625x380

 

Panetonne é um cara legal. Não, eu não escrevi errado, Panetonne é o nome do meu cachorro, e seu nome tem dois “Ns” no final, para acompanhar a minha graça. Tal mãe, tal filho. hehe

Esse carinha de 4 patas é um shih tzu de apenas 2 aninhos, ligado no 220v e super companheiro. Embora ele passeie todas as terças, quintas e sextas-feiras antes de irmos trabalhar, o Panne (para o íntimos) rs passa a maior parte do seu tempo sozinho durante a semana. Então, quando chega os finais de semana, tento fazer tudo o que posso com ele. Entre tantas coisas que fazemos juntos, ir ao parque dar aquela corridinha está se tornando um hábito bem frequente. Claro que não sou nenhuma louca que corro com um cachorro do porte do Panetonne 5km, estou bem longe disso rs.  Deixo ele correr somente o primeiro quilometro – por ele, correria pelo menos mais um. Mas cães dessa raça não podem fazer tanto esforço assim. Cachorros com focinhos achatados não aguentam exercícios prolongados, porque precisam fazer muito esforço para respirar durante a atividade física, o que pode fazer com que eles tenham uma parada respiratória. Além disso, acho muita coisa pra um cachorro tão pequenininho. Embora pareça pouco, ele faz dos meus treinos a coisa mais divertida do universo, ainda mais eu, que prefiro treinar na esteira. Quando completamos o primeiro quilometro, deixo-o descansar na companhia do meu marido e continuo o treino.  É quando minha performance vai além, porque deixar o Panetonne com o bofe sozinho no parque é pedir pro boy levar umas cantadas extras. Sim, as marias xavequeiras adoram puxar assunto com os papais de cachorros desacompanhados… “Nossa, ele é seu”?, “Que bonitinho, posso passar a mão” “Aiiiii ele é uma gracinha, né?”… Fico chocada, gente. Tenho ciúme do bofe e do cachorro, então corro feito uma maratonista, pra evitar qualquer assédio, sou dessas, aloka, rs

Brincadeiras à parte, acho que já deu pra sacar que sou apaixona pelo meu cachorro, não só pelo meu, amo um focinho gelado gente =)

Percebi que são muitos os donos que adoram correr com seu amicão, inclusive é frequente a gente ver donos levarem seus cachorros durante as provas de corrida de rua. A última vez que vi foi na Corrida Contra o Preconceito, que ocorreu no Centro de São Paulo em abril. O cão era um labrador super fofo e enorme, mas aconteceu uma coisa chatinha no meio da prova, o cachorro deu aquela paradinha para fazer o número 2, e o dono não tinha saquinho para limpar as necessidades do cachorro. Achei mancada com os participantes da corrida, porque gente, o mínimo do mínimo antes de sair com o seu cachorro é levar um saquinho para recolher a sujeirinha dele – lembrando que quanto maior o cachorro, maior a sujeira e por menor que ela seja, vamos usar o bom senso 😉

Então pra você que está a fim de começar a treinar com o seu cão, ficam algumas dicas para que esse treino seja o mais tranquilo e divertido para vocês dois 😉

01 – Em primeiro lugar o saquinho do cocô do cachorro. Ele é distribuído gratuitamente na maioria dos parques que aceitam cachorros. Às vezes não tem, por isso antes mesmo de sair de casa já providencie. As necessidades do seu cão são de sua responsabilidade. (Sou chata pra isso, gente).

02 – É muito importante que seu cachorro goste de correr, não force seu amiguinho.  Além disso, assim como você ele precisa treinar o condicionamento físico para começar a te acompanhar nos treinos. Inicie com caminhadas diárias, e vá aumentando o ritmo e o tempo gradativamente. Dessa forma, o exercício também se torna prazeroso para ele.

03 – Não esqueça a água gente, pelo amor dos deuses caninos. Água pra você e para seu amigo é fundamental durante os treinos. Por causa dos pelos do seu companheiro, ele tende a se aquecer muito mais rápido. Portando durante todo o percurso ofereça água em pequenas quantidades para ele.

