Já falamos várias vezes sobre tops de corrida e a importância de fazer a escolha certa de acordo com sua necessidade e biotipo.
Top de corrida é tão importante quanto a escolha de um tênis e não estamos exagerando! Fora que convenhamos, não é um dos itens mais baratos, né?
Vira e mexe esse assunto é abordado por aqui, afinal, somos #asloucasdostops e sempre que descobrimos algum modelo, procuramos testar bastante para contar nossas impressões para vocês.

Top-Zensah-Cores

Top SportsBra em diversas cores (imagem: Zensah)

Hoje vou falar do Top SportsBra que recebemos da Zensah. Eu adoro top sem costura pelo conforto que proporciona, mas confesso que uso somente em atividades corriqueiras, como ir ao mercado, padaria, feira, etc.
Nunca se passou pela minha cabeça usar um pra correr (peitudas entenderão). 😛 hahahah

Top-Zensah-1

Recebi o branquinho

Quando recebi esse top da Zensah, fiquei beeem curiosa para saber se realmente ele aguentaria o tranco. Por isso já corri fazer “a prova dos 9”. #velha

Meu primeiro teste foi em uma corrida de 6k intervalada na avenida perto de casa. Fiz questão de falar o local por causa dos obstáculos (que toda rua tem): postes, desvios, um buraco aqui e acolá, ponto de ônibus e pedestres. Neste dia estava calor, suei bicas, e o tecido absorveu bem a umidade. Segundo a marca, ele “regula a temperatura”, o que duvidei um pouco assim que bati o olho. Te explico: ele possui uma espécie de forro no mesmo tecido (acredito que para reforçar a sustentação), e logicamente “mais pano = menor respirabilidade”. Mas para minha surpresa isso não aconteceu. Apesar do tecido + forro, ele tem um toque fresquinho bem gostoso.
🙂

Top-Zensah-2

Costas Nadador

Falando em sustentação…senti que segurou bem e deixou tudo no seu devido lugar. Apesar de perder medida do busto depois que emagreci, continuo sendo peituda de natureza e necessito de uma peça reforçada. Ninguém quer correr preocupada com essas coisas, não é? Hahahah
Meu tamanho é o M e recebi o P/M e não senti apertar a ponto de incomodar.
A modelagem do decote é um tanto altinha, o que auxilia ainda mais na sustentação dos seios.

Outra preocupação (minha) é se deixa o peito “entulhado”. Não, ele não deixa, massss não se compara com os tops com costura + bojo que imitam sutiãs. Confesso que este modelo não é o meu preferido, mas uso bastante nos meus treinos (para academia é perfeito!).

Top-Zensah3

Detalhe Bojo

Outros pontos a serem considerados: é fácil de vestir e é muuuito confortável, aliás, de todos os tops que já usei, este é sem dúvida o mais confortável.
Conforto me faz pensar em atrito e neste quesito ele está aprovadíssimo. Segundo a própria marca, “proporciona um ajuste ergonômico que movimenta junto com seu corpo, evitando atritos na pele”. Eu que tenho a pele super sensível (sou meio escrava de produtos ‘anti atrito’) não tive problemas. rs

Top-Zensah-4

Alguns detalhes

Opinião geral

Curti bastante o SportsBra da Zensah. Apesar de não ser o meu preferido (quesito: deixar os seios bonitos rs) ele cumpriu bem o que promete: sustentou, absorveu a umidade, não “esquentou” e é extremamente confortável. Só o preço que não achei lá muuuuito amigo, o que desencoraja um tanto a adquirir outras peças. #mãodevaca

Avaliação: regua_avaliacao_4

Preço sugerido: R$ 149,00
Compre online: http://www.zensahbrasil.com.br

post_presente

podologia-reflexologia-podal

A gente sabe que correr faz um bem danado para o corpo e para a cabeça. Já para os pés… Eles podem sofrer um pouquinho, né? rs…

Se os treinos são longos ou intensos, é preciso ter uma atenção especial com os pés e com as unhas. Afinal, algum machucado ou incômodo nessa área pode te impedir de correr ou até mesmo de usar calçados fechados por uns bons dias. 🙁  A Ju Ferrer já passou por isso e, pelo que ela conta, não foi nada divertido…

Para quem tem dúvidas sobre como cortar as unhas dos pés corretamente, ou sente algum incômodo por conta de um calo ou um cantinho dolorido, vale a pena consultar um podólogo. Eu sempre cortei as unhas em casa mesmo ou no salão, até ter a experiência de ir no especialista – e posso dizer que vale a pena, ainda mais para quem corre!

Podologia na Doctor FeetTratamento com podólogo na Doctor Feet (Divulgação)

A principal diferença entre o podólogo e o pedicure é que, além de cortar e lixar suas unhas corretamente, ele também pode identificar e tratar doenças específicas dos pés, como unhas encravadas, calos, micoses etc. E como nesses casos é melhor prevenir que remediar, pedimos uma ajudinha para a podóloga Cristina Lopes, que é coordenadora técnica da Doctor Feet e especialista no assunto! 😉 Olha só as dicas dela:

  1. Não corte as unhas muito curtas e evite retirar totalmente as cutículas, além de não lixar demais a sola dos pés. Essas são proteções naturais do corpo que impedem a sensibilidade, a formação de infecções por bactérias, calos, frieiras e, principalmente, o aparecimento de bolhas.
  2. Em dia de prova, use apenas calçados já amaciados. Nada de estrear tênis novos no dia do evento, evitando surpresas desagradáveis, como descobrir que o calçado aperta demais ou causa desconforto em alguma parte do pé.
  3. Mantenha a pele dos pés sempre hidratada, pois isso evita o atrito com a meia e impede a formação de bolhas.
  4. Se ganhar bolhas nos pés, tente não estourá-las, mantendo os pés limpos, secos e em repouso. Caso a bolha estoure, não remova a pele, pois ela servirá de proteção natural para a região machucada. Também fique mais atenta para manter a área limpa, pois o risco de infecção passa a ser maior.

Outra coisa que eu amo (AMO!) é uma boa massagem nos pés, hahahaha… 😉 Sei que algumas pessoas têm sensibilidade ou morrem de cócegas, mas não é o meu caso! 😛 Aliás, me sinto muito deusa quando chego em casa depois de um treino ou prova e passo meus creminhos ou faço um escalda-pés, mas nada ganha de uma massagem bem feita. #mimadinha

Reflexologia podalHmmm… Massagem!

Uma das técnicas mais comuns de massagem na região é a reflexologia podal, em que o profissional pressiona determinados pontos dos pés que correspondem a regiões e órgãos do nosso corpo, como se os pés fossem um mapa. Alguns pontos podem ser um pouco desconfortáveis, mas a sensação de relaxamento após a sessão é ótima. Além de reduzir tensões, a técnica é utilizada para restaurar o equilíbrio do corpo e melhorar a circulação sanguínea, ajudando na eliminação de toxinas.

Para quem quer tentar uma automassagem, já ensinamos aqui algumas técnicas. E a Cristina também nos passou uma recetinha deliciosa de escalda-pés que vale combinar com uma massagem hidratante nos pés e nas pernas após um treino ou prova. É só pingar algumas gotas de óleo essencial de melaleuca, que tem ação antifúngica, ou óleo essencial de lavanda, que é relaxante, em uma bacia com água quente e colocar seus pezinhos para descansar. Caso você não encontre os óleos à venda, Cristina sugere juntar à água um bom punhado de sal, que ajuda na circulação – e pronto!

Agora sim, um descanso merecido para seus amados pezinhos! 🙂