Olá mulherada!

Dando continuidade aos posts sobre “Como começar a correr”, vim falar um pouco sobre algo que nós adoramos: ROUPAS! 😀

Roupas Corrida

A corrida faz um bem danado ao nosso corpo, e todas nós (iniciantes, intermediárias e avançadas), sabemos que, no início, alguns detalhes podem atrapalhar a performance, causando desânimo e até desistência do esporte. Um desses detalhes é a escolha da roupa adequada.

Vou confessar que há pouco tempo não ligava muito pra roupa na hora de correr. Colocava um short, moleton ou legging e qualquer camiseta tipo aquelas de político e achava que estava óóótimo, afinal, pra que me arrumar se depois vou ficar toda suada e com a dignidade lá no pé?

Paguei a língua, pois percebi que não se trata de mera frescurite, e sim, existem estudos e toda uma tecnologia por trás de alguns tecidos, que faz uma enorme diferença no rendimento da atividade esportiva.

Dryfit Climalite UV

Dri-FIT, Climalite, Climacool, Amni, Suplex, Emana, Pet Dry, seja qual for o nome, são tecidos sintéticos especiais; como poliéster, poliamida e microfibra, que passam por alguns tratamentos nas fibras (não vamos nos aprofundar por aqui, não é mesmo?), e prometem diversos benefícios; como boa absorção da umidade, secagem rápida, equilíbrio térmico, proteção UV, infravermelho (ajuda na circulação), efeitos antibacterianos e até redução do ácido lático nos músculos!

 

camisetas_corridas

Uhum, tá tudo muito bonito… mas dentro de todas essas opções, qual melhor escolher?

Uma dica é olhar a etiqueta: dê preferência à poliamida (nylon), pois seu fio tem uma capacidade maior de absorção do suor (4% contra o poliéster com menos de 1% ), e possui um toque bem mais macio e geladinho do que o algodão.

 

etiquetas

A grande maioria das camisetas que dão nos ‘kits corrida’ são 100% poliamida. A diferença que nota-se de uma para outra são nas tramas (vejam os buraquinhos!): quanto mais abertas, maior a evaporação do suor e consequentemente mais fresquinhas elas são. O poliéster também pode ser usado para correr, e tem como vantagem o preço (bem mais barato que poliamida), porém é bem inferior quanto ao toque, e como dito anteriormente, retém mais suor dando a sensação de quentura. Que suadouro!

Já no caso dos shorts, saias e calças leggings, vai do gosto de cada um.

 

shorts

Calças leggings, alguns shorts de ginástica, e shorts que acompanham as saias, ou seja, itens que são mais coladinhos no corpo, possuem em sua composição: poliéster ou poliamida com elastano (estiiiiiica). Os mais soltinhos são em sua maioria: poliéster.

Meias

Pra mim, as meias são mais importantes do que tudo, pois meus pés criam bolhas até com sandálias Havaianas novas. Está aí uma coisa que investia há muito tempo antes de pensar em correr. Meias ideais usadas com o tênis correto para sua pisada (falaremos disso mais adiante), diminuem absurdamente as chances de terem seus pés machucados.

meias1

Dê preferência para as meias destinadas às práticas esportivas, que contém em sua composição: algodão, poliamida, poliéster e elastano, que além de dar a proteção devida, evita o famoso chulé. A boa e velha meia 100% algodão pode ser usada, mas não é a melhor escolha, por não aderir ao pé (por conta da costura) e não oferecer a proteção necessária, o que pode causar lesões.

Bom, espero que tenham gostado dessas diquinhas!

Como vimos neste post, roupas adequadas para correr ou malhar é um investimento que vale a pena. Não há necessidade de gastar fortunas em roupas esportivas de marcas mais caras, existem opções para todos os bolsos. Procure olhar na etiqueta, toque no tecido, estique e veja a trama.

Agora é só usar a criatividade e fazer as melhores combinações de acordo com seu gosto. Merecemos correr todas lindas, não é mesmo? 😉

 

Ingrid_Alfaya_SMSU

Se você, assim como eu, gosta de correr com uma boa companhia, vai adorar esta super dica.

A fim de melhorar a relação entre a população e a Guarda Civil Metropolitana, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana de São Paulo lançou no último dia 20 de março, no Parque do Ibirapuera, o projeto “Corra com a Guarda”, no qual os agentes praticam cooper com os frequentadores do parque.

Agora, todas as segundas, quartas e sextas-feiras (exceto feriados) das 8h às 11h um grupo de 16 guardas-civis formados em educação física ficam a disposição de quem quiser praticar corrida com eles. Para participar não é necessário fazer inscrição, basta procurar a tenda da corporação GCM na Praça do Porquinho, próxima ao portão 6 do Parque do Ibirapuera. De meia em meia hora um grupo formado por um professor de educação física e dois monitores percorrem um trajeto de 3 km com os usuários do parque. Antes do inicio da corrida a equipe faz uma sessão de alongamento e exercícios de aquecimento. O legal é que o número de participantes é ilimitado.

Durante o percurso, que é intercalado com caminhada e trote, os monitores medem a frequência cardíaca de quem fica um pouco mais ofegante do que o comum e, dependendo do caso, montam treinos personalizados. O treino é finalizado com mais uma sessão de alongamento, que é sempre muito importante e não deve ser esquecido ;).

A ideia é muito legal, além de incentivar pessoas a praticarem esportes, você ainda corre com mais segurança, afinal está do lado de profissionais. O ideal é não se esquecer de fazer os exames preventivos e estar ciente da sua saúde para não ocorrer acidentes.
Tomara que essa iniciativa consiga muitos adeptos, assim quem sabe os horários desses treinos sejam estendidos, ou passem a ocorrer durante toda semana, dando a possibilidade a mais frequentadores do parque de participarem. 😉

Fotos: Bruna Ribeiro e Ingrid Alfaya.