Olá, mulherada! Hoje é dia de resenha aqui no blog! 😀

Dentro da linha de Performance da Skechers, os modelos GOmeb Speed, assinados pelo maratonista Meb Keflezighi, são destinados aos corredores que buscam um tênis leve e com drop baixo. Eu já era fã do Skechers GOmeb Speed 2, e a versão 3 “reloaded” do modelo não me decepcionou! Agora conto um pouco mais sobre o que achei dele.

O Skechers GOmeb Speed 3-2016 tem cabedal em GOknit, praticamente sem costura (Divulgação)

Mas como assim versão 3 “reloaded”?

A Skechers lançou o GOmeb Speed 3 em 2015 nos Estados Unidos com seu cabedal tradicional e, no ano seguinte, fez uma nova versão trocando o material dessa parte de cima do tênis por uma malha em GOknit, tecnologia que se assemelha ao crochê e é produzida em uma peça única, quase sem costuras. Como a mudança foi apenas no cabedal, mantendo o solado e as demais tecnologias, ela ganhou o nome de 3-2016.

Design

Mais leve e minimalista, esse tênis fica super delicado nos pés. Adorei inclusive para looks casuais porque ele é bem sequinho mesmo.

Além disso, o modelo foi lançado em muuuuuitas cores diferentes, tanto no feminino como no masculino. Para a mulherada, são três variações mais neutras em preto e branco com detalhes em pink, lilás ou roxo clarinho, e três opções mais coloridas. Como nos demais modelos da Skechers, o tênis vem com um par extra de cadarços em cor diferente. O único porém é que não é um modelo tão fácil de encontrar, especialmente as cores femininas.

Cores femininas do Skechers GOmeb Speed 3-2016 (Divulgação)

Amortecimento

Por ser um tênis de competição, ou seja, mais indicado para provas e treinos de velocidade do que para aquele longão do fim de semana, o amortecimento é menor, inclusive quando comparado ao de outros modelos da própria Skechers. Para quem prefere leveza a amortecimento, e está acostumado com esse tipo de calçado mais baixo, achei o amortecimento suficiente. O principal diferencial do solado é, na verdade, uma placa de estabilidade no mediopé para uma resposta rápida à pisada.

Conforto

Como já comentei, a principal atualização foi no cabedal, agora em GOknit, tecnologia que se assemelha ao crochê. Esse material tem mais respirabilidade e flexibilidade que o tradicional. Toda a parte de cima do tênis é uma peça única praticamente sem costuras, para um ajuste mais seguro e confortável. O forro interno é em microfibra, também quase sem emendas. A língua dele é mais fina para encaixar melhor nos pés. Usei tanto com e sem meias e não tive nenhum problema com bolhas.

Peso, Pisada e Drop

Esse é um modelo bem leve, com 150 gramas no tamanho 36 e 204 gramas no tamanho 41. O drop é baixo, com 4 mm, e é mais indicado para quem tem pisada neutra.

Tecnologias

  • GOimpulse™ Sensors – sensores independentes para uma experiência de corrida mais responsiva.
  • M-Strike® Technology – promove a pisada com a parte central do pé ao invés do calcanhar.
  • Cabedal em GOknit – material exclusivo quase sem peso algum, confortável e respirável.
  • Detalhes de sobreposições do cabedal em Hotmelt sintético – mantém o calçado seguro e estável.
  • Entressola em Resalyte® – material injetado leve com retenção de memória para amortecimento e que proporciona flexibilidade, retorno de energia e absorção de impactos.
  • Dupont® Delrin® – placa de estabilidade no médio pé para uma corrida segura com o mínimo de peso.

Custo x Benefício

O cabebal em GOknit deixou o tênis mais confortável, bonito e durável, mas também teve um impacto no preço. O valor suegerido pela marca é de R$ 599,90. Não é a opção mais barata dessa categoria… A boa notícia é que, apesar de o GOmeb Speed 3-2016 ser o modelo mais recente dessa linha disponível no Brasil, a versão 4 já foi lançada nos EUA, então ele deve entrar em promoção logo mais. 😉

Já se você não faz questão do GOknit, é possível encontrar o GOmeb Speed 3 (2015) entre R$ 219 e R$ 249 pela Internet. As cores e o design são um pouco diferentes, mas as demais funcionalidades são bastante similares – afinal, tirando o cabedal, os modelos são idênticos.

