No mês passado estava pesquisando tênis novos e fiquei super na dúvida: qual a minha pisada? Qual tênis eu compro?

Descobrir qual seu tipo de pisada é extremamente importante para quem quer correr cada vez mais e melhor, pois utilizando o tênis errado você pode lesionar joelhos, coluna e tornozelos. Com o tênis certo você evita lesões, vícios posturais e corre com mais conforto. 😉

Cada corredora tem uma forma de pisar, pois a pisada é de acordo com as características anatômicas de cada individuo. Mas os ortopedistas costumam generalizar em três tipos de pisadas:  pronadasupinada e neutra.

Qual a diferença entre elas? A pronada é aquela que se inicia do lado externo do calcanhar, ou algumas vezes um pouco mais para a parte interna, para então ocorrer uma rotação acentuada do pé para dentro, terminando a passada perto do dedão. A supinada é quando o pé toca o solo com a face externa do calcanhar e se mantém na banda externa do pé terminando a pisada na base do dedinho. E por fim, a neutra é aquela que se inicia o contato com o solo do lado externo do calcanhar e então ocorre uma rotação ligeiramente para dentro, terminando a passada no centro da planta do pé.

Tipos de pisadas

Lendo parece fácil descobrir a pisada, mas na hora que você está correndo é bem complicado distinguir. Tentei e desisti, achei que era uma coisa, depois outra, e daí comecei a procurar por formas de saber direitinho qual era minha pisada.

Então, como descobrir sua pisada? 

Há diversas formas de descobrir qual a sua pisada, a mais eficiente é fazendo um teste de barapodometria. O teste de barapodometria  é uma análise computadorizada dos pés utilizando uma plataforma sensível a pressão com sensores piezoelétricos com a mais alta concepção de tecnologia, conectado a um computador o qual utiliza um software apropriado para visualizar imagens coloridas e dados estatísticos, com um alto valor diagnóstico. Esse equipamento analisa os pontos de pressão plantar exercido pelo corpo, tanto em posição estática quanto em movimento.

Em algumas clínicas este teste é bem carinho, então existem outras formas para sabermos nossa pisada sem gastarmos tanto. Uma delas é observar o tênis que você utiliza para correr, coloque-os numa superfície plana e observe qual o lado dele está mais gasto. A outra forma é o teste do pé molhado explicado na imagem abaixo.

Teste da Pisada - Revista Contra Relógio

Na revista Contra Relógio (Janeiro de 2009) eles publicaram como fazer o teste do pé molhado.

Mas ambos os testes “caseiros” dão apenas uma noção da pisada e não uma certeza. Então ainda com dúvidas fui atrás de um teste para saber direitinho e comprar um bom tênis pra mim. Acabei descobrindo que a loja Mundo Corrida oferece o teste da pisada de graça para qualquer pessoa que for até uma das lojas da franquia, o teste não é igual ao de barapodometria, mas é bem parecido e melhor do que só fazer os testes caseiros. A loja tem quatro endereços: no Rio de Janeiro (Av. Ataulfo de Paiva, 355), em Minas Gerais (Av. dos Bandeirantes, 1350 – Loja 1), em São Paulo (Av. Brigadeiro Luis Antonio, 4919) e no Distrito Federal (SCLS 211, Bloco C – Loja 17).

Cheguei lá, solicitei a um dos vendedores e prontamente o Anderson me atendeu, aqui em São Paulo o teste fica no andar superior da loja. Subi e fiz o teste.

O teste é bem legal, primeiro você sobre numa plataforma (a mesma do teste de barapodometria) para saber onde você faz força no pé para se manter ereto. Aqui você já descobre se sua pisada é neutra, pronada ou supinada. Logo depois, você sobe em outra plataforma e quem te atender fará umas marquinhas para ao correr na esteira o equipamento identificar a sua pisada em movimento.

Teste da Pisada

Depois é subir na esteira e correr um pouquinho. Quando você descer ele já terá seu resultado. No meu caso, minha pisada é neutra. O Anderson foi super atencioso, segurou até meu filho para eu fazer o teste! 😉

Teste da Pisada

Como já falamos é super importante saber qual é a sua pisada, as fábricas de calçados utilizam toda a tecnologia existente para melhorar a absorção do impacto e evitar entorses, então ao comprar o tênis certo você poderá utilizar tudo que o modelo oferece e evitar as lesões. Se você tem a pisada neutra, o calçado ideal é aquele que se enquadra entre o amortecimento e a estabilidade, para a supinada, um que aumente o amortecimento e a flexibilidade, e para a pronada, um calçado menos flexível, com mais estabilidade e controle do movimento. 😉

E ai? Já sabe qual é a sua pisada?

Olá mulherada!

Hoje é um dia super especial pra mim, meu aniversário de 30 anos! Eu adoro comemorar aniversário, fazer festa, comer bolo e neste dia tão especial resolvi contar minha história com a corrida, história breve, mas que pretende ser muito longa, porque eu me vejo correndo com 90 anos! 😉

Minha Corrida - Aniversário

Eu sempre gostei de praticar esportes, quando criança fiz balé e jazz (adorava) e na época da adolescência eu adorava as aulas de educação física da escola, participava de todos os times, jogava de tudo: vôlei, handebol, basquete, futebol… mas era boa na defesa, então não corria tanto.

