Vocês já conhecem a Marilia Mitie, do @correinterior, dessa vez ela correu a prova Girls On The Route e hoje conta para gente como foi a sua experiência de correr 21k na prova

***

Oi corredoras,

Tudo bom? Hoje para variar um pouco vim falar de corrida . Esse final de semana participei da Girls on the Route (a Aline do Corre já tinha participado dessa corrida no ano passado). Devorei o post para ir super preparada para corrida, porém esse ano eles mudaram o trajeto, ou seja o plano foi por água abaixo.
Como sou do interior, fui para São Paulo no sábado para retirar o kit na Centauro do shopping Vila Olímpia. Logo que cheguei na loja, fui surpreendida com o treino que a Cau Saad estava promovendo, porém eu me perdi no shopping e só cheguei para o final do treino.

Retirada do Kit

Kit da Corrida

No domingo (dia da corrida), amanheceu cinzento e pedindo para ficar na cama. Reuni toda a minha força e fui para o Ibirapuera, cheguei no local da largada com uma hora de antecedência, pois sou ansiosa e adoro acompanhar a bagunça.

Bagunça antes da corrida

A largada foi dada pontualmente às 7:00 hs da manhã, comigo largaram todas as meninas que correria 5, 10 e 21 kms. Durante a largada estava caindo uma chuva fina que nos seguiria durante toda a corrida.

Nos kms 1, 8 e 3,6 tinham pontos de hidratação (Como prometia o folder do percurso) e no km 5 tinha isotônico.

Como fiz 21 kms tive que dar 4 voltas no circuito, o ponto positivo é que conhecíamos o percurso logo de cara, o que nos ajudava para as voltas posteriores. Sem contar que em cada volta era uma amizade diferente.

Depois da corrida, encontrei com o meu marido parceiro de todas horas que ainda teve paciência tirar uma foto minha com o joy (o dog mais lindo).

A Corrida da Leitora é um espaço para compartilhar histórias, conquistas, superações, dicas e muito mais! Quer participar? Preencha o formulário e entraremos em contato.

Hoje temos a honra de trazer mais um relato de uma leitora querida, a Dani Romeu

Muitos sonham em correr na Disney, mas a Dani levou esse sonho a outro patamar e se preparou com muita dedicação para encarar o Desafio do Sapatinho de Cristal em 2017, que combina duas provas, uma de 10k e outra de 21k com o tema das Princesas. Incrível, né? Claro que pedimos para ela contar todos os detalhes pra gente! Vem se inspirar com esse relato lindo! 🙂

***

Dani na Meia Maratona das Princesas na Disney

Acho que, para começar a contar para vocês sobre como foi correr o Desafio do Sapatinho de Cristal, vale a pena começar contando que, basicamente, eu comecei a correr por causa da Disney Magical Run. Não só foi a minha primeira prova como também foi o momento em que me apaixonei pela corrida, isso em 2013. Quando ouvi falar que era possível correr na Disney e que existia uma prova das Princesas, em 2014, não foi nada difícil essa virar minha prova dos sonhos de corredora.

Fazer a inscrição para essa prova já faz parte da primeira grande ansiedade! As inscrições abrem, em média, 10 meses antes da corrida e, como é uma das provas mais concorridas pra se inscrever para correr na Disney, você tem que usar todas as suas técnicas de corredor ninja da web, com a hora e dias marcados e o dedo no refresh. Eu me inscrevi em duas provas, para o Princess 5K e o Slipper Glass Challenge, que é correr os percursos de 10K e 21K, um dia seguido do outro. Confesso que passei a semana inteira olhando no site da Run Disney conferindo a inscrição, sem acreditar que eu realmente iria pra Princess Half Marathon Weekend.

Além de longos meses de espera e organização, com documentos e planejamento de viagem – porque, obviamente, eu queria ir também em todos os parques –, haviam muitos treinos pela frente. Estava apavorada com a ideia de correr 36K em 3 dias, coisa que eu jamais tinha feito, e incluir parques entre as corridas, impensável para a minha humilde vida de corredora.

