Feliz com o resultado na 2ª etapa da Athenas

Feliz com o resultado na 2ª etapa da Athenas

Já contei para vocês como comecei a correr e as dificuldades que enfrentei, especialmente por causa da bronquite alérgica. Sempre fui uma corredora um tanto lenta e precisei alternar caminhada com corrida por mais de um ano até terminar meus primeiros 5k sem andar (e no pace 8). E aí não tem como não pensar: será que eu deveria estar fazendo isso? 

Bom, continuo aqui, insistindo!

Keep calm and Corre Mulherada!

Mantenha a calma e continue correndo

E, de tanto insistir, tem uma hora que o corpo cede. Por isso, decidi que, em 2015, queria baixar meu pace. Não, não podia ser uma meta mais fácil. Tinha que ser essa. Porque me incomodava ser uma corredora “lanterninha”. Eu queria ser, pelo menos, uma corredora mediana, sabe? E olha que eu pensei bastante antes de definir essa meta, afinal, sabia que seria desafiadora – especialmente para a minha cabeça! 😛

Como eu estava voltando de um período sem treinar direito, decidi fazer os 5k na primeira etapa do Circuito Athenas deste ano sem muito compromisso, só para ver como seria. Para quem não conhece, essa prova é toda plana nos 5k, uma verdadeira “esteira de asfalto”. No dia da prova, porém, sofri com cólicas e meu tempo não foi aquela beleza: 37’30” (pace de 7:30 min/km).

Tudo bem, fiz a prova só para estabelecer uma meta – e mandei bala: queria fazer os 5k em menos de 35 minutos na segunda etapa, em julho, e em 30 minutos na última, em outubro.

Para a última etapa da Athenas, a meta era correr com pace abaixo de 6, por isso a fita amarela.

Para a última etapa da Athenas, a meta era correr com pace abaixo de 6, por isso a fita amarela.

Contei para o meu treinador, o Edu, da 4any1 Assessoria Esportiva, e levei um susto quando veio a planilha. Cadê os treinos de 4k e 5k? Não tinha! Todos acima de 6k. Já comecei a reclamar (mentalmente). Afinal, um dos motivos para ter escolhido essa meta era porque eu não queria aumentar as distâncias — e o que é esse treino de 10k aqui?! Respirei fundo, confiei nas orientações, e fui. Reclamando (não mais mentalmente, rs), mas fui. E foi assim que, aos poucos, comecei a achar que correr 5k já não era aquele bicho de sete cabeças. Confesso que até comecei a gostar dos 10k — pode falar, sou uma corredora estranha! rs

Chegou a segunda etapa da Athenas e eu estava confiante. Claro que tinha um medinho de alguma coisa dar errado no meio da prova, mas foi supertranquilo. Corri sozinha e, quando vi que daria tempo, fiquei tão feliz que nem quis acelerar no final. Terminei a prova em 33’52” (média de 6:47 min/km) e com a certeza de aquele era meu pace dali por diante. Agora eu era da turma do pace 7! 😀

As aulas de funcional com a 4any1 também fizeram parte dos meus treinos.

As aulas de funcional com a 4any1 também fizeram parte dos meus treinos.

Continuei treinando e fazendo fortalecimento – em especial as aulas de treino funcional do Cross For Any Body –, a data da minha prova-meta foi chegando e começou a dar aquele frio na barriga. Sabia que diminuiria meu tempo, provavelmente rolaria até um RP (recorde pessoal), mas será que eu conseguiria ir para o tão sonhado pace 6?

Apesar de todo mundo me dizer para me manter positiva, que eu iria me surpreender e tudo mais, pelos últimos treinos, algo me dizia que não seria dessa vez. No final, foi exatamente como eu intuí: teve RP, sim (oba!), mas não foi em 30 minutos (ahh…).

Calma, não vamos desanimar! 

"A vontade de se preparar tem que ser maior do que a vontade de vencer. Vencer será a consequência da boa preparação." Bernardinho

A vontade de se preparar tem que ser maior que a vontade de vencer – acredito demais nisso!

Terminei a última etapa da Athenas em 31’29” (mas o aplicativo da Nike garante que foi em 30’59”, posso ignorar o tempo oficial e ficar com o tempo do app? Hahahahaha…). É um pace médio de 6:18 min/km. Não era o que eu tinha planejado, mas para quem começou o ano insegura com os 5k e fugindo de distâncias maiores, terminar 2015 assim é uma satisfação.

