Um tempo atrás, contei aqui no blog o que achei do Veg Protein, o suplemento proteico vegano da Sanavita. Hoje vou falar para vocês um pouco mais sobre o Balance Protein, que é um suplemento feito a base do whey protein tradicional (proteína do soro de leite) e que testei nas duas versões: para atletas de ambos os sexos e na fórmula adaptada especialmente para as mulheres.

Esse produto não é novo no mercado, mas como é bastante conhecido entre a mulherada, achei que valia a pena falar um pouco mais sobre ele para vocês!

Nos dois casos, eu provei os suplementos no sabor baunilha, e achei o gosto bem suave. Em termos de sabor, é um dos mais neutros que já provei, por isso se você curte fazer receitas com whey, esse da Sanavita é uma ótima opção para combinar com frutas, por exemplo. Além do de baunilha, a versão para mulheres também tem no sabor chocolate. (Não provei, mas já vi relatos de que ele é mais doce. Se você já tomou, conta pra gente o que achou nos comentários!)

Se no sabor eles são bem parecidos, na fórmula há diferenças entre as duas versões. Afinal, o Balance Protein não é apenas whey protein, mas um blend proteico que combina diversos compostos. Além de dois tipos de whey (isolado e concentrado), a versão para mulheres (embalagem lilás) traz isolado proteico de soja rico que é em proteínas e isoflavonas, substâncias que agem no crescimento muscular e têm ação antioxidante e reguladora da função hormonal, aliviando sintomas da TPM e da menopausa. Também vem com Osteomix, um complexo de cálcio e vitamina D que atende 50% das necessidades diárias das mulheres em apenas uma porção, além de colágeno hidrolisado, que ajuda na firmeza da pele.

Já a versão para “homens” (embalagem azul-marinho – que, na verdade, é unissex) vem com três tipos de whey (isolado, hidrolisado e concentrado) e também creatina, o que favorece a retenção de nitrogênio e auxilia no crescimento muscular, albumina, colágeno e o Mix Antiox, um complexo antioxidante com vitamina C, selênio e zinco.

Outra diferença é o tamanho da dose e a quantidade de proteína disponível: na versão feminina (sabor baunilha), são 24 gramas de proteína e 3,3 gramas de carboidrato por 30 gramas do produto. Na unissex, são 32,6 gramas de proteína e 2,6 gramas de carboidrato por 40 gramas de produto.

Ambas as versões têm baixa caloria (108 kcal a dose na versão para mulheres sabor baunilha; 149 kcal a dose da versão unissex) e não contêm glúten ou lactose. O preço fica em torno dos 80 reais pela lata de 400 gramas. Não é muito barato, mas se você pensar que ele é um suplemento não só de proteína, mas também de outros compostos que auxiliam nessa recuperação pós-treino, acaba compensando.

A sugestão de consumo é uma dose 30 minutos após o exercício físico, mas é importante você conversar com um nutricionista para ver qual o melhor momento para tomar o whey na sua rotina, de acordo com as atividades que você pratica e os seus objetivos. 😉

Você já provou esse produto? O que achou? Divida suas impressões com a gente nos comentários do post!

No último domingo, aconteceu aqui em São Paulo a Tricolor Run, primeira corrida de rua oficial da Under Armour no Brasil, realizada em parceira com o São Paulo Futebol Clube. Como boa são-paulina, não podia deixar de prestigiar esse evento, né? 😉

A medalha não poderia ser diferente! (Divulgação/Under Armour)

Além de poder usar as cores do meu time do coração e ter essa medalha lindaaaaaa com o símbolo do SPFC, a prova teve outras atrações para os corredores: tanto a largada como a chegada foram dentro do Estádio do Morumbi, na pista de atletismo que fica em torno do campo de futebol. E os percursos, de 5 km e 10 km, passavam pelas ruas do bairro, um local onde não se costuma ter provas aqui em São Paulo. Por incrível que pareça, apesar de estarmos na maior cidade do país, a maioria das provas segue os mesmos trajetos e ter a chance de correr em um lugar diferente sempre faz meus olhinhos brilharem! 😀

Toda a prova foi cercada de muita expectativa! As 3 mil vagas esgotaram rapidinho e vários treinos de aquecimento exclusivos para os inscritos deram um clima especial para a prova, sem falar em um desafio virtual mensal para mantet todo mundo animado e focado nos treinos. E os corredores também podiam escolher a cor da camiseta: branca, preta ou vermelha. Demais, né?!

Pódio feminino nos 10 km: 1ª Giovana Costa Martins; 2ª Detlei Hasse; 3ª Vanessa Ferreira Moura (Divulgação/Under Armour)

E a mulherada que liderou os 5 km: 1ª Marilene de Jesus Ferreira; 2ª Juliana Pereira de Souza; 3ª Ana Paula Moretti (Divulgação/Under Armour)

Como a prova teve poucos participantes em comparação com os grandes circuitos de corrida que temos por aqui, e as largadas foram separadas para os 10 km e os 5 km (com 10 minutos de intervalo entre elas), a prova começou bem tranquila para mim. Até que a pista de atletismo deu afunilada e eu acabei ficando entre a pista e a grama, que estava um pouco molhada, e… escorreguei! Hahahaha… Não foi nada grave, levantei rapidinho e continuei correndo como se nada tivesse acontecido, mas foi a primeira vez que eu caí em uma prova, então tinha que registrar aqui, hahahaha… 😛 Para tudo na vida tem uma primeira vez, né?

Micos à parte, rs, o percurso foi um pouco complicado porque a CET não liberou o fechamento completo das ruas e tivemos que dividir parte do espaço com os carros. Isso fez com que o espaço para os corredores ficasse um pouco estreito e, especialmente na segunda volta do pessoal dos 10k, deu uma tumultuada. Como eu estava correndo 5k e não estava preocupada com tempo, nem nada, não me incomodei, mas acho que para quem estava com um objetivo de performance ou correndo no percurso maior, deve ter sido um pouco irritante.

Bem lá no final do percurso, tinha uma descida deliciosa e não poderia terminar melhor: dentro do estádio do Morumbi. Esse finalzinho, para mim, compensou todos os perrengues e as subidonas do bairro do Morumbi! Hahahaha… Com certeza, faria a prova de novo, especialmente porque a temática foi puro amor, hahahaha… 😉

E você, correu essa prova? O que achou? Conta pra gente nos comentários!