No último domingo aconteceu a Corrida Mulher Maravilha. A região central de São Paulo foi inundada por um mar de mulheres vestidas de vermelho, azul e amarelo. A convite da Risquè fomos participar  também e hoje contamos como foi.

Largada Corrida Mulher Maravilha

Largada (Foto: Sérgio Shibuya/MBraga Comunicação)

As inscrições acabaram super rápido, a mulherada se empolga bastante e as distâncias da prova (4 e 8k) são super acessíveis para quem está começando e quer se arriscar no mundo das corridas.

KIT

O kit premium da corrida era composto por camiseta, saia, pingente, copo, esmalte e viseira, tudo muito legal e que deixou todo mundo empolgado com a corrida. A Ju postou a foto no instagram na quarta-feira antes da prova e a mulherada foi a loucura. rs

Kit da corrida

KIT Mulher Maravilha

PROVA

Essa era a prova para encontrar as amigas e curtir, mas para mim ela começou complicada. Na madrugada de sábado para domingo, a Melissa foi dormir já eram 5:00 da manhã e eu estava bem cansada e pensei: vou só tirar um cochilo e já levanto.

Quando eu vi já eram 6:30 da manhã e a largada iria ser às 7h. Confesso que pensei muito em desistir e deixar pra lá, mas sabe quando fica com uma dorzinha na consciência? Pois é.

E para ajudar um pouco na decisão, o local da corrida não foi distante de onde eu moro e somei a isso que a largada demoraria um pouco, por causa da quantidade de pessoas. E decidi encarar, se não conseguisse paciência.

Apesar dos contratempos, consegui chegar, a largada atrasou e mais a quantidade de pessoas, deu tempo de largar numa boa e correr!

Os três primeiros quilômetros foram bem difíceis, eu não consegui correr muito, tinha muita gente e as ruas do Centro são estreitas, então, eu ultrapassava da forma que dava as pessoas. Eu já sabia que essa era uma prova para curtir e festejar, então fui fazendo o que dava até chegar perto do 4k.

A partir daí a corrida fluiu bem melhor e consegui desenvolver um pouco de velocidade e apesar de estar bem cansada, eu fui até o final e fiquei feliz com o resultado, pois a dedicação aos treinos está rendendo frutos. 🙂

Foto com a medalha

Cansada, feliz e com a medalha linda!

Durante o percurso tinha alguns portais com palavras de motivação como coragem, poder e maravilha. A hidratação estava boa.

No kit pós-prova tinha Natural Whey da Verde Campo, frutas, torrone e pão de mel da Montevergine. Para completar a experiência, na arena tinha várias atrações para a mulherada, vários locais para tirar fotos, música, espaço da Moleca, entre outras coisas.

Foi uma corrida bem organizada e a única coisa chata foi que tava impossível encontrar as pessoas hahaha… Eu e a Ju não conseguimos nos encontrar. Gostei bastante de voltar a correr no Centro, nem lembro a última corrida que eu participei lá.

Obrigada à Risquè pelo convite! Adoramos. 😉

No último final de semana, aconteceu em São Paulo mais uma Maratona de São Paulo. A última vez que participei da prova foi em 2015, no ano passado não participei, pois faziam poucas semanas que a Melissa tinha nascido, neste ano voltei a participar.

Largada – Foto: YESCOM/Divulgação

A prova é super tradicional em São Paulo, é uma prova cheia, e não é só para quem quer correr uma maratona, tem distâncias de 4, 8 e 24k. Neste ano, o planejado era fazer os 8k, mas ao longo do post eu conto o porque acabei fazendo os 4k.

Eu tinha planejado ir na sexta-feira retirar o kit, mas consegui só no sábado e estava uma fila imensa na hora que cheguei. Embora, a fila fosse até fora do ginásio, não foi demorado, devo ter ficado no máximo 20 minutos esperando a minha vez. No kit vinha, camiseta, chip, número de peito, gel de carboidrato, alguns papéis e amostras.

No domingo, acordamos e eu e o Beto fomos para a região do Ibirapuera. O clima estava muito gostoso. Quando chegamos, me surpreendi com a calma que estava por lá, sem flanelinhas e logo entendi o porque: a região estava muito bem policiada.

Paramos o carro e fomos para a largada, eu ia correr os 8k, mas acabei indo de pacer do Beto e fiz os 4k com ele. E foi super legal, porque o Beto correu bem, apesar de sentir alguma dores no joelho (falta fortalecer!!) e eu quase não senti os 4k, eles passaram voando!

A prova no geral estava muito bem organizada, a largada estava dividida por cores e só era possível entrar com número de peito e chip. Na chegada, quem não estava inscrito, era conduzido pela lateral. Várias pessoas do staff e segurança estavam há uns 100 metros da chegada para controlar isso.

Depois da corrida, pegamos nosso kit pós-prova que estava bem recheado: frutas, isotônico, barrinha, whey da Verde Campo, produtos da Montevergine e fomos na tenda do Eu Atleta que estava muito boa. Para fechar encontramos a Margô do Paquitas que Correm para o bla, bla, bla run ehhehe.

Eu curti bastante correr a prova esse ano, no ano que vem quero voltar para fazer os 24k. 🙂

Obrigada Fila e Eu Atleta pelos convites. Adoramos.