O post de hoje, é na verdade, mais um reforço do original (leia AQUI). Mas por que bater tanto nessa tecla?

Como disse anteriormente, e não custa repetir:

Por ser um esporte onde a maioria pratica ao ar livre, deve-se ter cuidado redobrado com a pele. Com o crescimento do buraco na camada de ozônio (que funciona como uma espécie de “protetor solar” natural), ficamos mais vulneráveis às ações dos raios ultravioletas UVA, UVB e UVC, que causam danos à pele. Uma exposição à essa radiação sem a proteção devida, pode causar sérias consequências como: insolação, vermelhidão, queimaduras, envelhecimento precoce e até câncer de pele.

Para manter sua pele sempre saudável e bonita, é indispensável que você a proteja com os cuidados necessários. O primeiro passo é o uso do protetor solar adequado para sua pele, e não se esquecer que deve ser reaplicado generosamente a cada 2 horas! Outra forma de se proteger, que NÃO EXCLUI DE MODO ALGUM A PRIMEIRA, somente reforça a proteção, é o uso de acessórios: como bonés, viseiras e óculos de sol.

Sou um pouco neurótica com toda essa história, por isso é bem comum me encontrar usando boné ou viseira quando vou correr na rua ou nas provas. Não estou nem aí, se algumas pessoas (em pleno 2013) ainda jogam piadinhas, que já foram temas de diversas comunidades do nosso querido finado Orkut, como: “boné é coisa de menino”, ou “boné é coisa de frentista”. Isso é um preconceito bobinho, com os bonés e frentistas!

Claro que menina pode usar boné e ser estilosa ao mesmo tempo, a prova disso são os looks da Vênus 10k  (onde as meninas arrasaram com o acessório), além das imagens a seguir:

As meninas do Corre Mulherada adoram! Olha a Mari e a Carô 🙂

Polêmicas a parte, pra quem não é lá muito fã de boné (complemente normal!) ou sente a quentura subir pela cabeça, mas não gostaria de abrir mão do acessório, pode optar pelas viseiras, que apesar de não proteger o cocuruto e nem o picumã, protegem o rosto da ação direta do sol.

 ViseiraA Bruna Barbie (não resisti, Bru!) é uma das adeptas da viseira.

Em atividades ao ar livre e de velocidade, como a corrida, a nossa visão é diretamente afetada por fatores externos, que vão desde os raios ultravioletas, ao vento, poeira, areia, poluição e pequenos insetos pelo caminho (ECAAA!).

Segundo o portal UOL Saúde:

O excesso de luz deixa a região mais sensível, suscetível à irritação e vermelhidão. Além disso, a falta de atenção pode desencadear complicações sérias à visão, como inflamações, queimaduras na córnea e na retina.

O ideal é usar óculos próprios para a corrida, que possuem um formato diferente dos tradicionais. Geralmente são menores e possuem as hastes emborrachadas, para evitar escorregar por causa do suor. A pessoa que vos escreve não é o melhor exemplo a ser seguido (casa de ferreiro espeto de pau). Gosto e uso outros tipos de óculos e acho os de corrida meio…feinhos #prontofalei #ficaadicadesigners

Acredite, óculos de sol não é mera frescura. Percebi a importância após a cirurgia Lasik (era muito cegueta), e na época a oftalmologista me pediu para usá-lo até em dias de chuva! Mas gente, nada de comprar aquele modelo bãcããnã na 25 de Março, Saara ou no ambulante da esquina. Comprando nesses lugares, provavelmente estará levando um produto sem lentes que contenham fatores de proteção UV!

Óculos de sol completam o “Kit Proteção Solar”.

É isso, espero que você tenha gostado das dicas!

Saiba que também adoramos a sua, se tiver alguma, ou tem sugestão de post que ainda não foi publicado, deixe nos comentários!

Asics Pacecolor

Sabe aquelas camisetas com LED que a galera curte tanto usar nas raves? Pois essa tecnologia chegou agora aos tênis de corrida. A Asics apresentou recentemente o Pacecolor, um projeto (ainda experimental) de tênis que utiliza luzes coloridas para indicar o desempenho do atleta. Funciona assim: antes da pessoa calçar, o tênis não tem nenhuma marca, nada digamos assim de muito atraente. Quando a pessoa o calça, surge na lateral do tênis o logo da Asics em vermelho. Enquanto a pessoa está correndo abaixo de 10 km/h, o logo continua vermelho, mas quando a pessoa ultrapassa os 10 km/h ele muda de cor para amarelo, e finalmente quando a pessoa passa os 15 km/h ele fica verde, que é último estágio. O objetivo dessa tecnologia aplicada ao tênis, além de deixa-lo muito legal, é incentivar o atleta a se superar e conseguir identificar a que velocidade está correndo.

O Pacecolor consegue saber a que velocidade o atleta está através de um sensor de GPS ligado a um “arduíno”, uma espécie de minicomputador embutido no tênis (pelo que eu consegui entender rs).

Como o projeto é experimental e ainda não há muita informação sobre, não sabemos quantas pilhas você vai ter que comprar ou se dá pra carregar seu tênis com o carregador de celular. Só uma ideia rs 🙂

A Asics apresentou o projeto neste vídeo abaixo, com participação do maratonista Lelo Aproviam.

Podia ter mais uma cor no tênis só pro Usain Bolt, quando passasse dos 40 km/h, ou vai que sem querer alguém quebre esse record hehe. Já sei que comigo nunca vai chegar nem no verde… rs

A propósito, é só um projeto, o tênis não está a venda. Quando eu ficar sabendo de alguma coisa eu aviso. Enquanto isso vai juntando as moedinhas porque barato com certeza não vai ser. 😛