Recentemente, contei um pouquinho para vocês sobre a Maratona de Londres, como parte de uma série de posts que estamos fazendo sobre as principais maratonas do mundo, as Majors. E não tem como falar da Maratona de Londres sem falar de seu ícone máximo: a incrível corredora britânica Paula Radcliffe!

Paula Radcliffe no Mundial de Helsinki 2005

Acontece que a mulher é tão sensacional que tive que fazer um post exclusivamente sobre ela 😉

Para começar, dá uma olhadinha no tempo do relógio nessa foto:

Paula Radcliffe bateu o recorde mundial feminino na Maratona de Londres, em 2003: 2h15min25s

Sim, esse é o recorde pessoal de Paula (e mundial feminino) em uma maratona, conquistado em Londres em 2003, quando a atleta tinha 29 anos. Pensa o que é fazer 42km em apenas 2h15min25s!!! É tão foda (desculpa, mas não tenho outra palavra) que, desde então, nenhuma mulher, nem mesmo a própria Paula, conseguiu bater essa marca!

Tudo bem que em 2005 ela teve que fazer um “pit stop” no meio da prova – o que não a impediu de vencer a Maratona de Londres novamente, é claro! Hahahaha…

Fala sério, pensa no desprendimento da pessoa de parar no meio da rua, na frente de milhares de pessoas, fotógrafos, câmeras de TV transmitindo ao vivo e tudo mais, para fazer xixi! E ainda ganhar a prova! Hahahaha… E o que os britânicos acharam disso? Bom, eles adoraram! O episódio foi eleito no Reino Unido como “O Maior Momento da História da Maratona” 😛

Aliás, os especialistas acreditam que Paula deve continuar soberana por mais um tempinho nos recordes mundiais de maratona entre as mulheres, uma vez que a segunda e a terceira melhores marcas ficam quase 2 minutos acima e são (ambas!) dela mesma: 2h17min18s em Chicago, em 2002, e 2h17min42s em Londres em 2005 (mesmo com aquele contratempo, rs). Não falei que a mulher era foda?! rs

Paula Radcliffe nas Olimpiadas de Atenas em 2004

Apesar de sua qualidade como corredora ser indiscutível e de Paula já ter ganhado sete World Marathon Majors — Chicago 2002, Londres 2002, 2003 e 2005 e Nova York 2004, 2007 e 2008 —, as Olimpíadas foram uma grande pedra em seu sapato ao longo de sua carreira. Mesmo sendo grande favorita, a melhor marca que Paula conseguiu foi um quinto lugar nos 5k (1996) e quarto nos 10k (2000). Como maratonista, a situação foi ainda pior… Com uma lesão mal-tratada e sofrendo com a pressão da mídia britânica, ela chegou a sentar na calçada aos prantos durante a prova nas Olimpíadas de Atenas em 2004, desistindo no km 36.

Paula Radcliffe nas Olimpiadas de Atenas em 2004Foto triste 🙁

Dias depois, ela tentou fazer os 10.000 metros, mas também deixou a prova no meio devido às dores. Em Beijing 2008, ela terminou a prova de 42k, mas ficou em 23º. Por fim, uma lesão no pé a deixou de fora das Olimpíadas de Londres, em 2012 – lesão que a deixou três anos sem poder competir profissionalmente.

Este ano, Paula anunciou sua aposentadoria, aos 41 anos. Sua prova de despedida, como não poderia deixar de ser, foi a Maratona de Londres 2015. Correndo em casa, aclamada pelo público e confraternizando com outros atletas, Paula concluiu a prova em 2h36min55s – longe de ser seu melhor tempo, mas ainda suficiente para que se classificar para as Olimpíadas no Rio em 2016, se ela ainda competisse.

Tá bom para você?! rsrs 🙂

paula-radcliffe-familia  paula-radcliffe-correndo0-filha-isla
Paula e sua família linda, e correndo com sua filha Isla pequeninha (muita fofura esse uniforme!)

Paula é casada com o também britânico Gary Lough, corredor de curtas distâncias que ela conheceu ainda na universidade. Os dois se casaram em 2001 e têm dois filhos: Isla, nascida em 2007, e Raphael, que nasceu em 2010.

Se você quiser saber mais sobre a trajetória Paula, não deixe de ver o documentário “The Marathon and Me” (A Maratona e Eu) feito pela BBC este ano, por ocasião de sua aposentadoria. (Infelizmente, não encontrei versão legendada.)

  1. Marcia disse:

    Eu admirava a Paula Radcliffe até ler mais sobre este assunto da mulher mais rápida do mundo e ficar sabendo que existe muita dúvida em relação à isto, se não houve dopping pra ela ter chegado neste tempo, porque nunca mais ela conseguiu bater o próprio tempo, e nem ela nem e o esposo que era seu treinador falava como era seu treinamento…

    • Ju Vargas Ju Vargas disse:

      É, Marcia, essas dúvidas sobre dopping sempre existem, seja o atletla homem ou mulher… Não tem jeito! Mas ninguém conseguiu provar até hoje se houve dopping mesmo, e, pelo menos oficialmente, ela segue como detentora do recorde mundial nos 42km.

Deixe o seu comentário!