No último final de semana, aconteceu em São Paulo mais uma Maratona de São Paulo. A última vez que participei da prova foi em 2015, no ano passado não participei, pois faziam poucas semanas que a Melissa tinha nascido, neste ano voltei a participar.

Largada – Foto: YESCOM/Divulgação

A prova é super tradicional em São Paulo, é uma prova cheia, e não é só para quem quer correr uma maratona, tem distâncias de 4, 8 e 24k. Neste ano, o planejado era fazer os 8k, mas ao longo do post eu conto o porque acabei fazendo os 4k.

Eu tinha planejado ir na sexta-feira retirar o kit, mas consegui só no sábado e estava uma fila imensa na hora que cheguei. Embora, a fila fosse até fora do ginásio, não foi demorado, devo ter ficado no máximo 20 minutos esperando a minha vez. No kit vinha, camiseta, chip, número de peito, gel de carboidrato, alguns papéis e amostras.

No domingo, acordamos e eu e o Beto fomos para a região do Ibirapuera. O clima estava muito gostoso. Quando chegamos, me surpreendi com a calma que estava por lá, sem flanelinhas e logo entendi o porque: a região estava muito bem policiada.

Paramos o carro e fomos para a largada, eu ia correr os 8k, mas acabei indo de pacer do Beto e fiz os 4k com ele. E foi super legal, porque o Beto correu bem, apesar de sentir alguma dores no joelho (falta fortalecer!!) e eu quase não senti os 4k, eles passaram voando!

A prova no geral estava muito bem organizada, a largada estava dividida por cores e só era possível entrar com número de peito e chip. Na chegada, quem não estava inscrito, era conduzido pela lateral. Várias pessoas do staff e segurança estavam há uns 100 metros da chegada para controlar isso.

Depois da corrida, pegamos nosso kit pós-prova que estava bem recheado: frutas, isotônico, barrinha, whey da Verde Campo, produtos da Montevergine e fomos na tenda do Eu Atleta que estava muito boa. Para fechar encontramos a Margô do Paquitas que Correm para o bla, bla, bla run ehhehe.

Eu curti bastante correr a prova esse ano, no ano que vem quero voltar para fazer os 24k. 🙂

Obrigada Fila e Eu Atleta pelos convites. Adoramos.

 

Parte da turma super animada do Pelotão Eu Atleta! (Foto: Marcos Riboli/Divulgação)

No último domingo, 19 de fevereiro, abri oficialmente meu calendário pessoal de corridas de 2017! Hahahaha… Ai, gente, nada como uma corridinha para dar uma animada nos nossos treinos, né? Aquele clima de prova funciona como um “boost” imediato de energia para mim. 🙂

O convite veio do Eu Atleta, que levou uma galera incrível para correr a Meia Maratona Internacional de São Paulo. A prova tem percurso de 5k, além dos 21k — fiquei com o mais curto. Corri a prova toda ao lado do meu marido, que também está voltando para os treinos de corrida depois das nossas merecidas férias! 😉 Hahahahhaa…

Nossa clássica fotinho pós-prova!

Essa é uma prova bem tradicional de São Paulo, com largada e chegada no Estádio do Pacaembu, mas eu nunca tinha participado antes. Sabia, contudo, que seria cheia! Então já fui me preparando para encarar aqueles probleminhas que costumamos encontrar em provas curtas com muita gente, em especial, a dificuldade de pegar o ritmo que pretendemos desde o início devido à multidão e os temidos “paredões” de caminhantes.

Porém, como a prova estava dividida em pelotões por pace e a organização foi bastante rígida nesse ponto, fazendo um controle intenso para garantir que apenas os corredores com a cor indicada no número de peito entrassem nos acessos à largada, consegui pegar a velocidade que planejei já nos primeiros metros e segui assim até o final. Eu poderia ter largado na frente, mas preferi sair mais atrás, com o pelotão do meu pace mesmo, justamente porque minha experiência anterior largando com um pelotão mais veloz não foi muito legalCom certeza, a melhor escolha para mim!

Outro ponto que ajudou nesse aspecto, acredito, foi o fato de a grande maioria dos participantes ter optado pelo percurso de 21k, ou seja, eram corredores mais experientes e que estavam seguindo uma estratégia para a prova.

Na chegada, recebemos água, frutas, biscoitos, isotônico, água de coco e até whey! Pós-treino completíssimo, né? Tinha para todos os gostos. Fiquei um tempinho na tenda do Eu Atleta conversando com o pessoal, tirando muuuuitas fotos e ainda ganhei uma massagem esportiva para relaxar as pernas. Uma delícia! Comecei 2017 muito bem! 😉

Sobre a questão dos pipocas: esse é um tema bastante controverso, né? Entre nós três, temos conversado bastante sobre todos os aspectos dessa polêmica, prós e contras das campanhas que vêm sendo feitas, e optamos por falar sobre esse assunto com mais calma depois, em um post separado.

Você também participou dessa prova? O que achou? Conte nos comentários!

1