Se você quer correr distâncias maiores ou dar um gás no final de uma corrida, é bom começar a treinar a sua resistência… Assim você consegue atingir um patamar cardiovascular e aeróbico legal para conseguir ter mais resistência na hora de querer desistir… rs. E que tipo de treino é esse? São os sprints!

Sim, esse termo mesmo que a gente já escutou em alguma transmissão da São Silvestre! 😛 Um sprint é você correr na sua maior velocidade por um curto tempo ou uma curta distância, que pode variar entre 400 metros até 1 quilômetro dependendo da sua resistência.

apace_sprintsG

E como incluir esse tipo de treino na sua corrida? Com sessões curtas, não indo muito diferente do treinamento intervalado, podemos melhorar o desempenho e a musculatura! Devemos nos lembrar que o foco é esse: não morrer naquele momento crucial e conseguir trabalhar a musculatura da melhor forma possível! Em números, aplique a regrinha dos 10% (da sua frequência cardíaca) e vá aumentando gradativamente o passo 3 vezes por semana.

Fica dica: Antes de cair de cabeça nos sprints, faça um treinamento básico de 3 a 4 semanas. Te ajudará a não sentir dores depois… E não se esqueça do devido e merecido descanso! O ideal é não treinar sprints em dias seguidos.

E eu nessa história? Eu passei a treinar alguns sprints e venho notando diferença! Principalmente quando consigo coordenar a respiração e o passo! (básico, né? rs) Treino é assim: um dia dá certo, no outro não… o importante é não desaminar, sabe? Agora o mais legal dessa técnica é que ela pode ser aplicada tanto em corridas como no ciclismo, natação e em quase qualquer outro tipo de exercício cardiovascular! Mas lembre-se, você é o seu maior guia! Tendo dores ou algum desconforto reduza a velocidade e procure um médico… Sua saúde em primeiro lugar! 😉

Como não poderia faltar nesse dia especial, um post/dicona especial para as mamães corredoras. 😀

Desde a primeira corrida oficial do Corre Mulherada (M5k em outubro de 2012), tenho me deparado com algumas cenas muito bacanas para mim: o de mulheres correndo com seus bebês em carrinhos!

Carrinho de corrida1

Confesso que às vezes, quando bate aquela preguiiiiiiiça, a “consciência esportiva” faz questão de me lembrar dessas mães, que arrumaram um jeito para não deixar de correr. É o que diz aquela frase postada há uns dias na nossa fanpage no Facebook (curte lá!): “…porque quando a gente quer mesmo, a madrugada vira dia, a quarta-feira vira sábado e um momento vira oportunidade.”

Dando uma pesquisadinha para o blog, vi que já existem carrinhos adaptados e que oferecem segurança para as mamães correrem sossegadas com seus filhotes. Infelizmente, esses carrinhos não tem um preço muito amigo (R$ 1.399,00 na Alô Bebê), mas caso você acha que vale o investimento, se joga!

Carrinho de corrida2

Algumas dicas devem ser levadas em consideração antes de se aventurar a correr com seu bebê, como:

Escolha do modelo correto: não é qualquer carrinho que pode ser usado para correr. O carrinho comum tem rodas menores, além de serem giratórias, o que é perigoso por ter grandes (ENORMES!) chances de causar um acidente. Como podemos ver nas fotos, os carrinhos apropriados para corrida são em forma de triciclo (uma roda na frente e duas atrás), além das rodas serem maiores. Para sua segurança e do bebê, escolha modelos que tenham freios, cinto de segurança de 3 ou 5 pontos e amortecedores. Se ainda tiver dúvidas no momento da compra, peça ajuda para o vendedor.

* UPDATE: a Mari (da equipe do Corre Mulherada) deu uma super dica nos comentários: “Outra coisa que é importante e não foi citado é que o apoio para segurar o carrinho tem que ser mais alto do que o comum (principalmente para as mães altas), e por isso não podemos usar um carrinho comum pra correr. Se usar estará prejudicando a coluna, além de ser mega inseguro pro bebê. Na hora de comprar o carrinho pra corrida tem que ficar atenta a isso, pq tem carrinhos de corrida que o apoio é baixo (usabilidade zero). Acho essencial testar o carrinho antes da compra, na maioria das lojas você pode pedir pra dar uma corridinha dentro da loja mesmo e ver se é bacana, como o investimento não é pequeno é essencial fazer isso pra não se arrepender depois e ficar com mais um trambolho em casa, rs. ;P”

Idade do bebê: deve-se ter no mínimo 6 meses. Antes disso, o bebê não estará pronto para as possíveis oscilações da pista/terreno, além de não possuir a sustentação músculo-esquelético para se manter na posição correta no carrinho.

Postura: inicialmente, empurre o carrinho com as duas mãos (de preferência próximas aos freios) e quando sentir necessidade, reveze com uma das mãos. Se precisar frear, que seja de forma gradual. Levando-se em conta que vai levar além de seu peso, o do bebê e do carrinho, o ideal é fazer um alongamento caprichado após a corrida. É aconselhável treinar antes, com o carrinho vazio. Se for sua primeira corrida com o bebê, melhor caminhar antes, sentir bem o terreno para depois começar a dar leves trotes. Lembre-se que quanto maior a velocidade, menor o controle. Portanto, cuidado!

Local: a escolha do local é mais do que um item de segurança. Se para corredores (que levam somente a si próprios) um terreno irregular é perigoso, imagine levando um bebê. Dê preferência a pistas de corrida, ou parques com terrenos regulares. Nada de se aventurar nas ruas esburacadas de nosso Brasilzão! Por motivos óbvios, não treine subidas e descidas. Evite usar ipods ou aparelhos MP3 (a não ser que as músicas estejam baixiiiiiiiiinhas), pois assim ficará atenta à tudo o que acontece na rua.

Tomando o cuidado necessário, levando em conta o seu bem estar e do bebê, tenho certeza que você vai curtir muito esse momento! Quem sabe, em alguns anos, ele(a) estará participando de provas junto com você? ♡