Hoje, corro confortavelmente no pace 7, coisa que antes era de tirar o fôlego (literalmente!). Peguei gosto pelas provas de 10k. E, vamos falar a verdade: o ano ainda não terminou! Temos 2 meses pela frente. Talvez eu consiga, sim, meus 5k em 30 minutos ainda em 2015. 😉 Pode ser que não seja em uma prova, com uma medalha para recordar, mas com certeza será especial.

Quem corre bem pode até ficar pensando qual o valor de comemorar esses tempos que eu tive ao longo do ano, mas sabe… Não é para quem corre bem que eu resolvi escrever esse post e abrir a “caixa preta” dos meus tempos. É para quem está começando e se perguntando se vale a pena seguir em frente, como eu me perguntei muitas vezes. Sim, você pode dominar os 5k. E os 10k. E os 21k. E quantos “kás” você quiser. Talvez você precise de mais paciência, mais rodagem e mais tempo que outras pessoas, mas você chega lá!

Sorrisos para os dias bons. Paciência para os dias ruins. Corrida para todos os dias.

Anotar seus tempos é importante para que você possa acompanhar a sua evolução, mas resista à tentação e não se compare aos outros. Conte com o apoio de profissionais especialistas para conquistar suas metas com mais qualidade e menor risco de lesões. E, acima de tudo, celebre suas conquistas, mesmo que elas pareçam bobas para os outros.

No final, só importa se for especial para você 😀

Keep calm and… keep running, Mulherada!

post_parceiros_4any1_2015

No meu último post, falei para vocês sobre minha decisão de melhorar meu tempo em provas curtas antes de me aventurar em percursos mais longos, lembram? Imaginei que algumas de vocês poderiam se identificar com esse objetivo, por isso pedi para o Eduardo Barbosa, treinador de corridas de rua da 4any1 Assessoria Esportiva que acompanha meus treinos, falar um pouco mais sobre como é o treino de corrida para atingir essa meta. 😉

correndo-5k-rapido

Quando pensamos em corrida de rua, os 5k são considerados uma distância curta, por isso perfeita para quem quer encarar o desafio de ser cada vez mais veloz. “Velocidade é a capacidade de realizar ações motoras em um mínimo espaço de tempo sem perder a eficiência do gesto motor”, explica Edu. “No caso da corrida de rua, significa se deslocar na maior distância no menor tempo possível, levando sua massa corporal no espaço.”

Para tanto, temos que melhorar a postura ao correr e fazer uma preparação específica para esse tipo de prova. “Primeiramente, é preciso treinar algumas características de velocidade como, por exemplo, a velocidade de resistência; ou seja, em alta velocidade, manter a mesma postura de corrida sem perder a qualidade de movimento. Por isso, no início da preparação você pode trabalhar os educativos de corrida“, recomenda Edu.

Outra capacidade a ser trabalhada é a velocidade de aceleração, que representa o aumento progressivo da velocidade. “A estratégia a ser usada no treinamento são os tiros de curta distância – 50, 100 e 200 metros – com intensidade forte. O objetivo é melhorar a tolerância ao ácido lático que pode se acumular no músculo causando fadiga e, como consequência, trazer cãibras que impediriam o atleta de aumentar a velocidade durante a corrida forte.”

E não é porque você não vai percorrer longas distâncias que deve deixar o fortalecimento em segundo plano! “Deve-se considerar também que a energia para esse aumento de velocidade vem dos músculos, principalmente de membros inferiores. Nesse caso, um bom trabalho de musculação deve ser realizado em dias alternados aos dos treinos de corrida, visando um aumento da força”, ressalta Edu.

Como vocês podem ver, é um treinamento que requer um acompanhamento especializado, pois quanto antes você corrigir sua postura e alguns “vícios” ao correr, melhor será a sua evolução. “A melhor maneira de otimizar um treinamento de velocidade é conversando com um treinador especialista ou profissional da área de Educação Física para que seja realizada uma avaliação física e a periodização do treino de acordo com suas atuais condições físicas”, lembra Edu.

Além de ser uma boa oportunidade para aprender a correr com mais eficiência, um treino com foco em velocidade e força para as provas de 5k é uma ótima estratégia para melhorar a resistência nas demais distâncias.

Ficou animada para diminuir seu pace? Esse pode ser um bom objetivo para 2016! 😉

Bons treinos e divirtam-se!

post_parceiros_4any1_2015

1