Demorou (um ano!), mas finalmente chegou a hora de eu falar um pouco para vocês sobre como comecei a correr, minha rotina de treinos e o que me motiva a continuar. Então, senta que lá vem história…

Primeiro, deixa eu me apresentar: sou a Juliana Vargas (sim, somos duas Jus aqui no blog) e tenho 28 anos. E, como já contei antes, tenho bronquite. Posso adiantar que corro apesar da bronquite, e não por causa dela. Aliás, nunca me imaginei correndo na vida, mesmo tendo praticado diversas atividades físicas — ou pelo menos tentado, hahahaha… Até que um dia… Ah, sempre tem um dia, né? 😉

WRun 2013 WRun 2014

Primeira e última medalhas: curiosamente, na WRun 2013 e na WRun 2014 😀

Estava com uma rotina de atividades físicas que eu adorava: às segundas e quartas, natação; terças e quintas, pilates. Era uma combinação suave de exercícios, que me relaxava e me ajudava não só a ter uma respiração, como também uma postura melhor. No entanto, meus horários ficaram malucos e precisei trocar por uma atividade com mais liberdade de horário — e foi então que comecei a fazer “academia”, no famoso combo musculação + aeróbico. Com tantas amigas começando a correr (isso era outubro de 2012), pensei comigo mesma: por que não tentar a esteira, só para variar?

Aí vieram dois problemas: 1. eu era (sou, hehe) uma péssima corredora; 2. eu tinha medo de cair da esteira. Hahahaha… Siiiim, acho que todo mundo que corre devagar tem medo de não conseguir acompanhar o ritmo da esteira e se estatelar no chão. Além disso, a última coisa que queria era pegar pesado só para me ver parada por semanas por causa de alguma lesão ou machucado.

Descabelada na volta da academia Pronta para a rua!

Fotos dos primeiros treinos, na academia e depois na rua

Para contornar tudo isso, comecei com um treino super leve e que é uma boa dica para quem está arriscando suas primeiras corridas depois de muitas “caminhadas aceleradas”. Era bem simples: andava quatro minutos e corria um, andava mais quatro minutos e corria mais um, até completar o tempo do treino (usn 30-40 minutos). Depois de um mês (sou medrosa AND lerda, gente), passei a andar três minutos e correr dois; depois, andava dois minutos e corria três; e assim por diante.

Quando mudei para São Paulo, no começo de 2013, fiquei um tempo sem me matricular na academia e passei a treinar na rua, em um parque perto de casa. Ali, já começávamos a pensar no Corre Mulherada de fato e eu me sentia bem mais tranquila para correr. Comecei seguindo a planilha Beginner 5k, do aplicativo RunKeeper (mas tem outras aqui), e estava indo superbem — até ter uma crise terrível de bronquite, daquelas de parar no hospital, ficar um bom tempo sem correr e… ter que começar tudo de novo. E de novo! Recomecei essa planilha TRÊS vezes no ano passado, meninas! Haja força de vontade, hahaha…

Circuito Athenas - Etapa 2 - São Paulo 2013 Circuito Athenas - Etapa 3 - São Paulo 2013

Circuito Athenas em 2013: muito bem acompanhada pelo futuro marido <3

Ainda não corro 5k constante (vergonha!), mas meio que desencanei disso. Como fiquei noiva <3 e estou de casamento marcado, minha meta deixou de ser tempo ou distância e virou a balança. E, para garantir um emagrecimento saudável, em que eu perca gordura e não massa magra, estou fazendo reeducação alimentar, musculação e corrida. Como o objetivo mudou, estou correndo menos que antes, mas com mais constância — e, para a minha surpresa, consegui melhorar meu tempo na última prova. Comparada com a WRun do ano passado, diminui meu tempo em 5 minutos! Pode parecer pouco para algumas pessoas, mas para mim foi incrível! Hahahaha… 😉

Bom, confesso que enrolei bastante para fazer esse post porque, como sou uma das lanterninhas do grupo, sempre senti um certo constrangimento em falar sobre meus treinos. Não me sentia uma corredora, sabe? Hahahaha… É duro ser sempre uma das últimas e ver que todo mundo está evoluindo em um ritmo bem mais acelerado que o seu. Com o blog, sempre vinha uma cobrança maior — na maior parte do tempo, de mim mesma. Mas, depois de um ano com muitos altos e baixos, e algumas conquistas, estou mais confiante e, principalmente, aceitando que não importa o estilo, nem o ritmo, nem o quanto você corre. O importante é correr!

Não importa se você corre muito ou pouco, você já superou a maioria que fica em casa Se você tem um corpo, você poderá ser uma atleta

Frases motivacionais do nosso Instagram que eu adoro! 🙂

O legal aqui do Corre Mulherada é que, apesar de sermos amigas e todas gostarmos de correr (óbvio, rs), temos objetivos, metas e motivações muito diferentes. Por isso que vocês encontram esse mix [que eu acho] tão legal nos nossos posts.

Espero que, de alguma forma, eu possa ajudar você que também enfrenta dificuldades e que não corre muito a seguir em frente e se sentir CORREDORA! 🙂

Olá mulherada!

