Parte da turma super animada do Pelotão Eu Atleta! (Foto: Marcos Riboli/Divulgação)

No último domingo, 19 de fevereiro, abri oficialmente meu calendário pessoal de corridas de 2017! Hahahaha… Ai, gente, nada como uma corridinha para dar uma animada nos nossos treinos, né? Aquele clima de prova funciona como um “boost” imediato de energia para mim. 🙂

O convite veio do Eu Atleta, que levou uma galera incrível para correr a Meia Maratona Internacional de São Paulo. A prova tem percurso de 5k, além dos 21k — fiquei com o mais curto. Corri a prova toda ao lado do meu marido, que também está voltando para os treinos de corrida depois das nossas merecidas férias! 😉 Hahahahhaa…

Nossa clássica fotinho pós-prova!

Essa é uma prova bem tradicional de São Paulo, com largada e chegada no Estádio do Pacaembu, mas eu nunca tinha participado antes. Sabia, contudo, que seria cheia! Então já fui me preparando para encarar aqueles probleminhas que costumamos encontrar em provas curtas com muita gente, em especial, a dificuldade de pegar o ritmo que pretendemos desde o início devido à multidão e os temidos “paredões” de caminhantes.

Porém, como a prova estava dividida em pelotões por pace e a organização foi bastante rígida nesse ponto, fazendo um controle intenso para garantir que apenas os corredores com a cor indicada no número de peito entrassem nos acessos à largada, consegui pegar a velocidade que planejei já nos primeiros metros e segui assim até o final. Eu poderia ter largado na frente, mas preferi sair mais atrás, com o pelotão do meu pace mesmo, justamente porque minha experiência anterior largando com um pelotão mais veloz não foi muito legalCom certeza, a melhor escolha para mim!

Outro ponto que ajudou nesse aspecto, acredito, foi o fato de a grande maioria dos participantes ter optado pelo percurso de 21k, ou seja, eram corredores mais experientes e que estavam seguindo uma estratégia para a prova.

Na chegada, recebemos água, frutas, biscoitos, isotônico, água de coco e até whey! Pós-treino completíssimo, né? Tinha para todos os gostos. Fiquei um tempinho na tenda do Eu Atleta conversando com o pessoal, tirando muuuuitas fotos e ainda ganhei uma massagem esportiva para relaxar as pernas. Uma delícia! Comecei 2017 muito bem! 😉

Sobre a questão dos pipocas: esse é um tema bastante controverso, né? Entre nós três, temos conversado bastante sobre todos os aspectos dessa polêmica, prós e contras das campanhas que vêm sendo feitas, e optamos por falar sobre esse assunto com mais calma depois, em um post separado.

Você também participou dessa prova? O que achou? Conte nos comentários!

rsmusicrun16-ju

No útlimo sábado, rolou mais uma edição da Rolling Stone Music & Run em São Paulo, prova organizada pela Yescom que combina três coisas que eu amo: corrida noturna, música e… open bar de cerveja! 😛

A largada foi separada em três grupos: primeiro o pessoal dos 5k, pouco depois quem faria a caminhada de 3k e, uma hora depois, os 10k. Como o percurso dos 10k eram duas voltas iguais pelo Minhocão, preferi correr só 5k. E olha, ainda bem que teve essa divisão! Se a prova dos 5k já estava cheia, imagine se todo mundo fosse largar junto! Hehehehe…

Tava tranquilinha a largada dos 5k, né? rs (Divulgação)

Tava tranquilinha a largada dos 5k, né? rs (Divulgação)

Como eu saí mais atrás, tive que ultrapassar bastante gente no primeiro quilômetro. Em provas curtas, não tem jeito: quem quer correr mesmo, precisa largar mais pra frente. Chegando no Minhocão deu uma dispersada, não só porque a pista era maior, mas porque parte dos corredores decidiu seguir pela contramão —  até a organização sinalizar que era hora de voltar para o lado certo da pista porque os primeiros colocados já estavam fazendo o retorno, né! 😉

A arena foi montada no Memorial da América Latina e oferecia vários painéis com capas clássicas da revista para tirar foto, além de uma área com food trucks e tendas de alguns patrocinadores. O palco para os shows estava enorme e conseguimos ter uma visão muito boa sem precisar ficar lá na frente, sabe? Gosto de ver show mais sossegada mesmo, então adorei!

A medalha também estava linda!

A medalha também estava linda!

Confesso que fiquei meio desanimada quando vi que teria esperar terminar a prova dos 10k para começar o show principal da noite (e open bar, rs) porque achei que ficaria entediada, mas a verdade é o que tempo passou rapidinho.

Encontrei amigos, tirei muitas fotos e me diverti com a banda que fez o show de abertura, a Warriors, que tocou vários clássicos do rock nacional e internacional.

Show do Jota Quest (Divulgação)

Show do Jota Quest (Divulgação)

O show do Jota Quest, como eu esperava, foi maravilhoso. Nunca tive um CD da banda na vida, não tenho as músicas deles no celular, então não posso me considerar uma fã, mas não é a primeira vez que vou a um show deles e tenho que tirar o chapéu: os caras são muito bons no palco! E incrivelmente a gente sabe to-das as músicas, hahahaha… Do show deste sábado, eu só não conhecia uma música do novo álbum, o resto cantei de cor e salteado. A presença de palco deles é algo impressionante, sem falar na qualidade do som. Foi incrível!

O open bar também foi outro ponto que me surpreendeu muito. Imaginei que seria aquele desespero para pegar cerveja — e na primeira rodada foi mesmo, porque todo mundo estava na maior expectativa para dar 21h30 e o bar ser liberado, rs. Mas depois foi super tranquilo fazer o “refil” e mesmo quando o show já tinha acabado, com o evento quase encerrando, ainda tinha cerveja para quem quisesse beber — e gelada! Mais um ponto para a organização.

Foi a primeira vez que participei e amei a experiência. Com certeza, quero repetir no próximo ano! 😀

E você, correu essa prova? Conte o que achou nos comentários!