A Narjara Lara começou a correr há pouco tempo e já está incentivando as amigas! No último sábado, ela participou da primeira etapa da Night Run 2017 aqui em São Paulo e levou uma de suas melhores amigas, a Vivi, para estrear nas corridas de rua ao lado dela. Hoje, ela conta um pouco mais como foi a prova pra gente. Parabéns, meninas! Agora é rumo aos 10k! 😀

***

Oi, mulherada! Tudo bem? Estou aqui para contar minha experiência na Night Run 2017!

Assim que vi o kit da corrida, já fiquei apaixonada. Minha amiga Vivi nunca havia participado de nenhuma prova e eu estou começando a correr… Logo, escolhemos o trajeto de 5K.

Fomos retirar os kits no Shopping West Plaza no dia 08/04 – o dia da prova – e foi bem corrido. Mas deu tudo certo! Quase não pegamos fila e estava super organizado, não houve nenhum problema. Quando chegamos em casa e abrimos o kit, confirmamos a fofura do mesmo: camisetas amarelas manga longa e um LED para usar durante a prova. 😀

Animadas na retirada do kit e apaixonadas pela camiseta da prova

A previsão do tempo apontava chuva para o sábado, mas o pensamento positivo foi tão grande que Santa Clara ajudou: não caiu uma gota sequer! E foi uma noite linda!

A atmosfera da corrida é sempre animada: muita gente correndo por todos os lados antes mesmo da prova começar. O pessoal da Night Run apresentou um palco com luzes, exercícios de aquecimento e infraestrutura bacana. Chegamos um pouco atrasadas devido à dificuldade para estacionar no Sambódromo do Anhembi (na próxima, juro que aprendo e planejo com antecedência, rs), o que não permitiu que curtíssemos toda a experiência oferecida… Então, vai a dica: utilize transporte público ou estude a região. Estacionamos longe e, com isso, alguns quilômetros já haviam sido feitos antes da corrida começar.

Largamos atrasadas, mas sem perder a empolgação

Assim que chegamos, fomos para a largada e com música e luzes iniciamos a corrida. Levamos a prova no alto astral, corremos lado a lado e nos divertimos. Acho que isso é o principal: a diversão e a parceria.

Foi mágico cruzar a linha de chegada… Estamos bem curiosas para ver como nos saímos! Levamos até bronca da organização, pois queríamos tirar fotos e já não era permitido voltar para a área da chegada… 😛

Chegamos!!

Independente do resultado, foi uma experiência incrível – somos amigas há anos e, de tantas coisas que já fizemos, correr juntas foi a primeira vez! E foi bem bacana correr à noite! Uma balada diferente. Além do mais, foi lindo ver tanta gente de amarelo correndo com seus LEDs! Pura energia! De vez em quando, o pessoal ainda puxava um grito de guerra para motivar…

Quando a corrida terminou, ficamos eufóricas e não parávamos de falar do orgulho em completar a prova e receber a medalha… E o que era aquela medalha de submarino? Maravilhosa! Vai ficar exposta em casa. Meu filho adorou e ficou orgulhoso quando a viu!

Amei a medalha!

Engraçado, depois que a prova acaba, dá aquela sensação de que você aguentaria mais uns quilômetros… Quem sabe não volto aqui em breve para contar como foi correr 10 km? 😉

A Corrida da Leitora é um espaço para compartilhar histórias, conquistas, superações, dicas e muito mais! Quer participar? Preencha o formulário e entraremos em contato.

Parte da turma super animada do Pelotão Eu Atleta! (Foto: Marcos Riboli/Divulgação)

No último domingo, 19 de fevereiro, abri oficialmente meu calendário pessoal de corridas de 2017! Hahahaha… Ai, gente, nada como uma corridinha para dar uma animada nos nossos treinos, né? Aquele clima de prova funciona como um “boost” imediato de energia para mim. 🙂

O convite veio do Eu Atleta, que levou uma galera incrível para correr a Meia Maratona Internacional de São Paulo. A prova tem percurso de 5k, além dos 21k — fiquei com o mais curto. Corri a prova toda ao lado do meu marido, que também está voltando para os treinos de corrida depois das nossas merecidas férias! 😉 Hahahahhaa…

Nossa clássica fotinho pós-prova!

Essa é uma prova bem tradicional de São Paulo, com largada e chegada no Estádio do Pacaembu, mas eu nunca tinha participado antes. Sabia, contudo, que seria cheia! Então já fui me preparando para encarar aqueles probleminhas que costumamos encontrar em provas curtas com muita gente, em especial, a dificuldade de pegar o ritmo que pretendemos desde o início devido à multidão e os temidos “paredões” de caminhantes.

Porém, como a prova estava dividida em pelotões por pace e a organização foi bastante rígida nesse ponto, fazendo um controle intenso para garantir que apenas os corredores com a cor indicada no número de peito entrassem nos acessos à largada, consegui pegar a velocidade que planejei já nos primeiros metros e segui assim até o final. Eu poderia ter largado na frente, mas preferi sair mais atrás, com o pelotão do meu pace mesmo, justamente porque minha experiência anterior largando com um pelotão mais veloz não foi muito legalCom certeza, a melhor escolha para mim!

Outro ponto que ajudou nesse aspecto, acredito, foi o fato de a grande maioria dos participantes ter optado pelo percurso de 21k, ou seja, eram corredores mais experientes e que estavam seguindo uma estratégia para a prova.

Na chegada, recebemos água, frutas, biscoitos, isotônico, água de coco e até whey! Pós-treino completíssimo, né? Tinha para todos os gostos. Fiquei um tempinho na tenda do Eu Atleta conversando com o pessoal, tirando muuuuitas fotos e ainda ganhei uma massagem esportiva para relaxar as pernas. Uma delícia! Comecei 2017 muito bem! 😉

Sobre a questão dos pipocas: esse é um tema bastante controverso, né? Entre nós três, temos conversado bastante sobre todos os aspectos dessa polêmica, prós e contras das campanhas que vêm sendo feitas, e optamos por falar sobre esse assunto com mais calma depois, em um post separado.

Você também participou dessa prova? O que achou? Conte nos comentários!