Sempre que planejo minhas refeições no dia a dia, tem dois momentos super importantes que me deixam na maior dúvida sobre o que comer: o pré e o pós treino! 😀 Escolher os melhores alimentos para manter a saúde, controlar o peso e a composição corporal e ainda aumentar o rendimento nos treinos não é tão fácil assim… E aí eu acabo comendo sempre as mesmas coisas, sem conseguir variar muito! Alguém se identifica?

De fato, não tem uma resposta simples. “A necessidade de energia e de determinados alimentos varia de acordo com o tipo de exercício, seu tempo de duração e intensidade, e também com o indivíduo em si. Afinal, nenhum metabolismo é igual”, explica Juliana Galvão Casali, nutricionista e personal diet da Integrata Saúde. “Para que o manejo dietético seja eficaz, é imprescindível que ele seja individualizado e acompanhado de anamnese dirigida e análise periódica do indivíduo.”

Tendo isso em mente, pedimos para a Ju compartilhar aqui no blog algumas orientações gerais e ideias de lanchinhos práticos para antes e depois dos treinos. São apenas sugestões, que podem (e devem!) ser adaptadas para cada pessoa. Em caso de dúvida, consulte um nutricionista.

Pré-Treino

Segundo a nutricionista, a refeição que antecede o treino deve ser composta por alimentos de alta digestibilidade, de preferência carboidratos. Evite alimentos ricos em gorduras e em proteínas, que podem permanecer por um período mais prolongado no sistema digestório. “Os carboidratos reduzem a sensação de desconforto e fornecem energia de forma mais eficiente e rápida”, orienta.

Algumas sugestões do que comer: 

  • 1 Banana (ou qualquer fruta da preferência) com 2 colheres de chá de aveia
  • 1 pedaço pequeno de bolo simples caseiro (sem recheio e sem cobertura)
  • 1 pedaço de batata-doce cozida ou assada
  • Lanche natural (pão integral francês ou de forma ou sírio + queijo branco + tomate + alface)
  • Tapioca com queijo branco, tomate e orégano
  • Pão francês ou torrada com requeijão ou pasta de queijo tipo Cottage ou geleia da preferência

Quando comer:  de 1 hora a, no máximo, 3 horas antes do exercício.

Pós-treino

“O objetivo principal da alimentação após o exercício é reabastecer as reservas musculares e hepáticas de glicose, otimizando a recuperação muscular”, ressalta a nutri. Por isso, além das proteínas, é fundamental a ingestão de carboidratos e JAMAIS esquecer da hidratação com água pura!

Algumas sugestões do que comer: 

  • Vitamina com 2 porções de frutas batidas com leite desnatado
  • Iogurte desnatado com 1 colher de chá rasa de granola ou aveia/linhaça/chia
  • Omelete de 2 claras e 1 gema com 1 fatia media de queijo branco, orégano e tomate
  • Massa de panqueca recheada com ovo, berinjela (ou outro vegetal da preferência), tomate e manjericão
  • Crepioca
  • Lanche natural com atum, requeijão e salada à escolha

Quando comer: até 1 hora após o exercício é o ideal. Se você tem dificuldades para comer logo depois de treinar, experimente opções líquidas, como as vitaminas.

Importante: essas opções e suas respectivas porções foram pensadas para praticantes de atividade física que necessitem, em média, de 2.000 Kcal/dia e que não tenham restrições alimentares ou patologias associadas, ok? Se você tiver alguma dúvida sobre o que seria mais indicado no seu caso, procure um nutricionista para que ele possa montar uma dieta específica pra você, sua rotina e seus objetivos – o que é bemmm mais legal, seguro e eficaz. 😉

E você, o que costuma comer antes e depois dos treinos? Conta pra gente nos comentários!

Juliana Galvão Casali (CRN3-47.567) é nutricionista especializada em pediatria e nutrição infantil, e personal diet. Realiza atendimentos e acompanhamento nutricional de recém-nascidos, crianças, adolescentes e adultos, incluindo gestantes e lactantes, educação nutricional, treinamento nutricional para babás e cuidadoras e tratamento de dificuldade alimentar. Atende na clínica Integrata Saúde, em São Paulo (SP).

Você já ouviu falar sobre Ribose?

A ribose (ou d-ribose) nada mais é que um carboidrato simples que integra a formação de uma série de estruturas químicas do nosso corpo, como ácido desoxirribonucléico (DNA), ácido ribonucléico (RNA), adenina nucleotídeos (componentes energéticos),  adenina trifosfato (ATP), adenina monofosfato (AMP) e adenina difosfato (ADP). Ela pode ser encontrada em alimentos como brócolis e espinafre, ou também na forma de suplementos, normalmente vendidos em pó para serem dissolvidos em água, sucos, shakes etc.

Para quem pratica atividade física, o consumo desse suplemento reduz a sensação de fadiga e melhora a resistência em treinos mais longos e intensos, além de acelerar a recuperação do corpo após o exercício, já que ajuda a repor os estoques de energia do corpo mais rapidamente.

Há algum tempo, estou testando suplementos diferentes nos meus treinos para ver como o meu corpo reage e um desses testes foi usando a D-Ribose da Naiak como pré-treino. A inicação é tomar 1 hora antes do exercício. Cada sachê vem com uma dose de 5 gramas em pó, para ser dissolvida em 200 ml de água ou qualquer outro líquido da sua preferência.

Eu sempre tomei com água por ser mais prático, mas o sabor é bem neutro e não deve atrapalhar no gosto de outras bebidas. Adorei que ele quase não se faz notar, porque tem uns suplementos aí que vamos combinar… Precisa de coragem extra para encarar! 😛 Outra coisa que gostei muito foi que ele vem em sachês individuais na dose certinha, então fica bem mais fácil de levar na bolsa do treino. E cada sachê tem apenas 20 kcal. 😉

Na embalagem, também é indicado o consumo de um segundo sachê de D-Ribose 1 hora após o treino, mas como eu não estou com uma rotina tão intensa de exercícios, não senti necessidade de tomar mais que uma dose por dia. Para um treino mais exaustivo, ou para quem costuma combinar duas práticas de exercício na sequência, por exemplo, vale conversar com seu nutricionista e experimentar para ver como o corpo responde.

Algumas pessoas relatam melhora no desempenho e aumento da força muscular com o uso contínuo da D-Ribose. Eu, particularmente, não notei uma diferença muito significativa no meu rendimento, mas é importante destacar que estou treinando mais para manter a forma do que com um objetivo de performance específico. Já em relação à recuperação do corpo, de fato, eu me senti menos cansada após os treinos em que usei a D-Ribose.

E tem uma explicação para isso! Segundo Leandra Sá de Lima, consultora farmacêutica da Naiak, “estudos mostram que as reservas de energia (ATP) do corpo podem decrescer de 60% a 70% durante exercícios exaustivos e levar mais de 72 horas para serem adequadamente repostas. Com o uso da D-Ribose, o tempo de reposição cai para apenas 12 horas”. Foi exatamente o que percebi, no dia seguinte parecia que eu estava “zerada”.

Gostei bastante do produto e atendeu minhas expectativas. Se você está se sentindo meio cansada e quer aumentar sua tolerânica às atividades físicas, acho que vale a pena conversar com seu médico ou nutricionista sobre a d-ribose e testar.

E você, já usou a ribose? Conte o que achou nos comentários!

D-Ribose Repositor Enerético
Marca: Naiak
Preço Sugerido: R$ 105,00 (embalagem com 30 saches de 5g)
Onde comprar: Naiak | Farmacotécnica