04 – Também não abram mão da coleira, por mais que você confie na “fofurice” do seu cachorro. Durante o percurso, ele pode estranhar outro, ou até mesmo ser incomodado por outro cão e assim o treino de vocês pode acabar em “cãofusão” =/

05 – Teoricamente todo cão pode correr com seu dono, mas algumas raças já nascem mais preparadas para corrida, como o caso dos galgos, whippets, border collies e até mesmo vira-latas. Eles só precisam ter uma herança genética favorável à prática de exercícios. Outros cães com nariz mais achatado, como pug e bulldog, não aguentam exercícios prolongados, o que pode acarretar em parada respiratória. Procure um veterinário, para se informar melhor sobre as necessidades e limitações do seu cachorro.

06 – Procure treinar com seu cachorro quando o sol já estiver posto, ou em dias menos quentes. Cachorros têm muitos pelos e podem sentir muito calor. Dessa forma quanto mais pelos seu cachorro tiver, mais calor ele vai sentir, use sempre o bom senso e não force a barra com seu amicão.

Lembre-se, assim como você o cachorro também pode sofrer lesões musculares e articulares, respeite o ritmo do seu cãozinho e tente não intensificar muito os treinos dele 😉

 

Curiosidades:

Você sabia que existem corridas e cãominhadas para você e seu amigo?

Fui na minha primeira cãominhada com o Panne mês passado na Chácara Klabin, em São Paulo. Ele adorou, e realmente é super divertido. Além da caminhada, na maioria das vezes existem outras atividades para o seu bichinho, como o agilite.

Agora, o que eu to louca pra participar mesmo é de uma corrida como essa daqui, que ocorreu também no mês passado no Chile. Sem dúvida uma corrida canina na companhia de seus donos fará o maior sucesso aqui no Brasil. =)

Aqui perto do trabalho tem uma lojinha de produtos naturais. Um belo dia estava à toa e resolvi dar uma conferida nos produtos (assim eu poderia ver o que eu gostava e comprar na Zona Cerealista mais barato, cof, cof, cof). Fiquei um tempão fuçando nas prateleiras e a parte que me chamou mais atenção foi a dos produtos sem glúten. Sempre fui meio receosa com produtos sem glúten e/ou de soja pelo medo de não gostar do sabor, mas como estou super empenhada em mudar os hábitos alimentares, criei coragem e me joguei. Os escolhidos foram:

Gotas de Chocolate Good Soy – sem glúten

IMG_1867[1]

Foi o primeiro que experimentei. Surpresa na primeira mordida (tanto que depois que provei resolvi fazer o post, olha o biscoito mordido). Confesso que não entendo muito de analisar tabela nutricional dos alimentos, mas sempre dou uma olhada antes de comprar porque tem cada coisa que engana a gente. Enfim, voltando ao biscoito, uma delicinha: a textura é meio dura (ou firme, como vocês preferirem) porque não contém glúten, as 3 gotinhas de chocolate trazem um sabor mais que especial ao biscoito, tanto que tive que me controlar para não comer os 2 de uma vez só na hora do meu lanche da tarde. Mata totalmente aquela vontade desesperada de comer um doce. Amei e quero uma caixa desse treco djá! Na lujinha do bairro acho que paguei R$ 2,40 na embalagem com 2 unidades.

Avaliação: regua_avaliacao_5

 

Bolinhas de Queijo Picante Leve Crock – sem glúten

 salgadinho

 

Meu sonho (acho que o de todo mundo) é achar um petisco para comer enquanto toma uma cerveja geladinha que não nos faça engordar uma grama sequer. Foi pensando nisso que resolvi experimentar o salgadinho acima. Escolhi o sabor picante porque adoro a combinação pimenta e cerveja.  Decepção total! Pensem num treco ruim, multiplica por 3 que pode ser que você chegue ao sabor desse salgadinho. Nossa, ruim, ruim, ruim, mas tão ruim que nem o sabor da cerveja amenizava. A textura é firme como a do docinho acima, realmente faz “croc” na boca, mas o sabor….argh! Fora que achei o preço caro, R$ 9,00 na lujinha do bairro (nessa semana esse biscoito estava em promoção na lujinha, será que provaram e acharam uó também?).

 Avaliação: regua_avaliacao_0

Vocês já experimentaram algum desses produtos? Tem algum para me indicar que já conheçam ou querem que eu teste algum em especial para servir de cobaia de vocês? Fala aí nos comentários que vou adorar.