Os treinos vieram e o volume aumentou muito, eu corria de 4 a 5 vezes na semana e ainda no nosso verão. Ok, parece uma ideia péssima (enquanto treinava, pensei mil vezes “quem treina para uma prova durante o verão?!”), mas exatamente por treinarmos em um ambiente tão difícil, as provas se tornam perfeitas pra nós, uma vez que ainda é inverno em Orlando.

Já lá na Disney, eu estava bem preocupada com a questão do cansaço. No dia da retirada do kit, decidi me dedicar somente à Expo, que sempre ouvi falar que é gigante – e sim, é verdade. Cheguei no meio da tarde e peguei os números de peito e as camisetas sem enfrentar filas. Para retirar os números de peito, você precisa ter impresso um Waiver, que nada mais é que uma autorização (eu já levei comigo, mas você consegue imprimir lá também), e apresentar um documento. Primeiro, você pega o BIB number e depois as camisetas com um saco, utilizado como guarda-volumes no dia da prova. E pronto, você está liberado para gastar, ops, curtir a expo.

Vale muito a pena a loja oficial da Run Disney, que tem todo tipo de produto das provas, mas as coisas não são tão baratas como somos acostumados a achar… Então, se você não quer gastar, você só vai sofrer. 😛 Uma das coisas que eu mais achei interessante foi a possibilidade de poder se inscrever com antecendência para a corrida do próximo ano, que tenha certeza que você vai querer.

As provas começam realmente cedo, por volta das 5 da manhã, e a melhor opção é se hospedar em um dos hotéis da Disney. Claro que, além de toda a magia que envolve os hotéis, alguns fazem parte “do evento”, então de dentro do hotel saem ônibus de 5 em 5 minutos – pelo menos, essa foi a média do meu hotel – que te levam tanto para a Expo quanto para a largada. É de uma facilidade incrível! Tem muito trânsito no dia da prova para entrar no Complexo Disney, eles mesmos pedem pra se programar e evitar carros, o que pra quem fica fora é realmente difícil. Muitas ruas são bloqueadas e eles criam um sistema de passagem preferencial para os ônibus. Outra coisa que eu gostei muito foi não ter que levar nada pra prova, somente o necessário pra correr. A chave do hotel era o meu Magic Band, que é uma pulseira de acesso para quem fica hospedado na Disney. O resto foi tudo comigo e não precisei me preocupar em deixar coisas no guarda-volumes e nem em passar na fila de inspeção para quem estava com mochila.

Acordar às 3 horas da manhã é, com certeza, a parte mais difícil, até mais que as corridas em si. Você tem que estar no seu curral pelo menos 30 minutos antes da largada. Não dá para entrar em qualquer curral e eles fecham antes da largada, ninguém entra mais depois de fechado e você só pode se posicionar em um curral depois daquele que foi designado para você, nunca antes. O que vale a pena ficar de olho também são as filas do banheiro, elas são enormes! E não é por falta de banheiro, porque tem muitos. Um outro ponto legal de se chegar cedo é poder tirar foto com as princesas. Você pode tirar antes ou depois, mas antes pelo menos você ainda está bonitinha.

E por falar em bonitinha, essa é a prova que, literalmente, você pode “Let It Go” e se jogar na fantasia! TODO mundo corre fantasiado, homens vestidos de princesas, famílias vestidas como personagens diferentes de um mesmo filme, casais combinando… Não tem nada que você pense que é muito elaborado que você não vá encontrar. Eu me vesti de personagens de A Bela e a Fera, que era a princesa tema desse ano e a minha princesa preferida.

Dani fantasiada de Bela

Agora a melhor parte, a corrida!

