Olá mulherada!

A gente sabe bem como é ter uma vida corrida, não conseguir achar um horário pra treinar, mas querer treinar tanto que fica sempre tentando achar um espacinho durante o dia pra correr, pra fazer musculação… já dei aqui 7 dicas para agilizar a rotina, mas e quando acontece algo e bagunça toda a rotina?

Pensando nisso juntei nesse post um monte de dicas para te ajudar a conseguir dar aquele “check” no treino quando você não tem muito tempo. 😀 Eu, Aline e Ju vira e mexe temos que adaptar nossa rotina pra incluir um treino num horário que não estava programado, por conta de trabalho, MBA, evento, ou os filhos que ficaram doentes. Não é fácil não, mas é possível!

O grande segredo pra conseguir manter uma rotina de treinos é saber se adaptar, se você tiver um treinador, ficará mais fácil. Do contrário, o segredo é fazer os seus treinos normais quando puder e quando estiver naquele dia mega corrido, optar pelos treinos curtos e de alta intensidade.

Não tem tempo para correr durante uma hora? Que tal uma corrida de 30 minutos pela manhã ou no horário do seu almoço? Só não pule o longão do fim de semana, para este se programe para acordar mais cedo ou se o fim de semana está complicado, faça-o na sexta-feira. Lembrando claro que essa não é uma indicação para você fazer sempre, mas se você está seguindo uma planilha, tem uma prova pela frente, é melhor adaptá-la do que não fazer o treino. 😉 Então durante a semana para aqueles treinos específicos, adapte, se você não tiver um treinador de corrida, mas tiver um instrutor na academia, vale uma conversinha com ele antes, ele pode inclusive te dar algumas dicas que facilitarão seu treino. Se você está por conta própria, sugiro fazer o mesmo treino da planilha que está seguindo, mas terminando antes. Melhor evitar o risco de uma lesão, né? Porque uma lesão pode complicar ainda mais seus treinos.

Agora se o treino é de musculação, os treinos curtos e de alta intensidade ajudam, pois com 30 a 45 minutos você consegue bons resultados. Sem contar que eles são muito eficazes para a perda de gordura, pois aceleram o metabolismo, fazendo com que o corpo continue reduzindo calorias por algumas horas depois dos exercícios, uma vez que as atividades de alta intensidade proporcionam um aumento considerável da taxa metabólica.

O professor Gabriel Doratioto, especialista da SmartFit (uma ótima opção de academia, já que ela tem em diversos lugares – dependendo do plano você pode utilizar a mais próxima – e o preço é bem em conta), sugere três exercícios: o HIT (High Intensity Training, ou treinamento de alta intensidade), o HIIT (High Intensity Interval Training, ou treinamento intervalado de alta intensidade) e o Smart Shape que são treinos rápidos, em média de 45 minutos. O HIT é um treino ondulatório realizado na esteira, sem intervalo, que oferece 15 sugestões diferentes de exercícios, atendendo a pessoas com diversos níveis de condicionamento físico, desde o iniciante até o atleta profissional. O HIIT são exercícios intercalados realizados apenas com o peso corporal, e que também pode ser feito durante a musculação ou em uma área livre, com uma TV instalada, na qual os participantes podem acompanhar as orientações para diferentes treinos. Já o Smart Shape é um circuito funcional que varia grupos musculares utilizando o peso corporal e equipamentos, elaborado de forma que atende a praticantes de diferentes níveis de condicionamento. Durante a aula de 30 minutos, o aluno passa por quatro estações: step deck, halteres e duas de air bike, em seis rounds de 30 segundos de execução e 15 segundos de descanso em cada uma das estações.

Para o treino curto de força dar certoo ideal é que os exercícios sejam multiarticulares, ou seja, passem por todos os grupos musculares, como agachamento, flexão, abdominal, remada, entre outras variações, sempre com o objetivo de fazer com que o organismo sofra uma adaptação após a sessão de treino”, destaca o especialista. As adaptações pós treinos intensos vão fazer com que o indivíduo aumente a sua capacidade e eficiência na utilização da gordura como fonte de energia durante o restante do dia, assim o seu metabolismo melhora e o corpo não utiliza a fonte de energia proveniente do músculo.

