.”

Para tanto, temos que melhorar a postura ao correr e fazer uma preparação específica para esse tipo de prova. “Primeiramente, é preciso treinar algumas características de velocidade como, por exemplo, a velocidade de resistência; ou seja, em alta velocidade, manter a mesma postura de corrida sem perder a qualidade de movimento. Por isso, no início da preparação você pode trabalhar os educativos de corrida“, recomenda Edu.

Outra capacidade a ser trabalhada é a velocidade de aceleração, que representa o aumento progressivo da velocidade. “A estratégia a ser usada no treinamento são os tiros de curta distância – 50, 100 e 200 metros – com intensidade forte. O objetivo é melhorar a tolerância ao ácido lático que pode se acumular no músculo causando fadiga e, como consequência, trazer cãibras que impediriam o atleta de aumentar a velocidade durante a corrida forte.”

E não é porque você não vai percorrer longas distâncias que deve deixar o fortalecimento em segundo plano! “Deve-se considerar também que a energia para esse aumento de velocidade vem dos músculos, principalmente de membros inferiores. Nesse caso, um bom trabalho de musculação deve ser realizado em dias alternados aos dos treinos de corrida, visando um aumento da força”, ressalta Edu.

Como vocês podem ver, é um treinamento que requer um acompanhamento especializado, pois quanto antes você corrigir sua postura e alguns “vícios” ao correr, melhor será a sua evolução. “A melhor maneira de otimizar um treinamento de velocidade é conversando com um treinador especialista ou profissional da área de Educação Física para que seja realizada uma avaliação física e a periodização do treino de acordo com suas atuais condições físicas”, lembra Edu.

Além de ser uma boa oportunidade para aprender a correr com mais eficiência, um treino com foco em velocidade e força para as provas de 5k é uma ótima estratégia para melhorar a resistência nas demais distâncias.

Ficou animada para diminuir seu pace? Esse pode ser um bom objetivo para 2016! 😉

Bons treinos e divirtam-se!

post_parceiros_4any1_2015

1