Olá, mulherada linda do meu Brasil! 😀

Como está a rotina de vocês? Se você respirou fundo e deu um sorrisinho antes de responder “corrida, né”, toca aqui! Tamo junto!! Hahahahaha…

Já contei que comecei um MBA no ano passado, né? Quando surgiu a oportunidade de fazer esse curso, fiquei muito feliz, claro, mas também tive que começar todo um processo de reorganização da minha vida. O curso que estou fazendo é um pouco mais rápido que a média, levando um ano para ser concluído – o que é ótimo! Mas, em contrapartida, a carga horária semanal é bem acima da de outros cursos desse tipo. Então, todos os planos que eu tinha para 2017 tiveram de ser revistos, não só na vida pessoal como na vida “fitness” também. Afinal, meu tempo livre ficou menor.

Só que eu sou uma pessoa otimista, né? Pensei: imagina, depois que eu me adaptar à nova rotina, vai ser tranquilo encaixar os treinos e tudo mais. O que eu não contava (ou tinha esquecido, rs) é que estudar cansa. Também não leva só o tempo que estamos em sala de aula, envolve muitas horas extras fazendo trabalhos, lendo materiais e preparando projetos para completar as disciplinas.

E eu sou nerd. Mas daquelas muuuuito CDFs. Mesmo. 😛

Ao mesmo tempo, parece que a rotina no trabalho começou a demandar bem mais de mim. Acho que todo mundo está passando por isso em seus empregos: o volume de trabalho só cresce, enquanto as equipes diminuem. Se trabalhar e treinar já são dois pratos difíceis de equilibrar, quando colocamos os estudos nessa conta… piorou!

Mas como sou uma pessoa MUITO otimista (hahaha…), achei que era porque estava precisando de férias. Quando eu voltasse, tudo iria dar certo. Pois bem, voltei para o trabalho, para o MBA, para o espanhol, para os treinos, a arrumar meus lanchinhos de cada dia… E voltei a me sentir atropelada pela quantidade de tarefas versus o pouco tempo livre disponível para concluí-las como eu gostaria.

Pelo menos, a academia do condomínio quebra um galho no meio da correria!

No mundo ideal, eu iria correr mais uma meia maratona ainda nesse semestre e perder uns dois quilinhos no processo. No mundo real, se eu conseguir continuar indo pra academia um número razoável de vezes na semana já estarei mais que satisfeita. Hahahaha…

Todo mundo se cobra muito – e às vezes me parece que nós, mulheres, nos cobramos ainda mais. Queremos ser perfeitas, multitarefa, dar conta de tudo e mais um pouco. Mas não dá! Depois dos 30 então, vish… O corpo pede arrego e nos derruba mesmo. Com força!

Como comentei aqui na época do meu noivado, foi uma fase em que optei por ser mais noiva que corredora. Este mês de fevereiro, enquanto via o tempo escapando das mãos e a frustração crescendo por não conseguir fazer tudo maravilhosamente bem como eu queria (néam?), fiz uma pausa e fui honesta comigo mesma. No ano passado, conquistei muita coisa na corrida, fiz minha primeira meia, emagreci, foi ótimo. Este ano, porém, é hora de focar na vida profissional e me dedicar aos meus estudos, para dar continuidade a alguns planos que tenho para a minha carreira.

Nota mental para 2017: faça menos com mais foco!

Eu quero muito continuar a treinar regularmente, sim. Na verdade, preciso dos treinos, eles são uma válvula de escape importante para mim. Gostaria de fazer outra meia ou pelo menos reduzir meu tempo nos 10k este ano? Sim. Vou conseguir? Não sei. O que eu sei é que vai ser difícil pacas!!! rsrs… Mas espero contar com o apoio de vocês para fazer esse malabarismo e, principalmente, para me cobrar menos perfeição se algo não sair como o esperado.