Dizem que um treino curto é melhor que nada, não é? Se for bem aproveitado, pode fazer toda a diferença nos seus treinos. Por aqui a gente sempre usa os recursos que temos disponíveis por perto, correr num parque perto do trabalho ou perto do local que estaremos, fazer musculação logo cedo em casa mesmo, usando o peso do corpo ou poucos aparelhos (eu tenho halteres, faixa elástica, bola suiça, kettlebel e um colchonete). Há ainda diversos vídeos no YouTube (mas faça sempre com atenção para não se machucar) e há diversos apps que ajudam nisso, já falamos aqui no blog de vários aplicativos para corrida e treinos de força, vale dar uma olhada. 😉

E é isso! Não dá pra fazer aquele treino longo, bora pro treininho curto, o importante é não parar e furar o treino! 😉 

O título do post foi inspirado no que a Ju fez há um tempo atrás. E hoje vim contar um pouco como está minha rotina de treinos, como tenho consigo, ou tentado manter os treinos.

Eu e minhas companheirinhas de sempre <3

Apesar de lermos, conversarmos e falarmos, quando nos tornamos mãe é que realmente sabemos o quanto isso impacta em todas as áreas da vida. É um giro de 360° e muitas vezes a gente acha que as coisas vão começar a engrenar e vem algo que vai lá e lembra que cada dia pode ser uma dia, por mais que você tenha feito um planejamento, adiante as coisas e pense em todas as variáveis.

E ao longos desses 2 anos e 4 meses desde que a Alice nasceu, eu fui aprendendo isso. Depois com a Melissa se intensificou mais e ainda sigo aprendendo muitas coisas e me adaptando. Se elas ainda tem muito a aprender do mundo, eu ainda tenho muito o que aprender na maternidade. Cada fase te exige algo.

Esses primeiros parágrafos, foram para explicar, como acabei internalizando de verdade a frase: feito é melhor que perfeito. Super clichê, mas é verdade. Por muito tempo, eu quis treinar em horários super cedo, fazer um número de treinos x por semana, tentar a todo custo alcançar alguns objetivos e onde eu terminei? Me frustrando, eu já falei no blog sobre isso, neste post.

Após mais um treino

Depois daquele post, segui treinando, mas muitas coisas aconteceram novamente e tive que me reinventar, mais trabalhos, as meninas me pedindo mais atenção e eu não consegui sair para treinar todas vezes que eu queria. Fomos seguindo assim, até que depois de tentar, tentar e tentar encaixar os treinos, eu parei e revi, toda a minha rotina.

Por aqui, as meninas ficam na parte da manhã comigo e vão depois para a escola, eu trabalho na parte da tarde em casa e alguns dias preciso sair. Aos finais de semana, nem sempre é fácil encaixar os treinos, as meninas exigem atenção e fica complicado. E para somar a tudo isso, eu não consigo acordar super cedo ainda, tipo 5 ou 6h, elas ainda acordam algumas noites e assim seguimos, com um cansaço que acho que me acostumei já rs, mas que me impede ainda de levantar muito cedo da cama.

Depois de analisar esses pontos, eu sentei e montei o meu plano. E o resultado foi minha rotina-alvo e a rotina possível. No momento, estou na minha rotina possível, que é correr 3 vezes por semana e alguns dias consigo encaixar a musculação, logo depois que deixo elas na escola. É corrido? Super! Mas é o que tenho conseguido fazer no momento. Vou rapidinho, treino e vamos seguindo assim.

Um degrau de cada vez, sempre!

Estou bem satisfeita que neste último mês, não pulei nenhum treino (VIVA!), embora tenha ajustado alguns dias. Estou bem feliz, que vejo que estou evoluindo novamente na corrida e estou aos poucos caminhando para meu objetivo maior que ainda não tem data definida 100%, mas completarei neste ano!

Para maio, o que eu quero e tenho adiado horrores é começar uma reeducação alimentar e chegar no peso que desejo. Ontem fui na feira e adiantei as refeições da semana, vamos ver como vou me sair, se este mês eu terminar comendo direito, já estarei bem satisfeita. 🙂

E como é por aí? Como vocês equilibram todas as áreas da vida? Compartilhe nos comentários, vamos trocar experiências. 🙂