A corrida pode ser uma excelente válvula de escape para fases estressantes ou mesmo para organizar os pensamentos depois de um dia cheio. Inclusive, já fiz até um post aqui falando sobre como ela me ajuda a colocar a cabeça no lugar.

Com certeza, não sou única. Conheço muita gente que também faz da corrida uma forma de acalmar a mente, ou que encontrou uma resposta para algo que estava lhe incomodando depois de um bom treino. Porém, se antes isso era mais uma sensação – e podia até parecer “papo de corredor” para alguns, hahahaha… – agora tem uma explicação científica. E mais: tem um tipo de treino de corrida mais indicado dependendo do efeito que você está buscando!

Estudos com imagens do cérebro mostram que, depois de 30 minutos de exercício aeróbio, há um aumento na atividade do sistema frontal do cérebro, região que está associada justamente com a tomada de decisão, planejamento e… resolução de problemas! Para esse tipo de reflexão, um exercício mais longo e com intensidade moderada é excelente – por isso você deve voltar dos seus longões tão cheia de ideias. 😉

Já se a última coisa que você quer é ficar remoendo pensamentos e seu desejo é simplesmente parar de pensar por alguns minutos, os treinos ao estilo HIIT, como tiros de velocidade e intervalados, parecem ser a melhor pedida. Isso porque os exercícios anaeróbios e de alta intensidade fazem o corpo bombear mais sangue para os seus músculos, gerando uma espécie de déficit de oxigênio no cérebro que torna mais difícil ter pensamentos criativos e abstratos. (Mas fique tranquila que isso é só durante o exercício; a longo prazo, o efeito é benéfico e há estudos que sugerem uma melhora na memória e na atenção de pessoas sedentárias que adotaram programas de treinamento de HIIT.)

“Quando você faz exercícios que exigem um grande esforço físico, não vai ser capaz de resolver problemas ou pensar do mesmo jeito que faria durante um exercício moderado”, explica Karen Postal, professora de psicologia da Harvard Medical School e presidente da Academia Americana de Neuropsicologia Clínica em entrevista para a New York Magazine.

O que pesquisas recentes indicam é que exercícios físicos podem melhorar o foco, a concentração e a sua capacidade de pensar durante a sua execução, desde que sejam realizados com uma intensidade moderada. “Se a intensidade for baixa, não vai melhorar o seu pensamento; se for muito alta, vai tornar mais difícil ter certos tipos de pensamento”, afirma a pesquisadora.

Agora você sabe: quer refletir sobre a vida? Uma corrida longa e em um ritmo confortável (ou qualquer outra atividade aeróbia que você goste) pode ser a melhor maneira de encontrar soluções para os seus problemas. Quer dar um sossego para a sua cabeça e esvaziar a mente? Taca-lhe pau e aposte no HIIT, nos tiros ou nos intervalados para descarregar a adrenalina e o estresse. E aproveite ao máximo os benefícios da corrida! 😀

ju-no-hopihariConseguiu me achar na foto aí em cima? 😉

Acho que não existe corredor em todo o mundo que nunca se perguntou, em algum momento, a clássica: será que eu realmente gosto de correr?

No meu caso, essa pergunta já foi muito mais constante – afinal, mesmo conseguindo evoluir desde que comecei a treinar, não é nada digno de destaque entre a média dos corredores, hahahaha… 😛 Mas, brincadeiras à parte, não acho que essa dúvida tenha surgido por conta da performance, não! Sendo sincera, acredito que até mesmo atletas profissionais fazem esse questionamento em algum momento de suas carreiras.

Só que saber disso não torna essa pergunta menos difícil, certo? 😉 Para investir tanto tempo e energia em uma coisa, ela precisa nos recompensar de alguma forma, do contrário, a gente acaba largando no meio do caminho. Por mais incentivo externo que a gente tenha para continuar, só vai rolar mesmo se você quiser de todo coração fazer aquilo – e isso vale pra quase tudo, não só para corrida!

Particularmente, me dei conta do papel que a corrida tinha na minha vida e do quanto eu gosto (amo!) correr em um momento de muito estresse. Sabe quando você está tão sobrecarregada que mal tem tempo para respirar? Pois é, eu estava assim, enlouquecida e superestressada, e tudo o que eu conseguia pensar era em… tirar algum tempo para correr!

Você sabe que é um corredor quando sua resposta imediata para qualquer conflito ou problema que a vida jogue na sua direção é: "eu preciso sair para correr!"

Não sou o tipo de pessoa que consegue correr quando está triste ou com raiva. Esses sentimentos, quando muito fortes, me desconcentram de tal forma que não consigo manter o foco na atividade. Às vezes até me forço, nem que seja para não me entregar a esses sentimentos negativos, mas raramente são treinos bons. 🙁

Já quando não quero pensar em nada, só desligar a cabeça mesmo, não há nada que me ajude mais do que a corrida. Cansar o corpo é a melhor forma que encontrei para relaxar, dormir melhor e – principalmente! – pensar com mais clareza. E sempre agradeço por ter seguido esse instinto e corrido um pouquinho antes de tomar qualquer decisão importante em momentos de muita pressão.

Nem sei contar quantos problemas até então insolúveis resolvi depois de um bom treino!

Se antes, quando me via nessas situações, eu só conseguia pensar em comer, me trancar no meu quarto ou tomar um banho de duas horas, hehehe, hoje a imagem de oásis que surge na minha cabeça é meu tênis favorito e o parque perto de casa. Com certeza, um hábito muito melhor! 😀

Para mim, essa é a prova maior de que a corrida ocupa hoje um espaço inquestionável na minha vida.

E você, quando se deu conta que a corrida veio para ficar de vez na sua rotina?