Olá, mulherada! 😉

Hoje inauguramos aqui no blog um novo espaço. Vocês já podiam participar enviando a sua história na corrida, e agora quem mora em outros países tem mais uma oportunidade de se juntar ao Corre Mulherada: compartilhando conosco um pouco do que acontece em seu país, quais os melhores lugares pra correr e também as provas mais legais. <3

A Flavia Kaiser-Nykjær é brasileira e tem 37 anos, 11 deles morando na Dinamarca e 8 deles como corredora. Ela tem uma vida corrida com filhos, casa, trabalho em tempo integral e a vida de expatriada, que não é nada fácil, e estará agora por aqui compartilhando sua história e nos contando um pouco sobre a Dinamarca. 🙂

correndo-pelo-mundo-serie-especial

“Olá, mulherada que corre!

 A Dinamarca é um país de corredores. Simplesmente todos correm aqui e, na alta temporada, que vai mais ou menos de abril a outubro, tem corrida de todo tipo, toda semana. Tem corrida infantil, de 1, 2 e até 5 km. Corridas só pra mulheres, só pra homens, com obstáculos, na areia da praia, na floresta, na cidade, enfim, tem pra todo gosto. E no inverno, mesmo com chuva ou neve, as pessoas continuam correndo lá fora. Juro por Deus!

flavia-dinamarca-corrida2

Há 8 anos, eu frequentava a academia e adorava as aulas da Les Mills (BodyStep, BodyAttack, BodyCombat, BodyFlow, etc.), superpopulares na Europa e nos EUA. Um dia, enquanto esperava uma dessas aulas começar, decidi ir me esquentando na esteira.

Eu NUNCA tinha corrido antes. NUNCA tinha me passado pela cabeça que um dia eu seria uma pessoa que corre. Uma pessoa que corre e não morre, rs. Jamais tinha sequer imaginado que eu poderia, ou mesmo quereria, correr um dia. Aliás, eu acho até que tinha a certeza de que não tinha a menor chance de me tornar corredora. Sempre fiz o tipo “gordinha”, aquela que está sempre uns 5 kg acima do peso e sempre precisou suar muito pra emagrecer – e, minha gente, com a idade a coisa não fica mais fácil.

Daí chegou esse dia em que eu tinha que esperar uns minutos pela próxima aula na academia, e resolvi me aquecer caminhando na esteira. Olhei para um lado e para o outro. Devia ter umas 30 esteiras alinhadas naquela academia. À minha frente, a parede toda envidraçada com vista para o aeroporto de Copenhague. Aviões pousando e decolando. E eu entre pessoas correndo nas esteiras. Em todas as outras esteiras ao meu redor, as pessoas corriam. Tinha gente bem mais velha que eu. Tinha gente bem mais nova. E eu caminhando.

Me bateu um certo constrangimento. Pensei: bom, estou aqui, caminhando há 5 minutos, já posso começar a correr. Aumentei a velocidade da esteira e passei a dar uma caminhada rápida, que logo passou para um jogging. OK, durante quanto tempo eu consigo manter esse ritmo? Socorro, como alguém consegue respirar e correr ao mesmo tempo? Nossasenhora, chamem uma ambulância, devo estar aqui correndo há uns 15 minutos, numguentomais.

Já deu!

Quando eu olhei no reloginho, não tinha passado um minuto ainda. Desci da esteira e fui pra minha aula da Les Mills, mas minha vida estava transformada pra sempre.

flavia-dinamarca-corrida

De lá pra cá, muitas corridas já passaram pelas minhas pernas e eu pretendo falar mais sobre elas. Os primeiros 5k, a primeira vez na linha de chegada nos 10k, 15k e nas meias-maratonas. Já corri 3 meias! E sim, claro que esse ano tem maratona no plano 🙂

Até a próxima, gente!”

  1. Delma disse:

    Nossa

    Que bom reencontrar a Flávia, seguia ela no blog há séculos, nem sabia que ela corria. Que legal! Muito sucesso na maratona e tudo de bom

    Delma

Deixe o seu comentário!