Quando começamos a praticar uma atividade física, o ideal é fazer um check-up completo para avaliar não apenas como está o nosso condicionamento, mas a saúde do nosso corpo como um todo. E isso inclui ir ao dentista! 😉

A atenção com a saúde bucal pode ter um papel significativo no seu desempenho esportivo, seja você uma corredora amadora ou profissional. Tanto que existe uma área específica da odontologia designada para lidar com a saúde do atleta, sabia? Conversamos com a equipe da Integrata Saúde, clínica parceira do blog, para saber um pouco mais sobre o tema!

A Odontologia Esportiva é a especialidade que visa cuidar da saúde bucal daqueles que praticam atividades físicas frequentemente, prevenindo e tratando doenças ou traumas que podem interferir no seu rendimento e no seu bem-estar, de modo geral.

Segundo Camila Gallo e Regiane Evaristo, cirurgiãs dentistas da Integrata, um dos fatores mais comuns que pode comprometer a performance é a má oclusão. “Essa condição, caracterizada por uma deficiência no encaixe ideal entre dentes superiores (maxila) e dentes inferiores (mandíbula), pode causar problemas posturais, musculares e respiratórios”, explicam.

Outros fatores também podem interferir, como disfunções na ATM (articulação temporo mandibular), ausência de dentes, cáries, inflamações, o hábito de respirar pela boca, prescrições de medicamentos inadequados e riscos de fraturas ou lesões em dentes, lábios, língua e bochechas.

“As inflamações bucais e a presença de cárie podem desencadear um processo de contaminação sistêmico, com riscos de endocardite, artrite, infecções pulmonares, diabetes, entre outras doenças que comprometerão o desempenho do atleta, além do seu estado de saúde geral”, orienta a dra. Camila.

Em alguns casos, também pode ser indicado o uso dos protetores bucais. “Eles agem distribuindo e dissipando sobrecargas depositadas nos dentes e na musculatura, diminuindo o risco de fraturas e traumas durante a prática esportiva, algo comum em atividades que estimulam hipertrofia muscular ou em que há confrontos corporais.”

Por isso, é importante se consultar periodicamente com um Cirurgião Dentista e avaliar sua saúde bucal. “Aliando-se a exames complementares e equipe multidisciplinar, e levando em consideração o esporte que é praticado, é possível planejar e eleger um tratamento, preventivo e eficaz, que melhor se adeque ao paciente e às suas atividades”, finaliza Camila.

A prática esportiva é sinônimo de saúde e bem estar. Cuide-se, faça um acompanhamento e pratique esporte de forma consciente!

Dra. Camila C. Gallo Cabral
CRO/SP 103.613
Cirurgiã Dentista com graduação em Odontologia pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP), onde atuou na Clínica de Prevenção em Odontopediatria. Especialista em Dentística Restauradora com foco em Estética pelo Cetao. Membro da American Dental Association (ADA) e da Associação Brasileira de Odontologia Estética (Aboe). Atende na clínica Integrata Saúde em São Paulo, SP.

Dra. Regiane dos Santos Evaristo
CRO/SP 122.832
Cirurgiã Dentista com graduação em Odontologia pela Universidade Nove de Julho (Uninove). Atende na clínica Integrata Saúde em São Paulo, SP.

 

pilha-de-tenis-de-corrida

É, mulherada, não tem jeito… De vez em quando a gente tem que falar de assuntos mais “escatológicos” – ou melhor, biológicos! – aqui no blog. Hahahaha… Afinal, transpirar durante a atividade física é completamente normal. O que inclui nossos pezinhos. E, sim, pode dar chulé! 😛

O que deixa a transpiração com um cheiro desagradável são as bactérias nos nossos pés. Elas se alimentam das peles mortas que o corpo naturalmente descarta. Quando estamos fazendo exercício físico, o tênis e a meia não deixam os pés respirar totalmente, e com o calor  e o suor, o odor se intensifica.

Mas não precisa ficar preocupada! Anote cinco dicas que pegamos no blog da Academia Bio Ritmo para você evitar o chulé e poder se trocar no vestiário sem neuras, hahahaha… 😉

  1. Após o treino, deixe seu tênis tomando um ar em um lugar arejado. Também é bom evitar usar o mesmo tênis por dias seguidos, varie o par.
  2. Lave suas meias o quanto antes. Aqui valem as mesmas dicas para tirar o cheiro de suor das roupas.
  3. Unhas cortadas e pés limpos também ajudam a evitar o mau cheiro.
  4. Bactérias adoram umidade, por isso seque bem os seus pés após o banho.
  5. Se nada adiantar, experimente produtos como cremes, sprays e talcos antisséticos e antitranspirantes. São diversas opções no mercado!

Ter chulé não é o fim do mundo. Com esses pequenos cuidados, você pode prevenir que ele aconteça.

Tem mais alguma dica para combater o chulé? Deixe nos comentário!

post_parceiros_BR_2015