podologia-reflexologia-podal

A gente sabe que correr faz um bem danado para o corpo e para a cabeça. Já para os pés… Eles podem sofrer um pouquinho, né? rs…

Se os treinos são longos ou intensos, é preciso ter uma atenção especial com os pés e com as unhas. Afinal, algum machucado ou incômodo nessa área pode te impedir de correr ou até mesmo de usar calçados fechados por uns bons dias. 🙁  A Ju Ferrer já passou por isso e, pelo que ela conta, não foi nada divertido…

Para quem tem dúvidas sobre como cortar as unhas dos pés corretamente, ou sente algum incômodo por conta de um calo ou um cantinho dolorido, vale a pena consultar um podólogo. Eu sempre cortei as unhas em casa mesmo ou no salão, até ter a experiência de ir no especialista – e posso dizer que vale a pena, ainda mais para quem corre!

Podologia na Doctor FeetTratamento com podólogo na Doctor Feet (Divulgação)

A principal diferença entre o podólogo e o pedicure é que, além de cortar e lixar suas unhas corretamente, ele também pode identificar e tratar doenças específicas dos pés, como unhas encravadas, calos, micoses etc. E como nesses casos é melhor prevenir que remediar, pedimos uma ajudinha para a podóloga Cristina Lopes, que é coordenadora técnica da Doctor Feet e especialista no assunto! 😉 Olha só as dicas dela:

  1. Não corte as unhas muito curtas e evite retirar totalmente as cutículas, além de não lixar demais a sola dos pés. Essas são proteções naturais do corpo que impedem a sensibilidade, a formação de infecções por bactérias, calos, frieiras e, principalmente, o aparecimento de bolhas.
  2. Em dia de prova, use apenas calçados já amaciados. Nada de estrear tênis novos no dia do evento, evitando surpresas desagradáveis, como descobrir que o calçado aperta demais ou causa desconforto em alguma parte do pé.
  3. Mantenha a pele dos pés sempre hidratada, pois isso evita o atrito com a meia e impede a formação de bolhas.
  4. Se ganhar bolhas nos pés, tente não estourá-las, mantendo os pés limpos, secos e em repouso. Caso a bolha estoure, não remova a pele, pois ela servirá de proteção natural para a região machucada. Também fique mais atenta para manter a área limpa, pois o risco de infecção passa a ser maior.

Outra coisa que eu amo (AMO!) é uma boa massagem nos pés, hahahaha… 😉 Sei que algumas pessoas têm sensibilidade ou morrem de cócegas, mas não é o meu caso! 😛 Aliás, me sinto muito deusa quando chego em casa depois de um treino ou prova e passo meus creminhos ou faço um escalda-pés, mas nada ganha de uma massagem bem feita. #mimadinha

Reflexologia podalHmmm… Massagem!

Uma das técnicas mais comuns de massagem na região é a reflexologia podal, em que o profissional pressiona determinados pontos dos pés que correspondem a regiões e órgãos do nosso corpo, como se os pés fossem um mapa. Alguns pontos podem ser um pouco desconfortáveis, mas a sensação de relaxamento após a sessão é ótima. Além de reduzir tensões, a técnica é utilizada para restaurar o equilíbrio do corpo e melhorar a circulação sanguínea, ajudando na eliminação de toxinas.

Para quem quer tentar uma automassagem, já ensinamos aqui algumas técnicas. E a Cristina também nos passou uma recetinha deliciosa de escalda-pés que vale combinar com uma massagem hidratante nos pés e nas pernas após um treino ou prova. É só pingar algumas gotas de óleo essencial de melaleuca, que tem ação antifúngica, ou óleo essencial de lavanda, que é relaxante, em uma bacia com água quente e colocar seus pezinhos para descansar. Caso você não encontre os óleos à venda, Cristina sugere juntar à água um bom punhado de sal, que ajuda na circulação – e pronto!

Agora sim, um descanso merecido para seus amados pezinhos! 🙂

10 dicas para correr 10 quilômetros

Está começando a aumentar as distâncias agora? Então esse post é para você! 😉

Pedimos para o educador físico Eduardo Barbosa, da 4any1 Assessoria Esportiva, dar 10 conselhos para quem quer partir dos 5 quilômetros para os 10 quilômetros e completar sua primeira prova de 10k da melhor forma possível! <3

Anote aí:

  1. Nós sempre batemos nessa tecla, mas não custa repetir: é bom realizar exames médicos que atestam que você está apta para a prática esportiva, especialmente se você ficou um tempo sem treinar.
  2. Procure também a orientação de um profissional de educação física para que ele possa prescrever uma periodização de treinos organizados (planilha) de acordo com o seu condicionamento atual e o seu objetivo.
  3. Nos treinos, use roupas confortáveis e tênis adequado para a sua estatura, peso corporal e tipo de pisada.
  4. A musculação também é importante neste período de preparação. O cuidado com a musculatura é fundamental para garantir a energia necessária para completar bem seus primeiros 10 quilômetros — e evita lesões!
  5. Tenha uma prova de 10k como objetivo — ela servirá como motivação extra! Contudo, antes de escolher sua prova-meta, tenha em mente que uma boa preparação para corredores iniciantes leva em média de cinco a seis meses e, para intermediários, de quatro a cinco meses.
  6. Disputar até duas provas de 5k no período de preparação para a prova de 10k é uma boa estratégia para testar sua velocidade e ganhar ritmo.
  7. Na semana que antecede a sua prova-meta, procure aumentar os cuidados com a hidratação do corpo, ingerindo mais líquidos (preferencialmente água, mas vale também sucos de fruta natural). Evite bebidas alcoólicas nessa fase, pois elas atrapalham a estratégia de hidratação.
  8. Cuidado para não deixar pequenos deslizes “estragarem” sua prova. Na véspera, separe seu material esportivo (camiseta, shorts, tênis, número de peito e chip de cronometragem), procure saber o horário de largada e planeje seu deslocamento até o local com antecedência.
  9. Na manhã da prova que marcará sua estreia nos 10k, não invente: seu café da manhã deve ser parecido com o dos dias normais. Não precisa fazer uma refeição “reforçada”, tampouco é o momento de experimentar receitas e/ou suplementos novos.
  10. Na prova, procure se posicionar próximo às baias equivalente ao seu ritmo de treino moderado. Evite ziguezaguear na largada, tente tangenciar a prova para correr somente os 10k. Respeite seus limites e, nas subidas, procure levantar a cabeça e não olhar para o chão, assim a chegada ao topo ficará mais rápida. Utilize os postos de hidratação para molhar a boca e, para resfriar o corpo, jogue água nas articulações. Por fim, divirta-se na corrida!

Bons treinos e boa prova!

post_parceiros_4any1_2015