Piscina da Bio Ritmo Moema

Piscina da Bio Ritmo Moema

Acho que já contei aqui no blog que, quando estava no Ensino Médio, treinava natação todos os dias no Ginásio Municipal da minha cidade. Era uma piscina olímpica, então pensem que delícia (e privilégio!) era treinar ali. 🙂

Quando entrei na faculdade, tive de abandonar os treinos e só voltei anos depois, aos 26, 27 anos. Fazia aulas duas vezes por semana em uma piscina bem menor, na academia do bairro, mas foi tão bom poder nadar de novo! <3 Infelizmente, hoje não consigo mais fazer aulas com frequência, mas é só ter a chance de entrar na água para eu dar minhas braçadas, especialmente no meu estilo favorito, o borboleta! 

Foi com a natação que eu descobri que não era que eu não tinha jeito para esportes, era só que me dou melhor em esportes individuais. Era um momento só meu, em que eu não só cuidava do meu corpo, mas também da minha mente — sensação bem parecida com a que eu tenho hoje com a corrida. E olha que naquela época eu nem sonhava que correria um dia! 😛

Aliás, a natação é uma excelente alternativa para os corredores que estão em busca de uma modalidade complementar para a sua rotina de treinamentos. “A atividade aquática trabalha a capacidade cardiovascular e a recuperação dos músculos, além de ajudar no desenvolvimento e condicionamento físico. Também auxilia em uma melhor respiração para o atleta se desenvolver nas pistas com eficiência e suavidade”, explica Kelly Lícia, professora da Bio Ritmo.

A natação também é um excelente aeróbico. “O esforço físico de se movimentar e respirar dentro da piscina faz com que a modalidade seja ótima para desenvolver a atividade cardiorrespiratória e a circulação sanguínea, deixando o coração, artérias e pulmões mais saudáveis”, comenta Kelly. Isso sem falar que a natação ajuda no emagrecimento, equilíbrio muscular e até mesmo na recuperação de lesões, sabia?

Democrática, a natação pode ser praticada por pessoas de qualquer idade e nível de condicionamento. Quem nada sabe do que estou falando: é um dos esportes mais completos e recomendados por médicos, profissionais de educação física e fisioterapeutas.

Se você ainda precisa de motivos para experimentar, a Kelly listou os cinco principais benefícios da modalidade:

  1. Melhora a capacidade aeróbica: Como a natação exige muito da respiração, o corpo requer uma grande quantidade de oxigênio.
  2. Melhora de força e tônus musculares: A natação é uma ótima maneira de aumentar força e tônus musculares, especialmente se comparada aos demais exercícios aeróbicos. Quando corremos, nos movemos no ar; já na piscina, enfrentamos a resistência oferecida pela água, com densidade aproximadamente 12% maior.
  3. Controle do peso: A natação pode se tornar um dos melhores métodos de queima calórica, manutenção e controle do peso – dependendo da intensidade e da frequência do treino, é claro!
  4. Promove a flexibilidade muscular: A modalidade ajuda a manter as articulações saudáveis e reduz o risco de doenças ósseas. Exercícios de baixo impacto mantêm os ligamentos exigidos fluídos e em bom estado.
  5. Ajuda na recuperação de lesões: Isso acontece devido à resistência da água, que faz com que os músculos trabalhem sem a tensão do impacto sentido na colisão contra o chão ou outra superfície.

Nadar é tudo de bom e eu recomendo para todo mundo! 😀 Mas, como em qualquer atividade, é importante fazer uma avaliação física antes de iniciar os treinos. Além disso, não se esqueça de proteger seus olhos e cabelos usando óculos e touca apropriados. 😉

Você faz natação? Tem vontade de fazer? Conte pra gente nos comentários desse post!

post_parceiros_BR_2015

O ato de correr deveria ser algo natural do ser humano, mas nem sempre é o que acontece.
Desde pequenas nos forçamos a práticas não muito adequadas, como carregar mochilas pesadíssimas nas costas ou ficar muito tempo sentadas ‘carcundas’ estudando ou em frente ao computador, e não para por aí! Me lembro que na faculdade, além da bolsa “normal”, ainda carregava uma pasta enorme de desenhos e uma bolsa cheia de cacarecos de costura e modelagem (quem fez/faz moda sabe do que estou me referindo). E digo que até hoje carrego “a casa” na minha bolsa. rs
Resultado disso tudo: uma coluna levemente torta. 🙁

Se existe algo que a maioria dos corredores amadores não prestam muita atenção é o quanto a postura afeta (positivamente ou negativamente) na nossa amada e velha corrida. Claro que cuidar da postura vai além do quesito performance, é uma questão de saúde. Masssss neste post vamos focar na corrida. ☺

Segundo Ronaldo Martinelli, coordenador do programa Bio Running da Bio Ritmo, para praticar a atividade não existem muitos segredos, mas a maneira com a qual seu corpo se move pode deixar a corrida ainda mais segura evitando lesões, além de diminuir o cansaçoA postura deve se ajustar ao indivíduo e ao ritmo de trabalho imposto pelo atleta. Um posicionamento errado durante a corrida ou caminhada implica em uma menor eficiência mecânica do organismo, o que pode levar a uma fadiga precoce.

A má postura é um vício adquirido ao longo da vida e, de acordo com Martinelli, são necessárias avaliações biomecânicas em cada corredor, além de medição dos vícios de postura, para realizar as adequações necessárias. Ele explica que as avaliações devem ser feitas por um médico ou fisioterapeuta, e caso o corredor tenha indícios de lesões, o indicado é um processo de mudança postural imediata. Se isso não for feito, prefiro corrigir o atleta aos poucos, ao longo dos anos. Os casos precisam ser avaliados individualmente, finaliza o coordenador do programa Bio Running, aula power que tem como objetivo o condicionamento cardiovascular, através do aprimoramento das técnicas de corrida.

Obviamente os tratamentos dependem de cada corredor. Em casos mais leves, exercícios educativos dão conta do recado. ☺

postura-corrida-1

Confira mais algumas dicas do coordenador Ronaldo Martinelli para aperfeiçoar os movimentos da cabeça aos pés:

1 – O tronco deve estar ligeiramente elevado a frente, para que se aproveite a inércia do movimento.

2 – Os joelhos devem estar sempre flexionados ao receber o impacto da passada.

3 – Ao preparar a próxima passada, os joelhos devem flexionar em pelo menos 90° e os tornozelos ou pés devem ser elevados.

4 – O quadril deve sempre ser mantido elevado com flexão leve.

5 – A entrada do pé deve ser feita com a parte média e não o calcanhar.

6 – A posição dos braços deve estar em 90° com as mãos passando na linha da cintura.

7 – Ao executar a passada, o corredor deve adotar um alinhamento dos dois pés em sentido único.

Outra dica fácil para saber se você está correndo corretamente é fazer a atividade em frente ao espelho. 😉

post_parceiros_BR_2015