Sabe aquela receita simples que você faz em cinco minutinhos e que combina com diversos tipos de recheio para variar o sabor sem enjoar? Aprendemos três receitinhas deliciosas com a Juliana Galvão Casali, nutricionista e personal diet da Integrata Saúde, que quebram esse galho e ainda são perfeitas para o pós-treino! 😀

Anote e faça em casa você também:

Crepioca

  • 1 gema e 2 claras de ovo
  • 2 colheres de sopa de goma de tapioca (dessas prontas)
  • Temperos naturais a gosto

Misture todos os ingredientes e despeje a mistura em uma frigideira antiaderente em fogo baixo. Quando a parte de baixo se soltar da frigideira, vire a crepioca e deixe cozinhar o outro lado. Prontinho! Pode rechear com requeijão light, cottage, tomate, abobrinha… explore!

Panqueca Integral Doce

  • 1 batata-doce média cozida
  • 1 ovo inteiro
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 colher de sopa rasa de mel
  • ½ xícara de chá de quinoa em flocos
  • Manteiga ghee para untar a frigideira  (pode substituir por azeite ou óleo de coco)

Cozinhe a batata-doce e amasse com um garfo. Misture com o ovo, a farinha, o mel e a canela. Unte uma frigideira e coloque a mistura em formato de panqueca. Deixe fritar bem dos dois lados. Sirva sozinha ou com frutas, geleia sem açúcar ou o que mais você preferir.

Panqueca Integral Salgada

  • 2 xícaras de chá de água
  • 1 xícara de chá de farinha de arroz
  • 1 xícara de chá de farinha de grão-de-bico
  • 2 colheres de sopa de gergelim preto
  • 1 colher de chá de linhaça
  • 1 colher de sobremesa de cúrcuma
  • 1 pitada de sal rosa
  • Manteiga ghee para untar a frigideira (pode substituir por azeite ou óleo de coco)

No liquidificador, coloque todos os ingredientes da massa, menos o gergelim, e bata até que fique homogêneo. Se precisar, coloque um pouco mais de água. Adicione o gergelim em seguida. Numa frigideira, pincele um pouco de ghee e adicione uma concha de massa. Gire a frigideira até formar um disco bem fino. Com a ajuda de uma espátula, vire a panqueca e deixe dourar por cerca de um minuto. Retire a massa do fogo e coloque em um prato. Repita o procedimento até terminar a massa. Recheie com vegetais grelhados e queijo branco ou outro recheio saudável da sua preferência.

Se você preparou alguma dessas receitas, não deixe de compartilhar sua foto com a hashtag #comemulherada 😀

Juliana Galvão Casali (CRN3-47.567) é nutricionista especializada em pediatria e nutrição infantil, e personal diet. Realiza atendimentos e acompanhamento nutricional de recém-nascidos, crianças, adolescentes e adultos, incluindo gestantes e lactantes, educação nutricional, treinamento nutricional para babás e cuidadoras e tratamento de dificuldade alimentar. Atende na clínica Integrata Saúde, em São Paulo (SP).

 

Olá, mulherada! 🙂

Esses dias tava montando a minha lista de compras no supermercado e notei que em casa a gente consome pouco peixe, apesar de adorarmos. E não é só lá em casa que é assim, de acordo com dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em média, o brasileiro consome por ano cerca de 7 kg de peixe, quase metade dos 12 kg recomendados pela OMS – Organização Mundial da Saúde. E o peixe é tão bom pra nossa saúde, né? Os peixes têm baixo teor de gorduras saturadas, são fontes de proteína e ricos em vitaminas, minerais e ácidos graxos como o ômega 3, que auxilia no controle de níveis de triglicérides e colesterol, principalmente o LDL, considerado um colesterol ruim. E ainda é uma excelente opção para pratos leves e saudáveis. 🙂

 

Em casa um dos motivos da gente não consumir tanto é que eu sempre fico na dúvida de como comprar o peixe. Acabo optando pelos congelados, mas nem sempre encontro os que gostamos pra comprar. E na feira eu fico na dúvida de como comprar o peixe fresco. Mas a nutricionista da rede Hirota, Adriana Miyuki Koizumi, deu algumas dicas para facilitar pra gente na escolha! 🙂

Dicas para escolher o peixe

Para qualquer espécie de peixe fresco, é necessário seguir algumas recomendações que auxiliam na escolha do melhor e mais adequado produto para qualquer tipo de preparo.

  • É importante que o peixe esteja lavado e limpo, sem vestígios de areia, poeira, sabão qualquer outro tipo de material.
  • Não deve ter marcas de furos, cortes ou manchas que não sejam características da espécie.
  • As escamas precisam estar firmes e resistentes, além de parcialmente transparentes e brilhantes e a pele úmida e bem aderida ao peixe.
  • Os olhos devem estar brilhantes e salientes, sem a presença de pontos brancos no centro.
  • A membrana que reveste a guelra, conhecida como opérculo, tem que estar rígida e oferecer resistência a sua abertura. A parte interna deve estar brilhante e com os vasos sanguíneos cheios.
  • É importante checar as brânquias que devem apresentar coloração de rosa a vermelho intenso, estarem úmidas e brilhantes, com ausência ou discreta presença de muco (líquido pastoso).
  • Odor, sabor e cor devem ser característicos da espécie.
  • No varejo devem ser expostos dentro de câmaras refrigeradas ou sobre uma espessa camada de gelo.

A nutricionista ainda afirma que os peixes são opções altamente saudáveis e deveriam ser mais consumidos pelos brasileiros. “Cada 100g de peixe contém, em média, 93,7 calorias, 1,7g de gorduras, 19,6g de proteínas, 27mg de cálcio, 197mg de fósforo, 0,8 de ferro, e boas quantidades de ômega3, principalmente em peixes de aguas frias e profundas como salmão, atum e sardinha, além de vitaminas A, B2, B3 e E. Sem dúvida é um alimento que deveria ser consumido quase todos os dias, pois auxiliam na prevenção de diversas doenças”.

E ai, bora comer mais peixe?