Olá mulherada!

Dia dos namorados tá logo aí, que tal combinar uma corridinha no fim de semana com o namô? Montamos uma playlist romântica, mas bem animada pra correr. Bora ouvir?

Usa o aplicativo Spotify para ouvir músicas? Então não pode deixar de checar o nosso perfil com várias playlists sensacionais (sempre tem novidades!), eu tô sempre colocando novas playlists por lá junto com a Li e a Ju. Então não deixem de assinar!

Se você tem o aplicativo Spotify instalado no seu celular, acesse esse link ou clique no botão: .

Bora correr?

Quem acompanha o CM nas redes sociais e lê meus relatos de corridas aqui no blog já deve ter notado uma presença constante nas fotos: é o meu marido, o César (ou Zé, pros íntimos, rs). O “bichinho” da corrida nos picou mais ou menos na mesma época então, desde que comecei a correr, ele me acompanha nas provas e até mesmo em alguns treinos.

ju-ze-treinando-juntos

Muita gente comenta conosco como acha fofo compartilharmos o esporte e até já nos pediram umas dicas, mas a verdade é que não é sempre que corremos juntos, não. Aliás, lado a lado, é bem raro, já que temos paces diferentes. E isso acaba atrapalhando a ambos porque, às vezes, correr juntos significa que ele tem que ir mais devagar do que gostaria – ou eu mais rápido do que deveria! Sem falar nos nossos horários durante a semana que são invertidos (ele treina pela manhã e eu, à noite).

De qualquer forma, a gente é sim muito parceiro na corrida – e a boa notícia é que tem como você ser uma excelente companhia para o seu corredor ou corredora favorito, e apoiar toda a jornada dele ou dela no esporte, mesmo sem treinar junto. Na verdade, mesmo que você não corra!

Como assim???

Ser companheiro na corrida não é apenas estar ali do lado batendo um papo naquele longão em ritmo leve ou abrindo o gel e a água numa prova mais puxada, sabe? É um conjunto de pequenas ações que, no fim, têm um único objetivo: dar todo o suporte para que o outro possa cumprir seu treinamento e atingir suas metas.

Meu companheiro ♡ #jueze

A photo posted by Juliana Vargas Freire (@megacombo) on

É, por exemplo, organizar a rotina para que exista tempo suficiente para ambos se dedicarem aos seus projetos pessoais (no caso do corredor, à planilha! rs). A Flávia já contou aqui que ela e o marido intercalam o horário de treino com o cuidado com as crianças, de modo que os dois conseguem fazer tudo o que precisam sem deixar a corrida de lado. E isso vale também para quem administra um negócio junto, ou até mesmo para aquela ida ao supermercado enquanto o outro está treinando, sabe? Resumindo: é cuidar do que precisa ser cuidado enquanto o outro sai para correr.

Em casa, como nós dois corremos, também trocamos muitas figurinhas sobre corrida. Você viu aquela prova? Assistiu àquele vídeo? Leu o post de tal blog? são perguntas comuns no nosso dia a dia. Além de falar sobre essas novidades, também acompanhamos de perto o treino um do outro: comparamos nossas planilhas e tempos, damos sugestões para aquilo que não está funcionando tão bem e até fazemos projeções com base na nossa evolução. Tem conversa que só corredor entende, e é bom ter com quem celebrar nossas conquistas e também desabafar sobre nossas dificuldades.

Encerrando a quarta-feira com um #runningdate 💘👫👟💦 #corremulherada

A photo posted by Juliana Vargas Freire (@megacombo) on

Outra estratégia que funciona bem para nós dois é treinar para as mesmas provas. Nossos tempos não são tão diferentes e estamos aumentando o volume quase que simultaneamente, o que ajuda bastante, mas mesmo para quem tem um diferença grande de ritmo é possível encaixar os calendários, já que a maioria das provas hoje oferece opções variadas de percurso. Assim, enquanto um corre 5k, o outro pode completar uma meia maratona.

Mesmo sem correr é legal acompanhar seu par nas provas e torcer por ele. Já perdi a conta de quantas corridas femininas o Zé foi só para me esperar na chegada. No Revezamento Bertioga-Maresias, por exemplo, vi ele de longe e, assim que o reconheci, confesso que deu um gás a mais. Ter alguém que você ama – seja amigo, namorado, pai, filho… – te esperando no final de uma corrida é uma das sensações mais gostosas do mundo!

Foto do drone: ela corre, eu apoio. #revezamentobm

A photo posted by César Gomes Freire (@cesargfreire) on

Mas a vida do corredor não é só corrida. Tem que fazer fortalecimento também! Os dias dedicados a outras atividades físicas podem ser boas oportunidades para treinar junto com seu par que não corre. Vocês podem fazer musculação, funcional e várias outras modalidades que complementam a corrida. Converse com seu treinador sobre as possibilidades para descobrir uma que agrade a ambos.

Acima de tudo, e isso vale para o corredor especialmente, aproveite ao máximo o day off. Esse é o dia que você pode agradecer por todo o carinho e suporte que recebe dando uma atenção especial para o seu amor e fazendo aquilo que ele ou ela mais gosta. Nada mais justo, né? 😉