As provas de 5K e 10K largaram do mesmo ponto ao lado da Arena, o que foi bem simples. Já a Meia Maratona largou de um lugar bem longe, quase 1K depois da arena, e tinha MUITA gente. Fui pega super de surpresa porque tive que andar com milhares de pessoas por uma estradinha escura e não esperava esse tanto de gente. Eu estava alocada no curral F, que era bem na frente –acredita tem até o curral P?! Demorei um tempinho na arena e cheguei bem em cima da hora de fechar o meu curral. Todas as largadas têm contagem regressiva e fogos de artifício, é muito engraçado porque você se sente como a pessoal mais especial do mundo.

Logo no começo das provas, você já vê personagens e pode parar pra tirar foto com todos, só que alguns você vai enfrentar uma boa fila. Se tempo não é o seu alvo, eu pararia em todos porque tem muitos personagens que você não encontra no parque, como Rainha Má, Malévola, Dunga, os Príncipes, os Piratas do Caribe… e não é só o personagem, tem todo um cenário com música e efeitos especiais. O divertido é que você não sabe com quem vai encontrar, então você fica tentando adivinhar.

Além dos personagens, tem vários pontos com DJ e voluntários em torno do percurso. Pensa nas pessoas mais fofas: são os voluntários! E tem também uma galeratorcendo por você, que estão com a família ou hospedados nos hotéis. Sempre vai ter alguém pra te animar e te empurrar pro final, que eu realmente confesso foi uma das coisas que mais gostei.

Nos 5K e 10K, você corre dentro do Epcot. Já é muito emocionante ouvir as músicas tema dos filmes e correr lá dentro, parece que você está sozinha em um sonho, mas na Meia Maratona é ainda mais, porque você corre até o parque do Magic Kingdom e não existe nada mais emocionante do que virar a Main Street USA e dar de cara com o Castelo da Cinderela! Eu não sei como conseguir correr ali, pareciam que todas as fichas tinham caído ao mesmo tempo.

Dani com suas medalhas e o famoso Castelo da Cinderela!

A prova é muito bem organizada, com vários pontos de água,  banheiros e postos médicos pelo caminho. Não tem como passar aperto – eu sei porque precisei de banheiro! O percurso é basicamente plano, com algumas subidas inclusas, de pontes e túneis. Existe também muitos pontos de bebidas para reposição de sais minerais e de gel de carboidrato. O que eu achei fantástico é que eles gritavam o sabor do gel pra você escolher. Quem vai pensar nisso nessa hora?!

A chegada é incrível, principalmente da Meia Maratona! Você é recepcionado pelos personagens. Quer sonho maior do que fazer “High 5” com o Pateta antes de cruzar a linha de chegada?!?! Logo após a chegada, você encontra uma tenda enorme de autoatendimento onde você pode fazer gelo, o que eu achei a coisa mais linda do mundo. Logo que você entra, já vêm alguns paramédicos saber se você está bem e fazendo mil perguntas, achei muito atencioso. A entrega da medalha é feita pelos voluntários, apenas para a medalha do desafio você tem que passar por uma tenda e checar o seu número de peito primeiro. Tudo super confirmado!

Depois da corrida, não tem nenhuma atividade na Arena, somente as Princesas para tirar foto. Você já pode pegar o seu ônibus e voltar pro seu hotel e descansar, ou ser maluca como eu e ir curtir os parques. Por falar nisso, foi cansativo sim, mas valeu cada passo dado!

Agora, depois disso tudo, minha conclusão: foi a melhor prova da minha vida! O sonho se dividiu e virou muitos agora, foi simplesmente mágico. Pra não dizer que estou mentindo, fui para mais um desafio: correr o Never Land 5K e o Pixie Dust Challenge agora em Maio na Califórnia! Com essa prova, vou cumprir o desafio do Coast to Coast, que é fazer uma Meia Maratona ou Maratona na Disneyland e outra na Walt Disney World no mesmo ano.

Com certeza não será a última vez que vocês vão me ver correndo na terra do Mickey! 

Dani faz high-five com o Pateta na chegada da prova!

A Corrida da Leitora é um espaço para compartilhar histórias, conquistas, superações, dicas e muito mais! Quer participar? Preencha o formulário e entraremos em contato.