Iogurte Destaque                  Com maçã verde e All Bran                   |                      Com maçã e granola

Quem me conhece sabe: sou a Miss Iogurte rsrs. Vou ao mercado e compro um monte deles, na versão light, natural e desnatado. Sempre tive preguicinha de fazer dieta, pois na minha cabeça gorda, dieta era sinônimo de peito de peru + queijo branco + salada + grelhados + maçã, ou seja, algo muuuuuito sem graça, baita ponto negativo para uma pessoa boa de garfo como eu (vide minha descrição na página de autoras). #confissões

Quando finalmente decidi seguir uma dieta específica, por conta de algumas alterações perigosas em exames, que contarei em um futuro post, procurei uma nutricionista e ela me passou várias diconas, entre elas, diversas formas de incrementar minhas refeições, e RÁ, é aí que entra o iogurte! 😀

Iogurte_frutas                   Com morangos picados                        |      Batido com abacate, por cima linhaça e chia

Considerado um dos alimentos mais antigos da história da humanidade, o iogurte possui muitos benefícios para nossa saúde, como: melhora no funcionamento do intestino, ajuda na absorção de nutrientes no nosso organismo e produção de anticorpos (reforçando o sistema imunológico), contribui para o fortalecimento dos ossos (por causa do aumento nos níveis de cálcio), ajuda no sistema nervoso, melhora a saúde da pele, cabelos, unhas e visão, devido à vitamina A presente no alimento, desacelera o processo de envelhecimento, e auxilia no processo de emagrecimento.

Mariana Del Bosco, nutricionista da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, a Abeso, disse em entrevista para a Revista Saúde que o efeito emagrecedor pode estar associado ao cálcio. “Uma das hipóteses é que o nutriente estimularia a queima de gordura e, ao mesmo tempo, inibiria seu acúmulo pelo corpo”. Para Vânia Sarmento, nutricionista da Universidade Federal de São Paulo, outra explicação plausível é que, ao formar uma espécie de detergente quando chega ao trato gastrointestinal, o cálcio evitaria a absorção de moléculas gordurosas. “O mineral aumentaria ainda a termogênese, ou seja, o gasto de calorias”, conta.

Iogurte_acompanhamentosVariações: pudim zero, morangos, All Bran, granola, linhaça, pedaços e raspas de chocolate amargo (80% cacau) e gelatina.

O iogurte pode ser consumido direto no potinho, batido com frutas, em molhos para saladas e até no prato principal. Eu gosto de comer com frutas picadas e complemento com granola, linhaça, cereal All Bran ou chocolate amargo ralado 70 a 85% de cacau. Normalmente tomo/como na pausa que dou à tarde, por ser um alimento bem rápido de fazer (só misturar tudo e pronto), além de dar bastante saciedade e me ajudar a resistir bravamente ao ‘combo do mal’. Fora que é fácil de carregar na bolsa ou lancheira térmica.

E na corrida?

Poucos nutricionistas esportivos aconselham, mas não tenho o costume de tomar iogurte antes de alguma prova. Tenho medo de causar certa urgência em visitar o banheiro e como todas sabemos, ninguém merece banheiro de rua, principalmente os químicos. #nojinhodefine

Isso tudo porque corrida por si só estimula o funcionamento do intestino (sim, é comprovado!) e aliado ao iogurte, que faz a mesma coisa…melhor ir pelo lanchinho mais seguro (tem post sobre lanchinhos pré e pós treino AQUI e AQUI). De qualquer forma, é mais aconselhável tomá-lo no pós treino, pois é ótimo na reposição dos estoques de proteína na musculatura. 😉

Alguns conselhos antes de você se jogar no iogurte:

  • Procure um nutricionista, caso você queira seguir uma dieta de emagrecimento;
  • Leia a tabela nutricional, e se possível faça comparações entre os produtos;
  • Cuidado com o Iogurte Grego, a versão normal é muito calórica, mais gordurosa e contém açúcar. Dê preferência ao Grego light ou zero;
  • Prefira frutas como acompanhamentos;
  • Hoje no mercado, existem opções para pessoas que possuem intolerância à lactose. Yay!

Fontes: Saúde e Albert Einstein

Olá, pessoal!

Esse é meu primeiro post por aqui e estou muito feliz em começar escrevendo um pouco sobre a minha experiência com reeducação alimentar.

reeducaçao_1

Aliar exercícios, no nosso caso aqui no blog, corrida com alimentação saudável, posso dizer que é algo automático. Mesmo para quem estiver começando, vai perceber que com o tempo, aliar essas duas forças, vai ser uma parceria de sucesso!

Eu achava que reeducação alimentar era um tipo de dieta, fazer restrições malucas, emagrecer e parar de fazer a tal dieta da vez.

E não, não é nada disso!

Procurei  a reeducação alimentar através de indicação de colegas do trabalho, uma turma que estava bem acima do peso e com problemas de saúde, acompanhei de perto a evolução deles e fiquei impressionada não só com a perda de peso mas, muito com a mudança de atitude deles. Vi que passaram a trazer, lanchinhos, frutas, sucos para o ambiente de trabalho e sempre estavam comendo algo…

Fui na minha primeira consulta à nutricionista, estranhei, desconfiei… Comer 6 vezes por dia vai me fazer emagrecer mesmo? Primeira resposta: Sim, porque se comermos pequenas porções a cada 3 horas, manteremos nosso metabolismo acelerado e isso faz com que perdemos peso de uma maneira saudável.

Preparei algumas perguntas e respostas para quem está começando e quer saber um pouco mais sobre o assunto:

1) Como foi o começo da reeducação alimentar? Foi difícil, não vou negar. Ter que anotar tudo que come e pensar no que comeu antes e comerá depois, no início foi bem complicado. Mas, como o passar do tempo e com os resultados obtidos, tudo começa a fazer sentido e valer a pena.

2) O que foi mais difícil? Quase respondi isso na pergunta anterior mas, o mais difícil mesmo foi deixar de comer algumas coisas que não contribuem em nada para a perda de peso, como por exemplo, refrigerante. Hoje nem tomo refrigerante, a não ser que vá em algum lugar que não tenha outra opção mas, caso contrário, não sinto nem falta.

3) O que fazia quando ultrapassava a quantidade de carboidratos ou gorduras no mesmo dia? Tendo o acompanhamento de um nutricionista, ele irá preparar uma planilha ou algo similar para ajudá-lo com seus objetivos e com isso, ele distribuirá a quantidade de gordura (lipídio), carboidrato e proteínas diárias. Quando ultrapassava essa quantidade, no começo eu recorria ao nutricionista e tirava as dúvidas. Com o passar do tempo, me senti mais confiante e eu mesma sabia aplicar a lei da compensação. Por exemplo: Se ultrapassava a quantidade de pães no café da manhã, sabia que na próxima refeição, teria que tirar uma porção de carboidrato, ou seja, tirar o arroz, por exemplo.

4) O que valeu a pena? Hoje presto muito mais atenção nos alimentos que consumo mas, faço isso com naturalidade, sem sacrifícios. Na época, perdi 8 kg em 6/7 meses. Mantenho o mesmo peso por mais de 4 anos. Como de tudo, faço as compensações quando necessário e consigo manter o peso que me sinto feliz!

Se você estiver começando ou já fez reeducação alimentar, conta pra gente sua experiência. 😉