Hoje é um dia super especial pra mim, meu aniversário de 30 anos! Eu adoro comemorar aniversário, fazer festa, comer bolo e neste dia tão especial resolvi contar minha história com a corrida, história breve, mas que pretende ser muito longa, porque eu me vejo correndo com 90 anos! 😉

Minha Corrida - Aniversário

Eu sempre gostei de praticar esportes, quando criança fiz balé e jazz (adorava) e na época da adolescência eu adorava as aulas de educação física da escola, participava de todos os times, jogava de tudo: vôlei, handebol, basquete, futebol… mas era boa na defesa, então não corria tanto.

Depois da escola, entrei na faculdade, comecei a trabalhar e a única coisa que eu fiz durante anos foi caminhar da faculdade até a estação de trem, e do trem até o trabalho. Trabalhando sentada o dia todo, claro que engordei muito. Então antes de casar, aos 23, fiz academia pra emagrecer e ficar bonita no vestido e foi quando me apaixonei pelo spinning, depois de casada ganhei uma bicicleta ergométrica que foi minha melhor companheira até este ano quando eu descobri a corrida! 😀

A corrida entrou na minha vida graças às meninas que dividem este blog comigo <3, elas se animaram com a corrida M5K do Mc Donald’s e me chamaram pra correr, pensei “se eu não conseguir correr, vou caminhando”, treinei um dia com duas amigas e no dia da corrida peguei conjuntivite e não pude correr. 🙁 Isso me desanimou muito, elas continuaram indo em provas e eu nem treinava. Mas ai veio o ano novo e as mil resoluções que a gente adora fazer, e botei lá na listinha “correr”. No primeiro dia deste ano peguei o celular, calcei o tênis e fui correr, não aguentei nem 300 metros. Caminhei outros 3 km e achei que correr não era minha praia, mas como queria emagrecer muitos quilinhos a mais, decidi tentar em outra oportunidade.

Até março eu só tinha tentado outras duas vezes, mas a falta de segurança nos parques era a minha desculpa pra nunca ir correr, nestas duas oportunidades descobri que podia correr mais, 500 metros, mas depois caminhava outros 4 km. Foi somente no dia 13 de março que decidi que ia correr e participaria das provas com as meninas, fui numa academia perto da escola do meu filho (Eduardo está com 1 ano e 5 meses, meu futuro companheiro de corrida :)) e me matriculei (tchau desculpa da falta de segurança!). No dia seguinte lá estava eu correndo na esteira.

A primeira corrida na esteira foi a motivação que faltava, trotei por 3 km e caiu a ficha “sim, eu posso correr!”, confesso que fiquei em choque, saí da esteira achando que eu tava dormindo, afinal, como era possível eu não aguentar correr nem 300 metros e sair correndo 3 km de uma vez? Daí pra frente ganhei confiança e fui aumentando a velocidade, a distância e batendo meus recordes pessoais.

Tudo isso em conjunto com muita leitura (aqui no blog a gente tem postado vários assuntos ótimos pra quem está começando), com um check-up médico (mega importante) e com um treino de musculação para fortalecimento montado por um educador físico (porque eu morro de medo de me lesionar).

Minha Corrida - Mariana Frioli

Correndo. 🙂 1. Tirando o celular pra ver o tempo. 2. Correndo num shopping. 3. Chegada que eu assisto e não acredito que sou eu! 4. Primeira corrida noturna!

Na minha primeira prova de corrida de rua, no dia 7 de abril, fiz 5 km em 32min28seg e corri a prova inteira, super animada no dia seguinte peguei ainda mais firme nos treinos, comecei a treinar subidas (pois na prova tinha uma e achei que fosse morrer, rs) e de lá pra cá já baixei meu tempo para 29min50seg. Entre começar a correr, fazer minha primeira e fazer a terceira prova (onde baixei meu tempo) passou um mês. Eu ainda me pego vendo os vídeos da chegada e pensando “nossa, sou eu mesma ali terminando uma prova?”. É inacreditável! E é o maior exemplo de “se eu posso, você também pode“.

Quando me perguntam o que eu fiz, sempre respondo “Tenho muita motivação e foco, aprendi a gostar de academia e perdi o medo de ir correr nos parques”. Tô completamente apaixonada pela corrida, acho que finalmente achei um esporte para chamar de meu, rs. 😀

Sei que tem muitas leitoras que ainda não correm, mas querem, e a dica que eu dou para quem está iniciando é ir testando seus limites, alternando corrida com caminhada. Começar na esteira deixa tudo mais fácil, afinal, no começo é difícil você ter noção de velocidade correndo na rua, na esteira você escolhe a velocidade e vê se o esforço foi tranquilo ou foi de matar e vai variando, com toda certeza você irá encontrar um ritmo que consegue correr confortavelmente. Daí pra frente é só treinar e tomar cuidado com as lesões, eu tenho uma regra e nunca infrinjo “se sentir dor, pare de correr e caminhe” (principalmente no começo, que você está se acostumando e não conhece seus limites), pois pode ser que você esteja fazendo algo errado (pisando errado, respirando errado, etc).  E claro, vá fazer um check-up e procure um educador físico para te orientar, com saúde não se brinca. Acho que esse é o primeiro passo para quem quer correr por muito tempo! 😀

Hoje, já estou treinando pra baixar meu tempo (treino 4x por semana, 3 em esteira e uma na rua/parque) e tive a necessidade do apoio de uma nutricionista e também de seguir uma planilha de treinos, estou gostando bastante de ter mais esse incentivo. Espero que vocês fiquem motivadas e saiam correndo! Contem comigo e a mulherada desse blog para ajudar nessa empreitada, quem sabe a gente não corre juntas por aí?