Curiosidade

O GOmeb Speed 3-2016 foi o modelo escolhido pelos atletas patrocinados pela Skechers para as provas dos Jogos Rio 2016. O maratonista Paulo Paula, melhor brasileiro na maratona olímpica, e o atleta Caio Bonfim, quarto lugar na marcha atlética de 20km e nono na de 50km, usaram e endossam o tênis. Nos EUA, quem também ganhou uma versão personalizada do modelo foi a maratonista Kara Goucher, que correu com ele nas eliminatórias das Olimpíadas, ficando em quarto lugar.

Essa cor especial usada pelos atletas da Skechers não ficou linda? (Divulgação)

Opinião Geral

Esse tênis foi pensado para maratonistas, mas ele vai bem também em provas mais curtas. Por ter um drop baixo e menos amortecimento, algumas pessoas não recomendam para corredores iniciantes, mas eu acho que isso vai um pouco de gosto pessoal também. Particularmente, eu prefiro tênis mais leves e baixos para ter aquela sensação de “pé no chão”, sempre foi o tipo de tênis com que me adaptei melhor, então vale a pena experimentar e ver como você se sente. Sem falar que ele fica uma graça nos pés e pode quebrar o galho no dia a dia para looks casuais. Por essa versatilidade e o peso levinho, virou um dos meus tênis favoritos para levar em viagens.

Treinos, provas e no casual: aprovado!

Compre online: Netshoes | Submarino | Procorrer | Velocità

No ano passado, eu e Aninha fomos no 2º Meeting de Nutrição Esportiva que rolou aqui em São Paulo e foi lá que eu ganhei o Karoço e a Pasta La Pianezza. Demorei bastante para provar a Pasta La Pianezza, por isso só vim agora falar pra vocês sobre o que achei dos produtos.

Pasta La Pianezza

pasta

No dia do evento tive a oportunidade de degustar todos os sabores de pasta que eles fabricam no stand deles.

A Pasta La Pianezza tem como matéria prima a biomassa de banana. Tão queridinha nos dias de hoje foi esse ingrediente que fez meus olhos brilharem para os produtos #confissões Depois de provar todas, os sabores que mais me chamaram atenção foram: sardela e tomate com jalapeño. Eu não gosto de sardela, mas achei a pasta deles bem saborosa e comeria numa boa como petisco. Mas como sou fã de pimenta, a que mais me atraiu foi a Pasta de Tomate com Jalapeño.

Ganhei um pote para poder experimentar com calma em casa. Passei a pasta no pão de linhaça para acompanhar a cerveja gelada (cof, cof,cof). A combinação ficou excelente, exceto por um motivo: depois de alguns pedaços do pão, achei que o sabor do pimentão prevalecia sobre o da pimenta e meu deu azia. Adoro o sabor do pimentão indiretamente na comida, mas não como ele (sempre dou “aquela catada” #5anosfeelings) porque fico conversando com o dito cujo um tempão. Minha dica: aposte na sardela e deixe seus lanches e aperitivos mais saudáveis e saborosos.

Karoço

karoço 1

Vocês sabiam que o Karoço ganhou o prêmio de “Produto Funcional mais Inovador”? Eu conheci o Karoço através do post de algum perfil que eu sigo no IG. Fiquei curiosa por causa dos benefícios listados e atribuídos a ele: zero açúcar, glúten e lactose e rico em antioxidantes.

Como eu sou gente fina e não confio na minha opinião quando o assunto envolve doce, verifiquei com as meninas do blog quem mais havia experimentado o Karoço para que eu pudesse colocar outro ponto de vista além do meu.

assinaturas_jufer-96x96Acho que eu devia estar meio lelé no dia que eu sonhei que gostaria desse treco. Era tragédia anunciada: não gosto de açaí e não gosto do sabor do guaraná, mas era tantos benefícios e eu numa vibe tão “irei adquirir novos hábitos” que  eu meti as caras. Meti mesmo porque provei a caixinha toda.  Consumi o Karoço no lanche da tarde em porções por 3 dias seguidos. Mas na boa? Não rolou! Pra mim não rolou mesmo.

O gosto de açaí não foi o problema, na verdade ele não tem aquele gosto de terra que o açaí tem, manjam? Mas o sabor de guaraná é bem presente. Mas sabe o que mais me incomodou? O sabor do adoçante. Super forte e foi ele que me fez desistir do Karoço.

 

assinaturas_aninha-96x96

Tanto eu como a minha mãe experimentamos o Karoço e aprovamos! Mas por ser concentrado, dividimos o pacote. Como gosto de açaí, prefiro comer sem misturar com iogurte…”

 

 

1