Depois da escola, entrei na faculdade, comecei a trabalhar e a única coisa que eu fiz durante anos foi caminhar da faculdade até a estação de trem, e do trem até o trabalho. Trabalhando sentada o dia todo, claro que engordei muito. Então antes de casar, aos 23, fiz academia pra emagrecer e ficar bonita no vestido e foi quando me apaixonei pelo spinning, depois de casada ganhei uma bicicleta ergométrica que foi minha melhor companheira até este ano quando eu descobri a corrida! 😀

A corrida entrou na minha vida graças às meninas que dividem este blog comigo <3, elas se animaram com a corrida M5K do Mc Donald’s e me chamaram pra correr, pensei “se eu não conseguir correr, vou caminhando”, treinei um dia com duas amigas e no dia da corrida peguei conjuntivite e não pude correr. 🙁 Isso me desanimou muito, elas continuaram indo em provas e eu nem treinava. Mas ai veio o ano novo e as mil resoluções que a gente adora fazer, e botei lá na listinha “correr”. No primeiro dia deste ano peguei o celular, calcei o tênis e fui correr, não aguentei nem 300 metros. Caminhei outros 3 km e achei que correr não era minha praia, mas como queria emagrecer muitos quilinhos a mais, decidi tentar em outra oportunidade.

Até março eu só tinha tentado outras duas vezes, mas a falta de segurança nos parques era a minha desculpa pra nunca ir correr, nestas duas oportunidades descobri que podia correr mais, 500 metros, mas depois caminhava outros 4 km. Foi somente no dia 13 de março que decidi que ia correr e participaria das provas com as meninas, fui numa academia perto da escola do meu filho (Eduardo está com 1 ano e 5 meses, meu futuro companheiro de corrida :)) e me matriculei (tchau desculpa da falta de segurança!). No dia seguinte lá estava eu correndo na esteira.

A primeira corrida na esteira foi a motivação que faltava, trotei por 3 km e caiu a ficha “sim, eu posso correr!”, confesso que fiquei em choque, saí da esteira achando que eu tava dormindo, afinal, como era possível eu não aguentar correr nem 300 metros e sair correndo 3 km de uma vez? Daí pra frente ganhei confiança e fui aumentando a velocidade, a distância e batendo meus recordes pessoais.

Tudo isso em conjunto com muita leitura (aqui no blog a gente tem postado vários assuntos ótimos pra quem está começando), com um check-up médico (mega importante) e com um treino de musculação para fortalecimento montado por um educador físico (porque eu morro de medo de me lesionar).

Minha Corrida - Mariana Frioli

Correndo. 🙂 1. Tirando o celular pra ver o tempo. 2. Correndo num shopping. 3. Chegada que eu assisto e não acredito que sou eu! 4. Primeira corrida noturna!

Na minha primeira prova de corrida de rua, no dia 7 de abril, fiz 5 km em 32min28seg e corri a prova inteira, super animada no dia seguinte peguei ainda mais firme nos treinos, comecei a treinar subidas (pois na prova tinha uma e achei que fosse morrer, rs) e de lá pra cá já baixei meu tempo para 29min50seg. Entre começar a correr, fazer minha primeira e fazer a terceira prova (onde baixei meu tempo) passou um mês. Eu ainda me pego vendo os vídeos da chegada e pensando “nossa, sou eu mesma ali terminando uma prova?”. É inacreditável! E é o maior exemplo de “se eu posso, você também pode“.

Quando me perguntam o que eu fiz, sempre respondo “Tenho muita motivação e foco, aprendi a gostar de academia e perdi o medo de ir correr nos parques”. Tô completamente apaixonada pela corrida, acho que finalmente achei um esporte para chamar de meu, rs. 😀

Sei que tem muitas leitoras que ainda não correm, mas querem, e a dica que eu dou para quem está iniciando é ir testando seus limites, alternando corrida com caminhada. Começar na esteira deixa tudo mais fácil, afinal, no começo é difícil você ter noção de velocidade correndo na rua, na esteira você escolhe a velocidade e vê se o esforço foi tranquilo ou foi de matar e vai variando, com toda certeza você irá encontrar um ritmo que consegue correr confortavelmente. Daí pra frente é só treinar e tomar cuidado com as lesões, eu tenho uma regra e nunca infrinjo “se sentir dor, pare de correr e caminhe” (principalmente no começo, que você está se acostumando e não conhece seus limites), pois pode ser que você esteja fazendo algo errado (pisando errado, respirando errado, etc).  E claro, vá fazer um check-up e procure um educador físico para te orientar, com saúde não se brinca. Acho que esse é o primeiro passo para quem quer correr por muito tempo! 😀

Hoje, já estou treinando pra baixar meu tempo (treino 4x por semana, 3 em esteira e uma na rua/parque) e tive a necessidade do apoio de uma nutricionista e também de seguir uma planilha de treinos, estou gostando bastante de ter mais esse incentivo. Espero que vocês fiquem motivadas e saiam correndo! Contem comigo e a mulherada desse blog para ajudar nessa empreitada, quem sabe a gente não corre juntas por aí?