Tenho que assumir uma verdade: se for pra fazer tudo perfeitíssimo, vou acabar fazendo nada! Então, antes feito do que perfeito, não é? 😉 No final das contas, o que eu quero mesmo é continuar correndo e me exercitando, mesmo que não seja na minha melhor forma, mesmo que sejam treininhos enxutos, no estilo vapt-vupt. Afinal, manter uma vida ativa e saudável apesar da rotina puxada já é bastante coisa!

Quem mais está com esse desafio pessoal para 2017? Como vocês estão lidando com tudo isso? Vamos trocar umas figurinhas sobre nossas experiências e aprendizados nesse processo!

Oi, mulherada! Sei que já está no fim de janeiro, mas… vamos falar sobre 2017? rs

2016 foi muito intenso para todo mundo, de diferentes formas. Comigo não foi diferente. Nunca fiz tanto em um único ano, e tudo que fiz pareceu exigir de mim duas ou três vezes mais esforço para acontecer. Por outro lado, eu estava com um pique do Jiraya (hahahaha…) e mesmo cansada, estressada, irritada, (me) xingando horrores por arrumar tanta coisa ao mesmo tempo na vida para resolver etc etc etc, fui lá e fiz.

Eu passando por 2016, rs

Sabe aquela história de que, se você quer que algo aconteça, peça para uma pessoa ocupada? Então, em 2016 eu fui essa pessoa ocupada! 😛

O ano foi acabando e, quando achei que teria uma folga, não rolou… Dezembro foi o mês mais corrido de todos, tanto no trabalho, como na vida pessoal… Foi loucura, foi insano, porém sobrevivi!

Depois de tudo isso eu precisava de umas boas férias. Olha, há muito tempo não tirava umas férias tão “férias” na vida. Foi incrível! 🙂

Passamos duas semanas viajando entre Pernambuco e Ceará

Durante os dias em que estive fora, não pensei em dieta, planilha, treino… Também não fiquei nessas de abrir emails, checar o Facebook ou o que quer que fosse. Não me preocupei em “cumprir” nada; naturalmente, tudo foi acontecendo quando eu me senti com vontade de fazer. E não é que no final deu certo? rs Agora sinto que estou com as energias recarregadas para encarar 2017 com tudo!!! 😀

Pouco antes do Natal, gravamos um podcast pro Clube das Corredoras sobre metas de fim de ano (já ouviu?) e eu falei muito sobre como gosto de traçar objetivos, sim, mas deixá-los mais “abertos”, sempre pensando em algum ganho maior, geralmente ligado ao meu autoconhecimento.

Ano passado, por exemplo, eu queria ser mais disciplinada. Completar minha primeira meia maratona foi um meio que encontrei para me ajudar a atingir esse objetivo maior. Ainda estou longe de ser um exemplo nesse aspecto, mas melhorei muito e os treinos ajudaram bastante nesse ponto. Prova disso é que não teria conseguido fazer metade do que fiz em 2016 se não estivesse trabalhando justamente minha organização e o famoso foco.

Felicidade é estar de férias e ter uma praia dessas só pra você! (Canoa Quebrada, CE)

Para 2017, como adiantei no podcast, acho que a palavra-chave é coragem. Desde que começamos o Corre Mulherada, me descobri capaz de fazer muito mais do que imaginava. Sim, correr (simplesmente correr, nem estou falando de correr a distância x ou no pace y, apenas correr) é algo que anos atrás eu jamais me imaginaria fazendo… Agora estou naqueles momentos da vida em que queremos dar um passo além, nos desafiar, sair da zona de conforto. E isso requer coragem, né? Sei que me falta e preciso trabalhar isso.

Como a corrida é essa maravilhosa metáfora da vida, estou certa de que os treinos vão me ajudar a me perceber mais forte e confiante. Tem sim algumas provas específicas pela frente, mas isso fica para outro post. 😉

E vocês, quais aspectos querem trabalhar em 2017?