Olá, mulherada! Esse mês é todo especial, mês do outubro rosa, mês para nos conscientizarmos sobre o câncer de mama. E toda semana traremos posts sobre o assunto. 😉

No Brasil e no mundo, o câncer de mama está em segundo lugar dentre os cânceres que mais afetam as mulheres, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Em 2016, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que no Brasil ocorrerão 57.960 novos casos de câncer de mama entre a população.

O que é câncer de mama? 

O câncer de mama é um tumor que se forma devido ao crescimento e multiplicação de células anormais da mama, que o organismo não consegue combater. Há vários tipos de Câncer de mama, e a maioria cresce de maneira lenta, por isso quando é diagnosticado no início, tem boa resposta ao tratamento, com 90% de chance de cura.

O que causa o câncer de mama? 

Não existe uma causa única para o câncer de mama! Fatores pessoais, genéticos, hormonais, comportamentais e ambientais aumentam o risco de a mulher desenvolver câncer de mama.

Mamografia

É o principal exame para rastreamento de câncer de mama, sendo capaz de detectar o câncer de mama no início e possibilitar seu tratamento e cura. A mamografia salva vidas! É indicado pela Sociedade Brasileira de Mastologia que as mulheres comecem a realizar mamografia aos 40 anos e a partir de então anualmente, sempre com acompanhamento médico.

Chance de desenvolver câncer de mama de acordo com a idade

20 anos 1 em 1674
30 anos 1 em 225
40 anos 1 em 69
50 anos 1 em 44
60 anos 1 em 29
70 anos 1 em 26
Ao longo da vida 1 em 8

Fonte: American Cancer Society Breast Cancer Facts and Figures 2015

Fatores que podem aumentar o risco de câncer de mama

  • Ser mulher;
  • História familiar de câncer de mama;
  • Ter mutações herdadas de genes que predispõem ao câncer de mama;
  • Idade avançada, envelhecer. Com o envelhecimento, o risco de câncer de mama aumenta;
  • Última menstruação (menopausa) tardia, após os 55 anos;
  • Ser mais jovem que 12 anos na primeira menstruação;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Tratamento com altas doses de radiação (Radioterapia) prévia na região do tórax;
  • Mamas densas (aquelas que não tiveram seu tecido substituído por gordura após a menopausa);
  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Alcoolismo, mais de um drinque alcoólico por dia;
  • Tabagismo;
  • Uso da terapia de reposição hormonal.

O câncer de mama não dói e não causa sintomas quando está no início. Por isso, é importante consultar seu médico anualmente e realizar mamografia uma vez ao ano a partir dos 40 anos, para fazer o diagnóstico precoce da doença quando a possibilidade de cura é maior!

Fique alerta! Na presença de qualquer sinal ou sintoma abaixo, consulte seu médico:

  • Nódulo (“caroço”, “bolinha”) na mama;
  • Pele da mama com alterações, mais espessa, dura, tipo casca de laranja;
  • Alterações no mamilo;
  • Saída espontânea de líquido de um dos mamilos;
  • Pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

Como posso prevenir o câncer de mama?

As mulheres devem consultar seu médico, no mínimo uma vez ao ano, para avaliação completa da saúde feminina. Mulheres a partir dos 40 anos devem fazer mamografia uma vez ao ano.

O auto-exame pode ser realizado uma vez por mês para auto-conhecimento das mamas, mas não substitui de maneira alguma a visita ao médico e a mamografia!
Mulheres que apresentem algum fator que as classifique em pacientes de alto risco    para   desenvolver câncer de mama devem ser acompanhadas pelo mastologista, que iniciará o rastreamento precocemente e de maneira individualizada.

E ainda, atenção aos hábitos de vida:

  • Manter o peso corporal adequado;
  • Praticar atividade física;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Evitar tabagismo;
  • Terapia de reposição hormonal sempre acompanhada por ginecologista.

Fique atenta aos sinais que o corpo mostra, na presença de qualquer alteração nas mamas, consulte seu médico!

Quem se ama, previne!

Ana Beatriz Matos é médica mastologista, ginecologista e obstetra. É titulada nas especialidades de ginecologia e obstetrícia pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) e em mastologia pela Sociedade Brasileira de Mastologia. Realizou também curso de aperfeiçoamento em Cirurgia Oncoplástica e Reconstrutora Mamária da Sociedade Brasileira de Mastologia. Atualmente, atende em consultório de ginecologia e mastologia na clínica Integrata – Centro de Referência em Saúde, em Perdizes. Atua também como médica assistente e preceptora da residência de mastologia do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo e integra o corpo clínico do serviço de imaginologia mamária do laboratório Salomão e Zoppi. CRM 141-427 SP – Especialidades: Ginecologia e Obstetricia – RQE nº 61182 e Mastologia – RQE nº 61181.

 

Deixe o seu comentário!